Qual será o motivo de Deus ser geralmente silencioso?

Receber revelação de Deus sempre foi um desafio para mim. Eu penso demais. Sou o tipo de pessoa que agoniza em oração para tomar uma decisão importante. Eu jejuo, vou ao templo, faço o que for preciso. Mas no final das contas, muitas vezes sinto que recebi muito pouca orientação divina, sinto Deus silencioso.

É uma realidade difícil de encarar muitas vezes. Principalmente quando as escrituras estão cheias de histórias milagrosas de visões, sarças ardentes e aparições angelicais. Quer dizer, eu sei que o Espírito geralmente fala com voz mansa, mas o que ela diz? Estou fazendo algo errado? Minhas antenas espirituais devem estar mal sintonizadas, porque a recepção está muito confusa.

Por que meu Deus é silencioso

Ao lutar para entender o idioma do Espírito, existem alguns princípios que vivi. Não fico muito animado com eles, mas acho que Deus fica.

Deus é silencioso para incentivar a fé, o crescimento, a confiança e o trabalho

Em um mundo cada vez mais bagunçado, a fé torna-se cada vez mais importante. Não somos projetos de ciência de Deus. Somos Seus filhos. Em algum momento, os filhos precisam começar a tomar as próprias decisões. Não é que não podemos/devemos pedir ajuda ao Pai Celestial (devemos), mas às vezes a resposta será: “Bem, o que você acha que é melhor?”

Deus fez isso com o irmão de Jarede quando ele inquiriu o Senhor sobre como corrigir o problema de luz em seus barcos:

E ele tornou a clamar ao Senhor, dizendo:  Ó Senhor, eis que fiz conforme me ordenaste; e preparei os navios para meu povo e eis que neles não há luz. Ó, Senhor, consentirás que cruzemos estas grandes águas na escuridão?

E o Senhor disse ao irmão de Jarede: Que desejais que eu faça, a fim de que tenhais luz em vossos barcos? Porque eis que não podeis ter janelas, porque seriam despedaçadas; nem levareis fogo convosco, porque não ireis pela luz do fogo.

Certamente o Senhor tinha infinitas possíveis soluções para o problema. Provavelmente teria sido mais fácil para ele apenas dizer o que fazer ao irmão de Jarede — mas ele não disse. Ele permitiu ao irmão de Jarede tomar as rédeas.

Jarede X Nós

Às vezes não estamos dispostos a fazer o mesmo. Pode ser frustrante, principalmente quando a decisão é de suma importância. Recentemente tive que tomar uma daquelas decisões cruciais da vida. Minha conversa de meses de duração com Deus foi mais ou menos assim:

Eu: “Senhor, é uma decisão muito importante. Por favooooor me ajude. Devo escolher o caminho A ou o caminho B?”

Deus: “Bem, a decisão é difícil, filho. O que você acha?”

Eu: “Não, não, não Senhor. Acho que o Senhor não entendeu. Esta é uma daquelas decisões que preciso do Senhor para me ajudar. Não posso tomar a decisão até que me diga qual caminho é o correto.”

Deus: “Bem, eu não vou te dizer qual caminho está correto até que você escolha um.”

Eu: “Certo, mas tente entender, eu confio no Seu julgamento, muito mais do que no meu. Eu cometo erros, mas o Senhor não. Estou mostrando a minha fé no Senhor. Agradeceria muito um pouco de ajuda.”

Deus: “Aprecio seu esforço, mas eu tenho fé em você também. Se você confia em mim, confie que eu sei o que estou fazendo.”

Eu: “Está beeeeem, pode seeeer.  Caminho A. Eu escolho o caminho A. É o certo?”

Deus: “Não, não, não, David. Acho que o Senhor não entendeu. Você precisa me mostrar que esta é sua escolha. Se estiver errada, de uma maneira ou de outra eu vou ajudara você a saber.”

*Meses depois*

Eu: “Certo, Senhor. Segui os passos 1, 2 3 3 escolhendo o caminho A. Até aqui, tudo bem. Se não me disser o contrário, está é minha escolha.”

Deus: “Parece bom para mim.”

Serei honesto. O processo é frustrante, mas vejo por que Deus trabalharia assim. Um dos presentes mais valiosos que Deus nos deu é a nossa capacidade de escolher nosso próprio caminho, nosso arbítrio. Que utilidade esse presente teria se Ele tomasse decisões por nós constantemente?

Às vezes escolheremos o caminho errado? Claro, mas a lição que podemos aprender com a correção de curso é mais valiosa para nós do que um gabarito divino. E para alguns não existe necessariamente um caminho errado. Todas as opções podem ser boas.

Deus está nos moldando. Ele quer que um dia sejamos como Ele é. Ele quer que cresçamos, tenhamos fé e aprendamos a realizar o trabalho espiritual. Deus precisa que confiemos na nossa decisão com a ajuda do Espírito. Ele quer que aprendamos a usar o Espírito Santo como uma ferramenta, não como mágica.

O que isso não significa

Deus é relativamente silencioso na minha vida, mas há uma diferença grande entre silencioso indiferente. Deus não é indiferente. O Espírito Santo está sempre disposto a nos ajudar ao longo do caminho (ou de volta ao caminho certo). Deus quer que o incluamos no processo de decisão, mas para mim, Ele desempenha o papel da voz mansa que confirma. Não uma voz clara de instrução. A definição do Élder Richard G. Scott de inspiração é muito mais comum na minha vida do que sua definição de revelação.

A revelação vem de “diversos modos e meios, tantos que não é possível enumerá-los.” Deus é geralmente silencioso e tranquilo na minha vida, mas Ele pode se comunicar muito alto com você. Ou talvez esteja em algum lugar no meio termo. A questão é que Deus é nosso amoroso Pai Celestial. Ele fala conosco do modo que mais vai nos beneficiar. A parte difícil é descobrir que modo é esse.

A língua do Espírito

Línguas estrangeiras são difíceis de aprender. Algumas pronúncias usam cantos da boca que nem sabíamos que existiam. As estruturas das frases são diferentes, os sons são diferentes, as expressões são diferentes. É preciso muita prática e dedicação para se tornar fluente. Agora, imagine aprender uma língua estrangeira que é mais sentida do que falada. Essa é a língua do Espírito. E é preciso uma vida inteira (ou mais) para aprender.

Para tornar as coisas ainda mais complicadas, cada um de nós fala um dialeto diferente. Alguns podem se identificar com a minha experiência com a revelação. Outros podem discordar completamente.

Mas se você sente que Deus também está agindo de modo silencioso e tranquilo na sua vida, não se preocupe muito. Não significa necessariamente que você está fazendo algo errado. Na verdade, pode significar que você está fazendo tudo certo.

Escrito por David Snell e publicado no site Mormonhub.com.

Relacionado:

Como o silêncio ao orar pode ser importante para receber nossas respostas

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *