Como a Reforma Protestante Abençoou Nossa Vida?

reforma protestante

É isso mesmo que você acabou de ler – como a Reforma Protestante abençoou nossa vida?  Em um primeiro instante isso pode parecer inusitado, mas se formos analisar a fundo, a Reforma Protestante preparou o caminho para a Restauração do Evangelho! Já pensou nisso?

Mas antes de mais nada, você sabe o que foi a Reforma Protestante? Você sabe quem a liderou?

Contexto Histórico

Neste ano, comemoramos os 500 anos da Reforma Protestante. Essa data retoma o evento que aconteceu em 31 de Outubro de 1517, quando Martinho Lutero pregou suas noventa e cinco teses na porta da Igreja do Castelo em Wittenberg, na Alemanha. No centro desse movimento, Lutero acreditava ter redescoberto a mensagem do evangelho que seria fundamenta na ideia de que “os homens não ganham a salvação fazendo boas obras, mas Deus oferece livremente a salvação a todos os que creem em seu filho, Jesus Cristo.”

A Reforma Protestante baseia-se em cinco pilares, chamados Solas, definidos como: Sola Scriptura – somente a Escritura; Sola Fide – somente a fé; Sola Gratia – somente a graça; Solus Christus – somente Cristo; Soli Deo Gloria – glória somente a Deus.

Tal mensagem libertou a humanidade para engajar-se em muitos tipos de atividades e a principal delas é o serviço ao próximo. Em toda a Europa, o impulso iniciado em Wittenberg inspirou outros a interpretar a Bíblia de novas formas, surgindo assim as muitas denominações que conhecemos hoje.

A Reforma Protestante foi um evento marcante na história ocidental, pois trouxe ao mundo uma variedade de conceitos que ainda são profundamente relevantes hoje: pluralidade social, liberdade de consciência, tolerância, liberdade de religião, liberdade de pensamento, a ideia da igualdade de todos os seres humanos, ajuda ao próximo, alfabetização e educação universal. Esses são alguns dos frutos do movimento na sociedade ocidental.

Martinho Lutero sugeriu mudanças, e essas mudanças vêm transformando a sociedade ocidental há cinco séculos.

Quem era Martinho Lutero

Martinho Lutero ou em Alemão Martin Luther nasceu na cidade de Eisleben em 10 de Novembro de 1483 e morreu na mesma cidade em 18 de fevereiro de 1546. Martinho foi um monge agostiniano e professor de teologia germânico que tornou-se uma das figuras centrais da Reforma Protestante. Levantou-se veementemente contra diversos dogmas do catolicismo romano, contestando sobretudo a doutrina de que o perdão de Deus poderia ser adquirido pelo comércio das indulgências. Essa discordância inicial resultou na publicação de suas famosas 95 Teses em 1517, em um contexto de conflito aberto contra o vendedor de indulgências Johann Tetzel. Sua recusa em retratar-se de seus escritos, a pedido do Papa Leão X em 1520 e do imperador Carlos V na Dieta de Worms em 1521, resultou em sua excomunhão da Igreja Romana e em sua condenação como um fora-da-lei pelo imperador do Sacro Império Romano Germânico.

Lutero propôs, com base em sua interpretação das Sagradas Escrituras, especialmente da Epístola de Paulo aos Romanos, que a salvação não poderia ser alcançada pelas boas obras ou por quaisquer méritos humanos, mas tão somente pela fé em Cristo Jesus (sola fide), único salvador dos homens, sendo gratuitamente oferecida por Deus aos homens. Sua teologia desafiou a infalibilidade papal em termos doutrinários, pois defendia que apenas as Escrituras (sola scriptura) seriam fonte confiável de conhecimento da verdade revelada por Deus.Opôs-se ao sacerdotalismo romano (isto é, à consagrada divisão católica entre clérigos e leigos), por considerar todos os cristãos batizados como sacerdotes e santos. Aqueles que se identificaram com os ensinamentos de Lutero acabaram sendo chamados de luteranos.

Em seus últimos anos, Lutero mostrou-se radical em suas propostas contrárias aos judeus alemães, tendo sido inclusive considerado posteriormente um antissemita. Essas e outras de suas afirmações fizeram de Lutero uma figura bastante controversa entre muitos historiadores e estudiosos. Além disso, muito do que foi escrito a seu respeito sofre da reconhecida parcialidade resultante de paixões religiosas.

As citadas 95 teses de Martinho Lutero enfocam vários pontos doutrinários e filosóficos que merecem nossa atenção e leitura. Para lê-las em sua totalidade, clique aqui.

O que foi a Reforma Protestante

A Reforma Protestante foi um movimento reformista cristão culminado no início do século XVI por Martinho Lutero, quando através da publicação de suas 95 teses, em 31 de outubro de 1517 na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, protestou contra diversos pontos da doutrina da Igreja Católica Romana, propondo uma reforma no catolicismo romano. Os princípios fundamentais da Reforma Protestante são conhecidos como os Cinco Solas.

