Você pode reconhecer Christopher “Topher” Clark como o ator que interpretou Paulo nos vídeos da Bíblia da Igreja. Então, é apenas apropriado que em seu funeral, depois de sua batalha contra a Esclerose Lateral Amiotrófica ou Doença de Lou Gehrig, sua irmã Stephanie Nielson dissesse que ela estava estudando a vida do apóstolo que seu irmão representou.

“No final da vida de Christopher, ele foi testado, ele foi provado, ele estava cansado, ele estava fraco, mas ele também era forte e firme. Ele era um exemplo perfeito de viver como o apóstolo Paulo nos ensina a ser. E de certa forma, Christopher não estava apenas atuando como Paulo para os Vídeos da Bíblia da Igreja, ele estava vivendo a vida e o exemplo de Paulo”, disse Nielson.

Ela então citou o Élder Jeffrey R. Holland, que disse:

“Assim como o Apóstolo Paulo, testifico que aquilo que foi plantado em corrupção será um dia levantado em incorrupção, e o que foi plantado em fraqueza por fim será levantado em poder. Presto testemunho do dia em que nossos entes queridos que sabemos que tiveram deficiências na mortalidade se erguerão diante de nós glorificados e grandiosos, admiravelmente perfeitos em corpo e mente. Que momento assombroso será! Não sei se ficaremos mais felizes por testemunhar esse milagre ou mais felizes por eles, ao vermos que estão plenamente perfeitos e “finalmente livres”.

Nielson, que também passou por desafios físicos depois de ter 80% de seu corpo queimado em um grave acidente de avião em 2008, concluiu seu tributo ao irmão dizendo: “Eu estou tão ansiosa para o dia em que eu serei capaz de dobrar meus dedos e Christopher será capaz de esticar os seus. Jesus é o Cristo. Ele ressuscitou, Ele é o nosso Salvador e o nosso Redentor e tudo ficará bem quando Ele voltar. Eu sei disso.”

O obituário de Clark, publicado após sua morte no dia 5 de junho de 2020, destaca a importância de sua fé, contando sobre sua missão de tempo integral na Finlândia e como “ele voltou para casa com um amor pela Escandinávia e teve muitas experiências que moldaram a forma como ele viveu e serviu pelo resto de sua vida.”

Também conta sobre a devoção de Clark para com sua esposa e filhos: “Christopher era um pai divertido; ele cantava para seus filhos e fazia lip syncs muito engraçados com eles (ele levava muito a sério). Ele constantemente os apresentava a diferentes tipos de música e os levou a shows, filmes e peças de teatro para mostrar-lhes todas as coisas bonitas da vida. Ele encorajou seus filhos a encontrar atividades que expressassem sua criatividade e os encorajou a trabalhar duro e ajudar sua mãe. Ele os guiou com sabedoria a partir de sua experiência e contou histórias engraçadas. Ele lhes deu bênçãos do sacerdócio e lhes ensinou o evangelho de Cristo por meio de seu exemplo e ao interpretar o Apóstolo Paulo nas telas (e fora delas). Ele insistia em ter férias anuais em família, domingos tranquilos, uma bela grama verde no quintal.”

O falecimento de Clark teve um impacto significativo e deixou um buraco nos corações daqueles que o amavam, muitos dos quais são rostos conhecidos na comunidade Santo dos Últimos Dias e no mundo em geral. Sua esposa, Lisa Valentine Clark, é mais conhecida por seu trabalho com comédia, frequentemente aparecendo em comerciais e como a apresentadora da Rádio BYU com o programa The Lisa Show. Os dois se casaram no Templo de Salt Lake em 3 de junho de 1995.

O irmão de Lisa, James Valentine, guitarrista do Maroon 5, escreveu no Instagram: “Christopher Clark comemorou seu 25º aniversário de casamento com minha irmã Lisa na semana passada. A esclerose lateral amiotrófica é uma das piores doenças, mas ele lidou com ela com calma, coragem e graça. Quase escrevi “ele terminou sua batalha” com a esclerose, mas nunca me pareceu uma batalha. Ele abnegadamente fez as pazes com o diagnóstico terminal. Estava sempre mais preocupado com o bem-estar de Lisa e das crianças do que com o seu próprio.”

