O Livro de Mórmon e a Bíblia: qual é o melhor?

Falsas ideias são ensinadas a respeito da crença sud entre o Livro de Mórmon e a Bíblia. O mito de que os mórmons não acreditam na Bíblia não é algo moderno. Desde os primeiros anos da igreja este falso pensamento vem sendo difundido. A intensidade do problema, levou o profeta Joseph Smith a se pronunciar sobre o assunto e escrever 13 artigos que ficaram conhecidos como “Regras de Fé”. São semelhantes em relevância ao Decálogo Judaíco-Cristão e ao Credo niceno Católico. A oitava regra de fé diz:

Cremos ser a Bíblia a palavra de Deus, desde que esteja traduzida corretamente, também cremos ser o Livro de Mórmon a palavra de Deus (Peróla de Grande Valor, pg. 70)

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias possui portanto,  um conjunto de “obras-padrão” ou “cânon”. Um cânon é uma coleção de livros declarados autênticos e reconhecidos como sagrados. Sendo estes os livros canônicos o Velho Testamento, o Novo Testamento, o Livro de Mórmon, Doutrina e Convênios e Peróla de Grande Valor. Os escritos dos profetas modernos que são proferidos em reuniões semestrais conhecidas como Conferência Geral, também são escrituras. Todos estes escritos se equiparam em valor e relevância para os mórmons.

Bíblia

biblia

Primeira compilação da Bíblia

A Bíblia foi originalmente escrita em hebraíco e estima-se que sua primeira tradução tenha sido feito ainda na Idade Antiga quando durante o primeiro exílio na Babilônia o aramaico passou a ser o idioma dos judeus. Esta primeira tradução, continha apenas os 5 primeiros livros do Antigo Testamento que era chamado de Torá. Depois disso, a Bíblia foi traduzida para o grego.

Durante a Idade Média as traduções foram desencorajadas e a Bíblia voltou a ser compilada somente no início da Idade Moderna. Quando se trata da língua portuguesa,  o que se observa é que a tradição cristã primeiro se estabeleceu por uma lei oral uma vez que a tradução da Bíblia para este idioma foi tardia só acontecendo por volta do século XVII.

A tradução de João Ferreira Almeida que começou seu trabalho como tradutor aos 16 anos de idade,  é considerada um marco na história da Bíblia em português porque foi a primeira tradução do Novo Testamento à partir das línguas originais. O próprio João Ferreira Almeida revisou sua tradução por dez anos e sua versão da Bíblia só foi publicada anos depois de sua morte.

A segunda tradução foi de Antônio Pereira de Figueiredo, que retornou a alguns dos escritos originais e “retocou” parte da tradução que havia sido feita por João Ferreira de Almeida. Após o trabalho destes dois tradutores, várias foram as traduções parciais e totais da Bíblia e a mesma se apresenta hoje com grande variedade linguística, filológica e idiológica. Sendo admitidas no Brasil traduções de equivalência dinâmica, equivalência formal (mais próximas ao texto original) e idiomática ou parafrásica (cuja tradução não precisa ser literal mas mais interpretativa).

Ao se considerar essa breve história da tradução da Bíblia, talvez seja mais fácil compreender a frase “cremos ser a bíblia a palavra de Deus, desde que esteja traduzida corretamente”.

Traduções feitas pelos mormonismo

Foi feito pelo profeta Joseph Smith, no ano de 1830 uma “Seleção do Livro de Moisés”. O mesmo Joseph, traduziu alguns papiros egípcios e este registro é hoje parte do livro de Peróla de Grande Valor, corresponde ao Livro de Abraão. O profeta iniciou ainda uma tradução do livro de Mateus no Novo Testamento.

No ano de 2015, a Bíblia Sagrada Almeida passou por uma revisão bastante conservadora, visando a modernização de parte da gramática e do vocabulário em que houve alteração quanto ao significado e a aceitabilidade. A Bíblia Sagrada está agora disponível no site LDS.org e no aplicativo móvel da Biblioteca do Evangelho. As edições impressas ficaram disponíveis a partir de março de 2016.

Livro de Mórmon

livro de mormon placas de metal

Livro de mórmon e Bíblia, possuem seus registros originais

É um dos quatro volumes de escritura aceitos pela igreja. O livro é um resumo feito por um profeta chamado Mórmon a cerca da vida de pessoas que viveram nas Américas. A história destes povos narrada no livro, começa em 600 a.c. e termina em 400 d.c. O livro foi escrito para testificar que Jesus é o Cristo.

O livro foi traduzido pelo profeta Joseph Smith. É um registro religioso de três grupos de pessoas que emigraram do velho mundo para o continente americano (nefitas, lamanitas e jareditas). Os profetas que viveram entre estes povos fizeram registros de sua história secular e religiosa em placas de metal.

O acontecimento de maior relevância registrado no Livro de Mórmon é a visita pessoal do Salvador Jesus Cristo as Américas, logo após sua ressurreição.

Qual é o papel do Livro de Mórmon?

O Livro de Mórmon é uma prova da restauração do Evangelho, realizada por meio do profeta Joseph Smith e  uma parte essencial da conversão de um mórmon é receber um testemunho de que o Livro é verdadeiro. O Livro de Mórmon é essencial para a compreensão de uma outra parte da doutrina mórmon, chamada “Plano de Salvação”.

Este Plano de Salvação é o que os mórmons acreditam haver existido antes que estivessemos aqui na Terra, o propósito da vida neste mundo e o que irá acontecer depois da morte. Sem as explicações contidas no Livro de Mórmon essa religião seria como muitas outras que se acercam a verdade mas não conseguem compreender completamente o plano do Pai Celestial.

O Livro de Mórmon e a Bíblia confirmam um ao outro

A Bíblia ensina o seguinte sobre a lei das testemunhas: “Por boca de duas ou três testemunhas será confirmada toda a palavra”(II Corintíos 13:1). Em harmonia com essa lei, o Livro de Mórmon e a Bíblia prestam testemunho de Jesus Cristo.

Um estudo comparado dos dois livros expande a capacidade de compreender pontos doutrinários fundamentais para a salvação. O Novo Testamento, por exemplo, declara que Cristo foi batizado para “cumprir toda a justiça” (Mateus 3:14-15). O Livro de Mórmon explica qual é o significado de cumprir toda a justiça em 2 Néfi 31:5-9.

A leitura do Livro de Mórmon pode exclarecer passagens da Bíblia, especialmente porque como explicamos neste artigo a Bíblia vem passando por constantes processos de tradução o que não aconteceu com o Livro de Mórmon. Sua leitura é eficaz para responder perguntas da alma pois o Livro aproxima as pessoas de Deus.

O Presidente Gordon B. Hincley declarou:

Todos os que leram o Livro de Mórmon em espírito de oração, sejam eles ricou ou pobres, instruídos ou iletrados, cresceram sob seu poder. (…) Prometo-lhes sem hesitar que se lerem o Livro de Mórmon em espírito de oração, não importa quantas vezes o tenham lido anteriormente, o Espírito do senhor virá a seu coração. Sentirão uma determinação mais firme de obedecer  a seus mandamentos e um testemunho mais forte da realidade viva do Filho de Deus.” (O Livro de Mórmon, A Liahona, outubro de 1988, p.2).


Bibliografia