Lutero foi apoiado por vários religiosos e governantes europeus provocando uma revolução religiosa, iniciada na Alemanha, estendendo-se pela Suíça, França, Países Baixos(Holanda) , Reino Unido, Escandinávia e algumas partes do Leste europeu, principalmente os Países Bálticos e a Hungria. A resposta da Igreja Católica Romana foi o movimento conhecido como Contrarreforma ou Reforma Católica, iniciada no Concílio de Trento.

O resultado da Reforma Protestante foi a divisão da chamada Igreja do Ocidente entre os católicos romanos e os reformados ou protestantes, originando o protestantismo.

Como a reforma protestante preparou o mundo para a restauração.

Para aqueles que não estão familiarizados com os termos, reforma e restauração são palavras muito próximas e não raro, são usadas como sinônimos. Mas existe uma grande diferença entre elas.

Quando dizemos reformar, estamos dizendo que queremos algo novo, diferente do antigo. Mas quando dizemos que queremos restaurar, é o mesmo que dizer que queremos exatamente como era antes.

Apesar de ter ficado conhecido como Reforma Protestante, o que Martinho Lutero realmente desejava era uma restauração. Ele discordava das práticas, ensinamentos e costumes aos quais o povo se apegava. Suas 95 teses provam exatamente isso.

De forma semelhante, foi João Calvino, John Wycliffe, William Tyndale,Roger Williams e tantos outros que tentaram trazer de volta a Igreja de Cristo, com as mesmas práticas, costumes, doutrinas e ensinamentos. Porém, a hora não havia chegado  e não era por eles que o trabalho seria realizado.

A Reforma Protestante se deu em 1517 e a Restauração só começou a vir à luz em 1820, ou seja,303 anos depois com a Primeira Visão de Joseph Smith.

Nesses 303 anos que separa a Reforma e a Restauração, grandes esforços foram feitos, grandes lutas foram travadas para trazer a luz e a verdade ao mundo, afinal, como nos ensina o apóstolo João: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:32). De fato, a verdade é libertadora. E há muitos que estão afastados da verdade por não saberem onde encontrá-la.  (Doutrina e Convênio 123:12)

Essa libertação que só nos é possível graças ao conhecimento da verdade precisou aguardar um longo caminho.

Se analisarmos a sociedade como um todo e com isso refletirmos na mentalidade da população, veremos como o Pai Celestial é sábio: Joseph Smith não poderia ter iniciado seu trabalho anos antes, as pessoas não o aceitariam, como um grande número não o aceitou mesmo anos depois. Mas seu destino poderia ter sido mais trágico do que foi, se levarmos em consideração os níveis de condenação na época de Martinho Lutero.

Além da mentalidade limitada da cidade, o conhecimento era muito limitado. A Bíblia, por exemplo, não era um livro que todos tinham acesso, então, muitos nasciam e morriam na ignorância! Em um período que questionar pudesse ser visto como condenação eterna, era de fato necessário, um evento que fizesse com que o mundo abrisse os olhos e caminhasse para a luz.

Muitos ainda não viam a Restauração como algo necessário na época, pois, não tinham acesso aos Escritos Sagrados.

Após a Reforma, os filtros contra o que não era verdadeiro foram aumentando e a capacidade de discernimento, cada vez mais apurada. Enganar já não era uma tarefa tão simples.

Mesmo com muitas reformulações oriundas da Reforma, muitas perguntas continuavam sem respostas e por 303 anos muitos vaguearam no escuro.

Quando Joseph Smith era jovem, ele se via em meio a uma confusão religiosa – havia inúmeras religiões e foi isso que o levou ao orar.

Joseph Smith estava imerso a diversas religiões. Religiões essas que de certa forma, só se originaram a partir da Reforma.

Obviamente, o Senhor teria movido todo o necessário para que a Restauração viesse a luz. E talvez uma forma que Ele encontrou, seja ter colocado Joseph no meio de inquietações religiosas para que ele se visse compelido a orar e consequentemente desencadear todos os fatos seguintes já conhecidos da Restauração. Esse pode ser um dos raciocínios chave para ver a Reforma como um evento que preparou a humanidade para a Restauração do Evangelho.

“Se houver qualquer coisa virtuosa, amável, de boa fama ou louvável, nós a procuraremos.” (13ª Regra de Fé)

“(…) Nos melhores livros buscai palavras de sabedoria; procurai conhecimento, sim, pelo estudo e também pela fé.” (Doutrina e Convênios 88:118)

NOTA:

Esse artigo não expressa uma opinião oficial de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e sim uma opinião da autora. Todas as informações aqui expressas são produto de análises e estudos pessoais.

| Para refletir
Publicado por: Inaê Leandro
Inaê Leandro é estudante de Administração, escritora e foi Jovem Senadora em terceiro lugar por Minas Gerais, no Prêmio Jovem Senador, do Senado Federal. Atua como voluntária no Instituto Oikon e mantém juntamente com amigos, o site suscitare.com.br.
CTM
Novos Presidentes no CTM do Brasil e de Outros Países
perspectiva
Novas Perguntas da Entrevista para Missionários em Perspectiva

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *