Por que é tão importante evitarmos dívidas na vida?

dinheiro

Esse é um tópico muito interessante e que merece nossa atenção. Em sua opinião, por que é tão importante evitarmos dívidas?

Há um grupo de pessoas, que insiste em dizer que são as dívidas que nos fazem progredir, alegando que à medida que endividamos, tentando conquistar mais e mais coisas, estamos progredindo, mas será que é assim mesmo? Será que a preocupação com a pergunta “como pagaremos?” é boa?

Desde minha faculdade em Administração, até hoje, durante minha pós em Mercado Financeiro, tenho olhado para o dinheiro de uma forma um tanto quanto diferente e tenho visto a devastação que as dívidas fazem na vida de famílias inteiras. Relacionamentos são enfraquecidos e destruídos, a calma se vai, o stress aumenta, a saúde perde o vigor, dentre tantas coisas.

Ao escrever esse artigo, procurei por algumas informações sobre o tema e os resultados, deixaram-me muito perplexa.

10 PAÍSES MAIS ENDIVIDADOS DO MUNDO

Se você pensou que o Brasil ganharia o primeiro lugar nessa lista, você se enganou, no entanto, isso não quer dizer que estejamos “bem na fita”. Para a surpresa de muitos, alguns países importantes da União Europeia fazem parte dessa lista!

  1. Espanha – US$ 2.3 trilhões
  2. Holanda – US$ 2.52 trilhões
  3. Itália – US$ 2.65 trilhões
  4. Japão – US$ 2.86 trilhões
  5. China – US$ 3 trilhões
  6. Luxemburgo – US$ 3.47 trilhões
  7. Alemanha – US$ 5.54 trilhões
  8. França – US$ 5.75 trilhões
  9. Reino Unido – US$ 9.59 trilhões
  10. Estados Unidos – US$ 17.75 trilhões

Assusta você ver os EUA como o país que mais deve no mundo? Os Estados Unidos são posição líder na seleção dos 10 países mais endividados do mundo. O que pode ser uma surpresa é um fato bem conhecido, a economia mais poderosa do mundo também tem a maior dívida! E seguindo a crise financeira de 2008, o governo apenas foi capaz de fazer face às despesas elevando a dívida-teto, ou seja, a situação ficou praticamente fora de mão.

E QUANTO AO BRASIL?

O Brasil nunca teve tantos inadimplentes. Em Julho de 2018, o total de brasileiros com dívidas em atraso chegou a 63,4 milhões, segundo o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), contingente quase equivalente à população da Itália!  A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, explica que, em geral, o comportamento dos endividados não muda conforme a renda. “As classes altas têm mais margem de manobra, mas, em grande parte das vezes, quanto mais a pessoa ganha, mais gasta.”

O Indicador de Reserva Financeira, por exemplo, calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 65% dos brasileiros não possuem reserva financeira. Basicamente, a cultura brasileira vê o ato de poupar como um sacrifício. “As pessoas se acostumaram, em um passado recente, a ter muito crédito e um consumo acima das suas posses. Então, quando a economia aperta, o controle é visto como sacrifício”, explica o educador financeiro do SPC Brasil e do portal Meu Bolso Feliz, José Vignoli.

POR QUE E COMO EVITAR DÍVIDAS

Aproveite enquanto ainda tem tempo e mude seus hábitos de consumo para evitar uma queda financeira maior ainda em sua família. Evitar dívidas fará de você uma pessoa mais feliz, mais leve, menos complicada, mais resolvida, com mais saúde e disposição.

As pessoas mais antigas ainda continuam a zelar com todo cuidado do mundo pelo seu nome fora dos cadastros de devedores (SPC e SERASA), consideram uma desonra ter e manter dívidas que não se podem pagar.

Aqui estão, algumas dicas para evitar dívidas:

1. Faça um planejamento

Coloque no papel os gastos fixos e as despesas adicionais que a família ainda terá até o fim do ano. Analise se ainda dá para assumir um novo financiamento.

2. Encare o orçamento de forma realista

Saiba direitinho quanto você pode gastar. Não adianta o valor da parcela do eletrodoméstico desejado caber no salário se já existem outros bens financiados apertando o orçamento.

3. Não assuma dívidas que não poderá honrar

Cerca de quatro em cada 10 pessoas torram mais da metade do que ganham com o pagamento de dívidas, segundo pesquisa da Boa Vista Serviços, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). Com uma porção tão grande do orçamento comprometida, os riscos de ficar inadimplente são enormes.

4. Aja com a razão, não com o coração

Muitos problemas financeiros surgem por causa de decisões tomadas em momentos de emoção, como ao receber uma promoção ou terminar um relacionamento longo. Já que a gente tem uma certa dificuldade de lidar tanto com a euforia quanto com as frustrações, o melhor a fazer é não comprar nada até os sentimentos voltarem a ficar em equilíbrio. Espere a poeira baixar.

5. Tire os cartões e o talão de cheque da bolsa

Sair de casa só com dinheiro vivo na carteira obrigará você a pensar se realmente precisa de uma secadora ou de uma lavadora novinha em folha. Não há estratégia melhor contra as compras por impulso.

6. Use as linhas de crédito com consciência

Cheque especial e crédito rotativo do cartão estragam qualquer planejamento porque cobram juros altos demais para estarem sempre disponíveis na conta.

7. Pesquise antes de passar no caixa

Vale checar os preços das lojas próximas à sua casa e até consultar modelos alternativos do produto.

8. Busque descontos na Internet

Além de permitir comparar os valores e as condições de pagamento com mais facilidade, comprar pelo site pode sair mais em conta do que na loja física.