View this post on Instagram

We lost a great one. Christopher Clark celebrated his 25th wedding anniversary with my sister Lisa just last week. ALS is one of the worst diseases, but he handled it with quiet courage and grace. I almost typed “he ended his battle” with ALS, but it never seemed like a battle. He selflessly made peace with the terminal diagnosis. He was always more concerned with Lisa and the kid’s welfare than his own. Topher was an national award winning director who established the Theater department at Utah Valley University. He was an expert on Shakespeare and an excellent pianist. He spoke Finnish, from his time as a missionary. He was hilarious and truly a joy to be around. Most importantly he was a loving husband to my sister and an incredible father to Miles, Owen, Phoebe, Hugh and Margaret. He leaves behind a huge legacy with all of the students whose lives he impacted. I don’t know how many times I’ve met his former students who told me he was their favorite professor. He was there to help his students beyond the classroom too. We’re hearing story after story about how his caring and real attention altered the course of students lives. If you knew him at all this wouldn’t surprise you. My favorite memories will be the times he visited Los Angeles for theater conferences and and I got him all to myself (we have a very big family). We’d go to movies, talk about music (he was always more up on new music than I was). We’d see his friends in LA that he had taught or studied with, he always surrounded by so many friends. Seeing him with his Theater community, you got the sense that everyone felt like he was a very close friend. My friends and band mates all loved him: there’s a way someone’s face lights up when they talk about certain people and bringing up Topher’s name had that effect. It’s a real bummer we can’t give Topher the huge memorial service he deserves right now because of covid, but until that can happen I’m loving hearing everyone’s memories here online. Thank you to everyone who has reached out to the family. Well roared, Lion

A post shared by James Valentine (@jamesbvalentine) on

A autora Emily Belle Freeman prestou homenagem a Clark, bem como à história de amor do casal em um post no Instagram.

“É assim que eles amavam na vida. Não só um ao outro. O mundo. E todas as pessoas nele”, Freeman escreveu sobre Lisa e Christopher. “São pessoas que amam corajosamente de uma forma que não requer palavras. O amor deles não conhece limites. Perdemos o @topher_clark ontem para a esclerose, mas não perdemos a memória do seu amor e de como tocou a todos. Ponderar sobre sua vida me encheu de um desejo de amar cada vez melhor. De expressar a minha devoção. De me lembrar a amar fora das linhas, em todos os lugares. A nossa última conversa foi centrada na graça. Talvez tenha sido a sua compreensão da graça que lhe permitiu amar tão bem.”

View this post on Instagram

I will remember this standing ovation for as long as I live. . . We asked @topher_clark to speak at the Jubilee in 2019. His topic was loving outside the lines. Because of ALS he had to write his entire talk on a small screen using his eyes to choose every single letter. It took hours and hours to write enough words to fill twenty minutes. His wife @yourfunnyvalentine read the message to us that night. . . A discourse on love. . . I don’t know which was more powerful —her sharing his words, or him watching her with proud devotion in his eyes. . . Theirs is a love story I have always admired…but it was more than just those twenty minutes on stage. . . It is the way they loved in life. Not just each other. The world. And all the people in it. They are people who love boldly in a way that doesn’t require words. . . Their love knows no boundaries. . . We lost @topher_clark yesterday to ALS, but we did not lose the memory of his love and how it touched every one of us. . . Pondering his life has filled me with a desire to love better and bigger. To express my devotion. To remember to love outside the lines everywhere. . . Our last conversation was centered on grace. Perhaps it was his understanding of grace that allowed him to love so well. . . Like Jesus. . . I don’t have enough words to express my deep respect for this great man or his wife. But I will say this, before you leave this post, zoom in and look closely at their faces in the moment when this standing ovation of their life was taking place. . . See that devotion? . . That, right there, is a discourse on love. . . @topher_clark you are one of my favorites of all of Gods creations, and I’m so grateful my path crossed yours. I am better for it.

A post shared by Emily Belle Freeman (@emilybellefreeman) on

E ainda, com todas as palavras que foram ditas sobre o gigante que foi chamado de “leão” por aqueles que o amavam mais, o último post de Clark no Instagram compartilhado apenas três semanas atrás pode capturar melhor a vida altruísta que ele viveu com humor e graça.

“Pessoal, hoje é o aniversário da Lisa e ela está bem boazinha e cumprindo o distanciamento social para me manter vivo,” escreveu ele. “Se tiver um tempinho, escreva um bilhetinho para ela e coloque na nossa janela. Se precisar do nosso endereço, me manda uma mensagem no privado. Ela não pode ver isto porque eu a bloqueei no Instagram.”

Fonte: LDS Living

Relacionado:

A Igreja de Jesus Cristo doa quase 6 milhões de máscaras em 6 semanas