Você já deve ter ouvido alguém afirmando, supondo ou perguntando se Joseph Smith foi o autor do Livro de Mórmon.

Resposta curta: Não.

Resposta longa:

Existem muitos estilos distintos de escrita no Livro de Mórmon para ser obra de um único autor.

Matt Roper e Paul Fields, que fizeram uma apresentação na Conferência Book of Mormon Central 2018 no início deste mês, usaram estilometria para responder uma das perguntas mais antigas da restauração.

A estilometria usa estatísticas (imagine muitos gráficos e algo chamado elipsoide) para analisar como o estilo literário varia de um autor para outro. A estilometria observa as diferentes palavras e estruturas gramaticais comuns ao estilo de um autor e a frequência com que essas construções aparecem na escrita dele ou dela.

Roper e Fields queriam ver se os autores conseguiam criar bem vozes distintas dentro de uma única obra, então, juntamente com sua equipe de pesquisa, eles analisaram dois livros de quatro autores do século XIX, respectivamente: Jane Austen, Mark Twain, Charles Dickens e James Fenimore Cooper.

No gráfico abaixo, vemos que cada autor criou uma distinção entre a voz do narrador (à esquerda) e as vozes dos personagens (à direita). Roper e Fields então voltaram a atenção para uma outra grande obra do século XIX: o Livro de Mórmon.

autor

Cortesia de Book of Mormon Central

Em livros como Orgulho e Preconceito e As Aventuras de Huckleberry Finn, cada autor não lida com diferentes narradores, por mais que a maior parte do romance seja narração. Eles também não cobrem centenas de anos de história. (Apesar do tempo que Elizabeth e Mr. Darcy levam para ficar juntos parecer um século.  O Livro de Mórmon, no entanto, abrange mais de mil anos, de 600 A.C. a 421 AD. Roper e Fields encontraram 28 narradores diferentes no Livro de Mórmon. O gráfico abaixo ilustra alguns dos narradores principais.

autor

Cortesia de Book of Mormon Central

Você provavelmente não presta muita atenção aos portanto e aos, todo aquele que, à quantidade de vírgulas e a ponto e vírgula quando lê o Livro de Mórmon. Mas você provavelmente consegue ligar os temas narrados pelos diferentes autores. Mórmon falou sobre guerra, povo e obediência; Néfi falou sobre pais e irmãos; e Alma falou sobre fé, salvação e o Salvador.

“A diversidade de estilo é consistente da página 1 até a última”, disse Fields.

Então imagine Joseph Smith, com sua erudição e experiência literária, fazendo malabarismo entre 28 autores com 28 estilos e assuntos diferentes sendo o autor de uma história de ficção que agora é o alicerce da Igreja Mórmon.

Consegue imaginar isso? É porque não aconteceu. O Livro de Mórmon é uma obra-prima literária—nem é a obra de um homem solitário, nem de um único homem.

 

Fonte: Mormonhub.com.

Relacionado:

Incrível nova descoberta arqueológica corrobora o Livro de Mórmon