Muitas vezes sabemos o que devemos fazer e decidimos fazer exatamente o contrário.  Quando isso acontece, estamos nos recusando a sermos abençoados. Você está se recusando a ser abençoado?

Não tem como ter uma boa saúde, se não nos alimentamos de forma saudável e temos uma vida sedentária. Não tem como ter as bênçãos de um casamento feliz e duradouro se não somos totalmente fieis ao nosso cônjuge ou quando solteiros, não guardamos a Lei da Castidade. Não tem como alcançar a autossuficiência, se não buscamos qualificação e melhorias para nossas vidas.

Aprendemos pelas escrituras que “quando recebemos uma bênção de Deus, é por obediência à lei na qual ela se baseia” (D&C 130:21) logo, não é possível viver uma vida e esperarmos outra. Se guardarmos os mandamentos, teremos as bênçãos e o contrário, também é verdadeiro.  

“Eu, o Senhor, estou obrigado quando fazeis o que eu digo; mas quando não o fazeis, não tendes promessa alguma.” (D&C 82:10)

Precisamos ser dignos das bênçãos a nós prometidas. “Uma visão das incríveis bênçãos de nosso Pai a nós prometidas deve ser nosso enfoque central todos os dias”, ensinou a Sister Linda S. Reeves. Quando temos em mente as incríveis bênçãos, poderemos resistir ao mal com mais firmeza e determinação. A cada vez que resistimos nos tornamos mais fortes e propícios a receber as inspirações do Espírito Santo.

A escritura de Tiago 4, versículo 7 nos ensina sobre resistir ao mal: “Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”  E é isso, que nós, como santos dos últimos dias precisamos fazer a cada dia a fim de sermos dignos das bênçãos do Senhor.

A mortalidade é um período de grandes desafios para todos nós. Não é fácil estar no mundo e não ser do mundo. Temos altos padrões morais para viver e isso ditará nosso destino eterno, nossa felicidade ou infelicidade eternamente. No entanto, o Pai Celeste sabia que aqui enfrentaríamos as mais diversas situações e por isso, nos aconselhou a buscarmos a Ele em cada momento, principalmente em nossas dificuldades:

“E se os homens vierem a mim, mostrar-lhes-ei sua fraqueza. E dou a fraqueza aos homens a fim de que sejam humildes; e minha graça basta a todos os que se humilham perante mim; porque caso se humilhem perante mim e tenham fé em mim, então farei com que as coisas fracas se tornem fortes para eles.” (Éter 12:27)

Além disso, podemos contar com a Graça também, “pois sabemos que é pela graça que somos salvos, depois de tudo o que pudermos fazer.” (2 Néfi 25:23)

o salvador e minha doença crônica

One By One – Walter Rane

Ser abençoado por meio de Cristo

A Expiação de Cristo é uma bênção que não podemos de forma alguma recusar. Sem ela, de forma alguma conseguiríamos voltar ao nosso lar celestial. A cada vez, que pecamos, a cada vez que preferimos o errado mais fácil ao invés do certo mais difícil, nos afastamos dela e de seu poder.

O Presidente David O. McKay, nono Presidente da Igreja, aconselhou:

“Imploro que tenham pensamentos puros”. E fez então esta importante declaração de verdade: “Toda ação é precedida por um pensamento. Se quisermos controlar nossas ações, precisamos controlar nosso pensamento”.

Podemos perder as bênçãos se não cuidarmos dos pensamentos que temos em mente, porque eles sem dúvida se transformarão em ações e elas devem ser as melhores possíveis.

Ao decidirmos nossas ações e ao fazermos nossas escolhas, convêm sempre pensar: Se continuarmos vivendo, como estamos vivendo, as bênçãos prometidas irão se cumprir?

Relacionado:

Como vencer seus “pecados favoritos” para sempre