A Igreja de Jesus Cristo e a Igreja Greco-Católica se unem para alimentar refugiados na Síria

Refugiados famintos na Síria estão recebendo alimentos de uma forma inovadora, graças a um esforço colaborativo entre a Igreja Greco-Católica e os Serviços de Caridade de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

O conflito armado na região deslocou milhões de pessoas e a escassez de alimentos causou grande sofrimento. Agora, uma padaria portátil que pode ser movida para fornecer pão fresco  alimenta dezenas de milhares de pessoas todos os dias.

Um trabalho em conjunto com a Igreja Greco-Católica

Mike e Liz Freckleton, representantes dos Serviços de Caridade Santos dos Últimos Dias, descreveram os esforços para criar a padaria:

“Nossa grande amiga, Madre Agnes, abade de um mosteiro sírio, trabalha há anos para ajudar o povo sírio envolvido em uma guerra civil. Ela não teve medo de entrar em áreas de conflito armado para ministrar às pessoas deslocadas. Mas essas pessoas precisavam de comida, especialmente pão, e transportar pão fresco através das zonas de batalha pode ser extremamente perigoso. O que a Madre Agnes precisava era de uma maneira de assar e distribuir pão em áreas isoladas por confrontos”.

Quando a Madre Agnes descreveu essa necessidade ao casal Freckleton, eles começaram a pensar e orar sobre os desafios. “Nós simplesmente sentimos que o Senhor abriria um caminho”, disse Mike.

Refugiados en Siria - ayuda la Iglesia de Jesucristo

Mike Freckleton é um radiologista aposentado e Liz uma ex-terapeuta ocupacional. Eles podem não ter habilidades específicas para criar o maquinário necessário, mas organizaram eventos e se reuniram com a Madre Agnes frequentemente, que trouxe Abdo al Haddad para a conversa. Ele pertence a uma família de padeiros que estão na profissão há séculos, e também sentia a mesma preocupação com seu povo sírio e com o sofrimento daqueles que não têm comida suficiente.

Uma padaria muito incomum

Houve uma série de desafios para ser resolvidos. Uma padaria assim nunca tinha sido construída, e o espaço limitado exigia um design inovador. Um requisito adicional era que a padaria fosse tão totalmente automatizada que uma pessoa fosse suficiente para fazê-la funcionar.

“Nós nos reunimos muitas vezes”, disse Liz Freckleton, “e no fim, as coisas se encaixaram. As portas se abriram de maneiras que nunca teríamos esperado”.

Orações respondidas

Em um tempo milagrosamente curto, quatro meses, os rabiscos em um caderno se transformaram em uma padaria automatizada encaixada dentro de um contêiner de transporte padrão. O design incluía uma batedeira para misturar os ingredientes, bem como um sistema de correia transportadora para cortar a massa, moldar, deixar crescer, assar e, finalmente, deixar o pão cair nas mãos dos operadores que esperavam.

As peças foram desenvolvidas no Egito e enviadas para o Líbano para montagem. A padaria estava pronta para ser transportada para a Síria, mas os regulamentos governamentais e as leis alfandegárias precisavam ser cumpridos e a interseção de várias agências e ministérios nacionais e internacionais precisava ser coordenada.

“Nossas orações continuaram a ser respondidas”, explicaram o casal Freckleton. “Todas as complicações foram resolvidas mais rápido do que pensávamos ser possível.”

Refugiados en Siria - ayuda la Iglesia de Jesucristo

O apoio do governo sírio

O governo sírio concordou em proteger o equipamento e pagar pelos ingredientes usados para reabastecer a padaria. Mas, em seguida, o início da pandemia de COVID-19 adicionou novos requisitos de segurança. Ainda assim, a padaria móvel agora está servindo acampamentos no nordeste da Síria, com capacidade para produzir até 120 mil pedaços de pão árabe em um período de 24 horas. Isso não é um erro de digitação: cento e vinte mil pedaços em um dia.

A padaria é um sistema turnkey que pode ser instalado em uma área de necessidade em poucas horas e o pão fresco sai da correia transportadora apenas duas horas depois. Mais duas padarias móveis já foram construídas e em breve estarão em operação no Líbano, outro país que atualmente precisa desesperadamente de ajuda humanitária. Essas padarias podem produzir muitas variedades de pão preferido localmente, desde pão achatado até pães levedados.

A Madre Agnes está feliz com o sucesso do programa e espera que ele continue.

“Agradecemos de todo o coração à Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias por todo o seu apoio para conceber e executar a padaria automática móvel”, disse ele. “Esperamos ter mais de um para poder cobrir todas as necessidades de todas as pessoas que morrem de fome na Síria e talvez em outros lugares.”

O casal Freckleton disse que foi uma honra trabalhar junto com a Madre Agnes e as outras pessoas que estavam envolvidas.

“Foi uma experiência maravilhosa trabalhar com pessoas tão dedicadas”, disse Mike. “Sentimos o poder do Senhor em tudo o que fazíamos”.

Fonte: Newsroom

| Notícias

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *