Carta de um pai para uma missionária saindo em missão

Nesta semana completam exatamente 25 anos que eu disse adeus a minha família. Entrei no Centro de Treinamento Missionário em Provo, para começar uma missão pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Eu estava confiante porém muito nervoso. Pronto para o que veria no mundo exterior, mas totalmente aterrorizado sobre o que ele continha.

Eu tinha um testemunho do evangelho de Jesus Cristo, testemunho este que  ainda era completamente imaturo.

Eu estava indo para o  Brasil – Belo Horizonte, para ser mais exato – provavelmente, como outros jovens missionários indo para este país, tive que esperar em algum lugar dos Estados Unidos, até que meu visto fosse aprovado.

Eu tinha duas malas, roupas limpas e passadas,  e uma  combinação nova de escrituras.

O que eu não tinha  e desesperadamente desejava, era uma carta escrita por meu pai. Ele havia falecido há três anos,  embora meus irmãos tenham preenchido lindamente o seu lugar, eu ainda ansiava por uma conversa final olhando para ele. Mais do que isso, queria olhar para Deus e saber que estava sendo aprovado por Ele.

Isso foi em julho de 1990.

Essa semana 25 anos mais tarde, minha família está dizendo adeus para minha filha  mais velha, Oakli. Ela está entrando no Centro de Treinamento Missionário em Provo, para também começar uma missão pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Ela está confiante porém muito nervosa. Pronta para o que verá no mundo exterior, mas, totalmente aterrorizada sobre o que ele contém.

Ela tem um testemunho do evangelho de Jesus Cristo. Embora seu testemunho possa crescer, ele é muito menos imaturo do que o meu era em 1990.

Ela está  indo para o  Brasil – Florianópolis, para ser mais exato – provavelmente, como outros jovens missionários indo para este país, ela terá que esperar em algum lugar dos Estados Unidos, até que seu visto seja aprovado.

Ela tem  duas malas, roupas limpas e passadas,  e um novo conjunto de escrituras.

Um pai fala a sua filha que está saindo em missão. (imagem via deseret News)

Ela recebeu uma coisa que talvez  não quisesse, mas que teve que aceitá-la de qualquer jeito – uma carta de seu pai.

Fazendo uma referência ao meu bom amigo Seth Adam Smith, autor do esmagador sucesso “Marriage Isn´t for You” ( Casamento não é para você), eu diria:

“Ei! Minha filha, o que você pensa? A missão não é para você”

Sim, porque o Senhor te ama Ele irá te beneficiar em maneiras que você jamais reconheceu até agora, maneiras infinitas. Você adquirirá novas habilidades e ajudará a outros de uma maneira que nem mesmo você sabia.

Você se tornará mais convertida e voltada para esta fantástica força do bem. Crescimento pessoal, nos passos ao longo da jornada da conversão, virão como um subproduto de servi-Lo.

Nunca se esqueça  que o nome na parte inferior da sua plaqueta é mais importante que o nome na parte superior.

Me sinto feliz que tenha decidido servir ao Senhor. Não porque eu poderia ficar desapontado se você não o fizesse,  mas porque você meditou, orou e ouviu.

Quando o espírito te convidou  a servir,  você disse, sim!

O que mais um pai poderia pedir ao Senhor?

pessoa orando sobre escritura - oração é parte importante do Jejum

Palavras de um pai para sua filha que estava saindo em missão

Se você tivesse seguido o mesmo padrão de descoberta espiritual e não decidisse fazer uma missão para o Senhor, eu ficaria igualmente feliz.

Eu espero que você saiba que o caminho a sua volta vai ser o mais difícil que você jamais caminhou. Não importa quantas vezes eu diga isso  a você, ou quão frequentemente você ouviu histórias de seus primos, tios ou líderes da igreja e professores. Você simplesmente não sabe a dor de cabeça que te espera.

Desconhecidos se tornarão seus melhores amigos mais rápido do que o que você possa dizer o nome completo da igreja a que representa.

Eles irão convidá-la para entrar em suas casas. Eles irão te ouvir, orar com você e te dar suas últimas migalhas de pão. Então, porque eles são abençoados com a mesma liberdade que você,  irão te pedir pra não voltar. As lágrimas inundarão os seus olhos antes que a porta se feche atrás de você.

Não lute contra isso. Deixe esses sentimentos atuarem sobre você, em torno de você e através de você.

É bom se sentir desapontado ou mesmo devastado quando aqueles que você ensina decidem se distanciar. Mas, ainda quando as visitas param, ainda quando você já não bate mais em suas portas, você continua tocando os seus corações.

Ore por eles. Jejue por eles. Nunca perca sua esperança de que um dia, um outro missionário como você irá visitá-los, sentar-se em seu sofá e testificar que a verdade foi restaurada. É necessário apenas uma faísca para reacender o fogo do que é justo.

Por falar em oração, invista muitas delas em suas companheiras. Elas serão diferentes de você, mas não menos maravilhosas. Algumas serão mais experientes que você e outras menos. Algumas mais confiantes e outras podem estar lutando para adquirir essa confiança. Muitas irão ensinar com grande poder e autoridade, outras de uma maneira suave e com uma voz humilde.

Comemore e abrace todas as diferenças. Deus nos deu a todos nós, diferentes talentos e todos têm setas que nos apontam a Ele, ainda que não sejamos capaz de vê-lo.

Ame a todos. Sirva-lhes infinitamente. Coloque o Salvador em primeiro lugar e a sua companheira em segundo. Faça isso e você nunca será esquecida ou deixada para trás por qualquer um.

Seja você mesma. É comum ter a percepção errada de que os missionários são robôs e devem se tornar algo que está escrito em um manual. Mesmo que esteja saindo em missão você ainda é você.

professora visitante

O que poderia dizer o pai de uma missionária saindo em missão?

Você ainda tem uma personalidade única, assim como as diversas personalidades que terão as suas companheiras, existe uma razão pela qual você se conecta com certas pessoas e elas se conectam umas com as outras.

Seja você mesma, mas a melhor versão de si mesmo que seja possível. Seja você mesma e acredite que o  Espírito Santo irá relembrá-los dos relacionamentos que tiveram antes de passar pelo véu do esquecimento.

Trate a cada missionário como se ele fosse o melhor que você jamais conheceu. Presuma o melhor. Corra das fofocas, elas são a pior praga que você jamais poderia imaginar.

Seja obediente – em todos os lugares e em todas as coisas. Esta é a primeira lei do céu, é também a primeira lei da missão.

saindo em missão

Palavras de um pai para sua filha saindo em missão

Pregar Meu Evangelho“, nos diz que o propósito dos missionários é “convidar as pessoas a achegarem-se a Cristo, ajudando-as a receber o evangelho restaurado por meio da fé em Jesus Cristo e sua expiação, do arrependimento, do batismo de se receber o dom do espírito santo e de se perseverar até o fim”. (P.M.E. pg. 1).

Lembre-se da primeira palavra: convidar, convidar e então convidar alguns mais.

Não! A missão não é para você. É por aqueles que ainda não fizeram um convênio batismal de seguir a Cristo. É para as pessoas que estão esperando em todas as missões ao redor do mundo, para serem ensinadas nos próximos cinco anos, por pessoas que você ainda nem conhece. Isso não é um milagre?

Não! A missão não é para você. A missão é para o Senhor.

Filha, eu amo você. Meu desejo era que você pudesse saber o quanto. O amor que os pais têm por um filho é impossível de se descrever porque simplesmente não existem palavras para isso. Ou não, talvez existam e Deus apenas ainda não nos tenha as revelado ainda.

Agora receba isso e vá! A missão Dele está te esperando.


Original em Deseret News.