9. Entenda as condições de pagamento

Prestações baixas não significam que o eletrodoméstico custa barato. Multiplique a quantidade pelo valor das parcelas. E leia com atenção as entrelinhas do contrato.

10. Converse sobre as finanças em casa

Envolva a família nas decisões, incluindo as crianças. Se ficar definido que uma compra grande será feita, peça sugestões a elas sobre como todos poderiam economizar um pouquinho para a prestação caber no orçamento.

O QUE NOS DIZ O EVANGELHO E OS LÍDERES DA IGREJA SOBRE O ASSUNTO?

Desde os primórdios da Igreja, os profetas do Senhor têm-nos alertado continuamente a evitar a servidão causada pelas dívidas. Um dos grandes perigos das dívidas são os juros que as acompanham. Quando for necessário fazer dívidas, como no caso de uma quantia razoável para comprar uma casa modesta ou concluir os estudos, a dívida deve ser quitada o mais cedo possível.

O livreto Sempre Fiéis, uma publicação da Igreja, dá mais este conselho a respeito das dívidas:

Alguns tipos de crédito, tais como os dos cartões de crédito, cobram juros altíssimos. Quando a pessoa fizer dívidas, compreenderá que os juros não têm misericórdia. Eles continuam a acumular-se, seja qual for a situação — esteja você empregado ou desempregado, saudável ou doente. Eles nunca desaparecerem até que a dívida seja paga. Não se deixe enganar pelas ofertas de crédito, mesmo que elas façam a dívida parecer atraente pela promessa de juros baixos ou até mesmo de não cobrar juros por um certo período.

Examine a sua condição financeira. Tenha disciplina ao comprar, evitando as dívidas tanto quanto possível. Na maioria dos casos, é possível evitar as dívidas simplesmente administrando sabiamente os recursos que temos. Se você assumir uma dívida, até de um montante razoável a fim de adquirir uma casa modesta ou para terminar os estudos, pague-a o mais rapidamente possível para livrar-se dessa carga. Após ter pago suas dívidas e acumulado algumas economias, você estará preparado para as tempestades financeiras que possam atingi-lo. Você terá moradia para a sua família e paz no coração” (p. 58).

LEMBRE-SE DISSO:

Há alguns pensamentos, que poderão ajudá-lo em seu planejamento financeiro e gostaríamos de compartilhar com você:

1 – “Regra número 1: nunca perca dinheiro. Regra número 2: não esqueça a regra número 1” – Warren Buffett

Warren Buffett é um dos mais importantes investidores da Bolsa de Valores do mundo. Perder dinheiro é um dos riscos de quem investe em renda variável, mas quanto mais você estudar e se aprofundar no assunto, maiores são as chances de você reduzir esse risco e ganhar dinheiro com essa forma de investimento.

2 – “Nunca gaste seu dinheiro antes de recebê-lo” – Thomas Jefferson

Thomas Jefferson, ex-presidente dos Estados Unidos, é dono dessa frase que todo mundo já ouviu um dia. Ferramentas como o cartão de crédito, surgiram para facilitar a compra de objetos e serviços, mas muitas pessoas o utilizam de forma errada e acabam comprometendo o salário que ainda nem entrou na conta. Um planejamento mensal é ideal para projetar os gastos e mantê-los dentro do orçamento.

3 – “Muitas pessoas gastam dinheiro que não tem, para comprar coisas que não precisam, para impressionar pessoas que não gostam” – Will Smith

Isso costuma acontecer muito com jovens, apesar de não ser regra. O desejo de ostentar faz com que adotem um estilo de vida muito maior que o seu padrão, o que gera dívidas com roupas de marca, baladas, celulares caros e demais custos. Isso não significa que é preciso manter o mesmo padrão de vida para sempre, mas para evitar dívidas e complicações financeiras, deve-se estar ciente de suas limitações financeiras.

4 – “Dinheiro não traz felicidade – pra quem não sabe o que fazer com ele” – Machado de Assis

Existem inúmeros casos de pessoas que ganham muito dinheiro, que faturam milhões de dólares e se veem pobres poucos anos depois. Faltou felicidade? Provavelmente não. Faltou planejamento. Com um bom planejamento, é possível alinhar dinheiro com felicidade facilmente.

5 – “Investir em conhecimento rende sempre os melhores juros” – Benjamin Franklin

Quer indicar o melhor investimento para alguém? Indique livros, blogs, artigos, vídeos aulas. Conhecimento nunca é – e nunca vai ser – demais!

6 – Perguntem-se antes de comprar qualquer coisa

Antes de comprar qualquer coisa, ouse se perguntar: 1º)Eu quero? 2º)Eu posso? 3º)Eu preciso? Se a resposta for não, para qualquer uma dessas perguntas, não compre, repense!

Evitar dívidas é um mandamento do Senhor e uma regra de ouro para uma vida mais feliz e mais tranquila. Todos nós, podemos ter independência financeira e viver livre de dívidas.

Relacionado:

Viver Frugalmente, Estar Preparado e Evitar as Dívidas

| Para refletir
Publicado por: Inaê Leandro
Inaê Leandro é estudante de Administração, escritora e foi Jovem Senadora em terceiro lugar por Minas Gerais, no Prêmio Jovem Senador, do Senado Federal. Atua como voluntária no Instituto Oikon e mantém juntamente com amigos, o site suscitare.com.br.
Crianças
Lições que um homem aprendeu ao ensaiar as crianças da Primária
desacelerar
Por que precisamos estar atentos e desacelerar o ritmo?

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *