Então… isso aconteceu recentemente num domingo e foi uma das coisas mais inspiradoras que ouvi na Igreja. O que relatarei me fez refletir sobre o que sei ser verdadeiro ou acredito ser verdadeiro ou tenho fé que seja.

Eu estava em uma classe de preparação missionária com cerca de 20 sacerdotes e lauréis. A quase um metro de mim estava um jovem no corredor, um recém converso da Igreja em nossa estaca.

O tema da aula de preparação missionária era a importância do Livro de Mórmon nas lições missionárias. O professor fez uma pergunta sobre como testificar sobre o Livro de Mórmon. Esse jovem sentado ali perto sutilmente levantou a mão para compartilhar alguns pensamentos.

O que aconteceu em seguida deixou a classe em silêncio e admiração.

esperanças em Cristo

Declaração de um recém-converso sobre o Livro de Mórmon ser verdadeiro

“Eu não sei se o Livro de Mórmon é verdadeiro ou não. Não faz muito tempo que sou membro”, disse o jovem.

“Não posso dizer que ‘sei’ que o Livro de Mórmon é verdadeiro, mas eu acredito que o livro é verdadeiro. O que eu sei é que quando eu leio esse livro, eu tenho um dia melhor e sou uma pessoa melhor.”

Fiquei ali sentado atônito. Parecia que nós todos sentados ali estávamos atônitos. A honestidade crua e a vulnerabilidade mexeu com nosso âmago. A humildade de admitir… “Olha eu não sei muitas coisas… mas eu estou buscando mais luz e conhecimento. O que sei é que eu sou melhor quando eu leio esse livro e vivo seus ensinamentos.”

Poxa, precisamos de mais pessoas assim no mundo.

Ele não estava preocupado com o que seus colegas poderiam pensar. Ele não estava tentando se encaixar na multidão ou manter o status quo. Seu humilde testemunho poderia ter sido diferente do que 99% das outras pessoas na sala. Mas era o testemunho dele e era poderoso.

Como recém-converso, ele era o mais inexperiente com o jargão, a cultura e expectativas da Igreja. Mas lá estava ele com uma fé tão forte que quase me levou às lágrimas.

Parece que tudo que ouvimos é que quase todo mundo “sabe sem sombra de dúvida” e “com cada fibra do seu ser” que o Livro de Mórmon é a palavra de Deus e a Igreja é verdadeira. Ouvimos crianças de 3-4 anos de idade levantar na sacramental e dizer que “sabem”. Ora, se eles sabem, então há algo errado comigo por não saber? Pode ser tentador simplesmente seguir o exemplo e regurgitar outros testemunhos.

Palavras de um apóstolo

Mas não precisa ser assim. Enquanto aquele jovem estava falando, imediatamente lembrei-me das palavras do Élder Holland quando ele compartilhou:

“Um rapaz de 14 anos me disse recentemente, com certa hesitação: ‘Irmão Holland, não posso dizer ainda que sei que a Igreja é verdadeira, mas creio que é’. Abracei aquele menino com toda a força. Disse-lhe com todo o fervor de minha alma que crer é uma palavra preciosa, um ato ainda mais precioso, e que ele nunca deve se desculpar por ‘apenas crer’. Eu lhe disse que o próprio Cristo declarou: ‘Não temas, crê somente’ — uma frase que levou o jovem Gordon B. Hinckley para o campo missionário. 13 Eu disse àquele rapaz que crer sempre foi o primeiro passo rumo à convicção e que as regras de nossa fé coletiva começa com a palavra “Cremos”. Eu lhe disse o quanto me sentia orgulhoso dele pela sinceridade de sua jornada.”

A lição aprendida

A honestidade daquele rapaz permitirá que ele encontre um terreno comum com muitas pessoas que estão na mesma situação. Há poder no conceito de crença, esperança, fé e caridade. Mas às vezes esses conceitos são enterrados com as palavras “Eu sei”. Raramente ouvimos as palavras, “Espero” ou “Tenho fé”, que isso e aquilo vão acontecer. As pessoas podem considerar que você “não está se esforçando para ter um testemunho” se disser algo assim.

“Você só acredita? Por que você não sabe? Ore mais fervorosamente…”

Não há nada de errado em crer

Ter uma esperança ardente por algo é o principal condutor da fé. Suas ações refletem sua fé… mas não necessariamente o seu conhecimento sobre algo. Foi a forte crença de Néfi, sua esperança persistente e fé dedicada que o levou a guardar os mandamentos. Não foi seu conhecimento que o fez prosseguir… e ele tinha de sobra. Por outro lado, Lamã e Lemuel tinham muito conhecimento, mas faltava-lhes o desejo de acreditar nas coisas que tinham aprendido. Foi isso que causou sua queda.

Esse mesmo exemplo poderia ser comparado a muitos apóstolos antigos e modernos. Você é necessário ter um conhecimento perfeito das coisas para ser um discípulo de Cristo. É o desejo de acreditar que opera a mudança.

Exemplos da vida real

Conheço muitas pessoas que não frequentam mais a Igreja, mas que rapidamente diriam que “sabem” que o evangelho é verdadeiro. Sério? Parece contra-intuitivo, mas essas pessoas seriam muito melhores se acreditassem no evangelho. Então sua esperança os levaria a exercer fé nas promessas associado a ser um membro ativo no plano de evangelho.

Não estou a dizer que algumas pessoas são melhores que outras. Algumas pessoas “sabem” e outras não. Algumas pessoas acreditam e têm esperança e outras não. Só estou tentando dizer que aquele jovem me inspirou por sua honestidade e sua busca para obter um testemunho mais forte ao crer primeiro.

Escrito por Greg Trimble e traduzido por Luciana Fiallo Alves

Fonte: www.gregtrimble.com

Relacionado:

O Que Aprendi Quando um Estranho Chamou o Livro de Mórmon de “Lixo”