7 maneiras que a Bíblia profetiza sobre o Livro de Mórmon

O texto a seguir é um trecho do livro “A Case for the Book of Mormon”, escrito por Tad Callister.

Há muitos anos, alguém me perguntou: “Se o Livro de Mórmon contém um testemunho tão importante do Salvador, porque não há profecias que mencionam o Livro de Mórmon na Bíblia?”

Eu respondi: “Como Jesus Cristo é nosso Salvador – e o alicerce do cristianismo – eu suponho que Ele seu nome deveria ter sido profetizado no Velho Testamento.”

“Ele é,” o homem respondeu.

Então eu perguntei: “Você poderia achar o nome de Jesus Cristo especificamente citado no Velho Testamento?”

Ele respondeu: “Bem, o Velho Testamento não menciona o nome de Jesus Cristo especificamente, eu admito, mas ele profetiza Dele em uma maneira tão óbvia que qualquer pessoa com bom senso sabe que as profecias se referem a Jesus Cristo.”

Ele está certo, o Velho Testamento não menciona Jesus Cristo pelo Seu nome, mas profetiza Dele de uma maneira tão específica que faz possível identificá-lo.

Por exemplo, o Velho Testamento testificar que Ele nasceria em Belém (Miqueias 5:2), de uma virgem (Isaías 7:14), que Ele sofreria os pecados do mundo (Isaías 53:3-5), e que ele seria crucificado (Salmos 22:15-18).

Mas mesmo com todas essas referencias específicas, muitas pessoas no meridiano dos tempos, senão a maioria, não conseguiu aceitar que Jesus Cristo fosse o cumprimento literal dessas profecias. Contudo, as profecias deviam ser discernidas espiritualmente.

Essa situação também aplica-se ao Livro de Mórmon. A Bíblia profetiza de sua existência, não por meio de seu nome, mas sim por meio de eventos e descrições que são suficientemente claras para que qualquer pesquisador sincero da verdade que está familiarizado com o Livro de Mórmon pode discernir.

Quais são, então, estas profecias?

Mosaico com as doze tribos de israel

“Seus ramos correm sobre o muro.“

Jacó, também conhecido como Israel, tinha 12 filhos, e seus descendentes são conhecidos como a Casa de Israel. Um de seus filhos, José, que herdou a primogenitura (I Crônicas 5:1-2), teve dois filhos, Efraim e Manassés.

Leí era descendente de Manassés (Alma 10:3), e Ismael (que acompanhou Leí até as Américas) era um descendente de Efraim. Portanto, as duas famílias que compuseram a primeira geração da nação nefita-lamanita eram descendentes diretos de José (1 Néfi 6:2; 3 Néfi 10:17).

Por que isso é importante? Porque a Bíblia profetiza que os descendentes de José – Leí, Ismael e até mesmo outros (3 Néfi 10:17) – partiriam de sua terra natal, Jerusalém, atravessariam o oceano, chegariam em uma terra abençoada, teriam uma grande posteridade e registrariam sua história em um livro que seria dado ao não instruído.

Este livro surgiria em nossos dias para ser um outro testemunho de Jesus Cristo.

lamanitas

“Esta preciosa terra de promissão”

Genesis 49:22–26 mencionada José como um “ramo frutífero” e clama que certos “ramos”, ou descendentes de José, no qual incluem Leí e Ismael (1 Néfi 15:12; 2 Néfi 10:22), atravessariam o “muro”— provavelmente se referindo ao oceano (que era uma barreira para as pessoas), e que eles chegariam em uma terra abençoada (Deuteronômio 33:13), a qual seria a terra de sua herança (3 Néfi 15:12–13; 3 Néfi 16:16). Estes descendentes de José seriam abençoados com “bênçãos dos seios e da madre.” (Genesis 49:25), que significa que eles teriam uma grande posteridade, que é evidente nas populosas nações nefitas e lamanitas.

O livro de Deuteronômio mais tarde descreve esta terra prometida, que os descendentes de José iriam herdar, como “preciosa” em cinco ocasiões diferentes (Deuteronômio 3:13–16). Qual outra terra seria sua herança senão a terra preciosa das Américas, na qual foi mencionada por Leí como uma “preciosa terra de promissão” (2 Néfi 1:10; Éter 2:7–12).

Se os nefitas e lamanitas não são os descendentes de José mencionados na profecia, e a terra preciosa não são as Américas, então onde estão os descendentes de José que atravessaram o oceano, a sua grande posteridade e seu preciosa terra de herança mencionados em Gênesis 49:22–26 e Deuteronômio 33:13–16?

placas de ouro

“Falarás desde debaixo da terra,”

Mas há ainda mais. Isaías falou de um povo que, como o povo de Jerusalem (Isaías 29:2), teria um inimigo cercado por um “acampamento” e sitiado “com baluartes” e com “fortalezas” levantadas contra ele (Isaías 29:3). Quem é este povo que se sofreu destruição semelhante a Jerusalém?

Néfi deu a resposta. Ele usa uma frase semelhante a Isaías para descrever a destruição do próprio povo:

“… depois que o Senhor Deus os houver cercado com o seu arraial, e sitiado com baluartes, e levantado fortalezas contra eles; e depois de haverem sido lançados no pó até deixarem de existir, as palavras dos justos ainda serão escritas…” (2 Néfi 26:15)

Além disso, Isaías mencionou que a voz deste povo “falarás desde debaixo da terra,”, que significa que seus registros surgiriam da terra. Isaías então referiu-se à esses registros como um “livro,” que seria entregue “ao que não sabe ler” (Isaías 29:1-12).

Que descrição apropriada do Livro de Mórmon! Os nefitas foram destruídos, como profetizado, e seu povo sussurraram do pó por meio das placas de outro que foram enterradas (2 Néfi 26:16; Mórmon 8:26). E estas placas foram entregues à alguém quer não era instruído, ou seja, Joseph Smith.

“Um campo fértil?”

Isaías também profetizou sobre um livro que surgiria quando “se converterá o Líbano, num breve momento, em campo fértil? e o campo fértil não se reputará por um bosque?” ( Isaías 29:17 ). O que é o Líbano, e ele já se tornou em um campo fértil e estimado como um bosque? E qual é o livro que deve surgir nesse período de tempo? O Líbano é uma cadeia montanhosa; como explicado por um estudioso da Bíblia, ele é “mencionado nove vezes na Bíblia como parte da Terra Prometida [Israel] ou a fronteira do norte da Terra Prometida”. (Horn, “Lebanon in the Holy Scriptures.”)

Alguns anos atrás, viajei para a Terra Santa. Como eu tinha conhecimento da devastação que havia ocorrido durante o domínio otomano, fiquei surpreso ao ver o número de árvores que cobriam as encostas das montanhas. Perguntei ao nosso guia como isso era possível. Ele disse que a partir de 1900, os israelenses haviam plantado mais de 100 milhões de árvores em Israel. Por anos eu pensei que esse número fosse um exagero, então eu pesquisei, e para minha surpresa eu aprendi que mais de 250 milhões de árvores foram plantadas desde 1901. Desta forma, Israel (Líbano) se tornou e está se tornando atualmente, uma floresta, como profetizado por Isaías. Como Isaías disse: “E naquele adia os surdos ouvirão as palavras do livro, e dentre a escuridão e dentre as trevas as verão os olhos dos cegos.” ( Isaías 29:18). O Livro de Mórmon s encaixa com os requisitos dessa profecia perfeitamente. Ele restaurou muitas das verdades claras e preciosas perdidas da Bíblia e assim ajudou os espiritualmente surdos e cegos a ouvir e ver mais uma vez.

biblia

A vara de Judá e a vara de José”

Não é à toa que Ezequiel profetizou que a vara de Judá (que significa o registro dos judeus, conhecido como a Bíblia) e a vara de José (que significa o registro dos descendentes de José, conhecido como o Livro de Mórmon) serão unidos em uma vara ou livro. “E elas se farão uma só na minha mão.” (ver Ezequiel 37:17) – em essência, testemunhas complementares de Jesus Cristo. O Senhor nos diz ainda que esses dois livros “serão unidos, confundindo falsas doutrinas … e elevando-os nos últimos dias a conhecerem seus pais e também meus convênios…” (2 Néfi 3:12). O Livro de Mórmon também é consistente com a lei das testemunhas, conforme ensinada por Paulo: “Pela boca de duas ou três testemunhas será confirmada toda palavra.” (2 Coríntios 13:1). A Bíblia é uma testemunha de Jesus Cristo, o Livro de Mórmon é uma segunda testemunha. Os registros das 10 tribos perdidas, que ainda serão revelados, será pelo menos mais uma testemunha (2 Néfi 29:13 ).

“Outras Ovelhas”

No Novo Testamento, Cristo referiu-se ao povo do Livro de Mórmon quando falou a Seus discípulos em Jerusalém:

“Ainda tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me convém conduzir estas, e elas ouvirão a minha voz, e haverá um rebanho e um pastor.” ( João 10:16 ).

Quem eram essas outras ovelhas que Cristo visitaria? Como cumprimento parcial parcial dessa profecia, o Salvador ressuscitado apareceu aos nefitas, que ouviram a voz e se tornaram parte de Seu rebanho, exatamente como profetizado (3 Néfi 15:21–24).

“A primogenitura foi de José”

As profecias do Livro de Mórmon são confirmadas pelo fato de que Judá, filho de Jacó, recebeu grandes bênçãos, “porém a primogenitura foi de José” (1 Crônicas 5:2). Isso se torna significativo quando se percebe que Judá recebeu as seguintes bênçãos:

· Uma grande posteridade – o povo judeu · Uma terra prometida – o país de Israel · O Salvador – nascido da linhagem de Judá · Um livro – a Bíblia, que é o registro do relacionamento de Deus com a casa de Israel, particularmente os judeus, e o ministério de Cristo entre eles. José, que recebeu o direito de primogenitura, recebeu bênçãos iguais ou até mesmo maiores do que às de Judá:

· Uma grande posteridade – as civilizações nefita e lamanita · Uma terra prometida – as Américas · O Salvador – que visitou pessoalmente os descendentes de José e guiou seus profetas escolhidos · Um livro – o Livro de Mórmon, que é o registro do relacionamento de Deus com os descendentes de José nas Américas e o ministério pessoal do Cristo ressuscitado entre eles. Então, assim como o Salvador foi profetizado na Bíblia – não pelo nome, mas por eventos e descrições – o Livro de Mórmon foi também profetizado na Bíblia – não por nome, mas por eventos e descrições. Para aqueles que estão familiarizados com o Livro de Mórmon, essas profecias são claras e convincentes.

Alguns podem alegar que Joseph Smith escreveu o Livro de Mórmon de modo a parecer que era um cumprimento das escrituras anteriores. Se esse é o caso, esse garoto sem estudos teria se tornado o escritor mais esperto e brilhante de todas as épocas, tendo lido todos os livros mencionados nos capítulos anteriores e se tornado um mestre escriturístico aos 23 anos de idade.

Mas, o que mais importa é, se essas escrituras bíblicas não se aplicam ao Livro de Mórmon, então elas se referem a qual povo e a qual livro?

Esta é uma tradução do artigo publicado originalmente no site ldsliving.com com o título “7 Ways the Bible Prophesies of the Book of Mormon”.

Relacionado:

Por que o Livro de Mórmon fala tanto de Jesus Cristo?

| Livro de Mórmon, Recomendado

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *