Alguns meses atrás, perto da época de Natal, um homem na minha ala deu um discurso sobre Jesus Cristo que me deixou sem palavras. Sério! Eu não consigo parar de pensar naquele discurso.

Ele disse algo como:

“Sabe, nós falamos sempre sobre como Jesus Cristo era tão gentil e como Ele amava a todos, mas na verdade Ele ofendeu muitas pessoas porque Ele se importava mais com a verdade do que ser admirado.”

Se você pudesse ver minha cara quando ele disse isso… Honestamente, minha frase de vida é uma citação do personagem Michael Scott que diz: “Você prefere ser temido ou amado? Hum… fácil! Ambos! Eu quero que as pessoas temam o quando elas me amam.” A ideia de alguém não gostar de mim me deixa bem nervosa.

Mas é verdade, Jesus se importava mais em dizer o que era certo do que em parecer alguém “de boa.” Eu acho que as vezes nós focamos tanto no fato que Ele amava as pessoas que esquecemos que para realmente amar alguém, precisamos ser verdadeiros e sinceros, mesmo que isso machuque.

A doutrina que Jesus Cristo ensinava ofendeu tantas pessoas que eles o condenaram a morte por causa disso.

Sinceramente, se Jesus Cristo estivesse na terra atualmente, não creio que seria muito diferente.  Tenho certeza de que muitos de seus ensinamentos não seriam populares.

O meu ponto é: não deveríamos ficar surpresos quando nossas crenças não recebem o louvou do mundo.

Quem ele ofendeu?

Resposta curta: muita gente. Resposta longa: continue lendo…

Os fariseus: Ouvimos bastante sobre os Fariseus nas aulas e discursos da Igreja, mas nós entendemos quem eles eram de verdade? Aqui temos uma breve definição:

“[Um grupo religioso] entre os judeus. O nome denota separatistas. Orgulhavam-se da estrita observância da lei e do cuidado com que evitavam o contato com as coisas gentias.”

Embora os Fariseus acreditassem em muitas coisas que Jesus ensinava (ressurreição, vida após a morte, etc.) eles não gostavam da maneira de como Ele as ensinava.

Ele não se importava com as tradições fúteis deles e era frequentemente bem direto. Lembra quando Ele os chamou de hipócritas?

Mas uma das razões principais pelas quais eles não gostavam de Jesus era porque Ele faria com que os Romanos ficassem bravos com os Judeus. Basicamente, eles não gostavam de Seus ensinamentos porque eles não seriam populares para o público. Isso soa familiar? Muitas vezes tememos compartilhar nossas crenças nos dias de hoje porque sabemos que a mídia, Hollywood, nossos amigos, nossos colegas, etc, não vão gostar delas.

Para simplificar: os Fariseus não gostavam de Jesus porque eles sabiam que admitir ou reproduzir as verdades que Ele pregava resultariam em perseguição.

Os Saduceus: Este grupo era frequentemente formado pela aristocracia judaica. A razão principal desse grupo para odiar tanto Jesus veio do episódio onde Jesus limpou o templo.

Eu cresci sem entender muito bem a história. Eu achava que as pessoas estavam apostando dinheiro no templo. Mas o que aconteceu era um pouco mais complexo.

Primeiramente, temos que lembrar que quando esse evento aconteceu durante a Páscoa. Então, havia milhares de pessoas visitando Jerusalém. Era uma época crucial para as tendas que faziam o câmbio das diversas moedas. Eles faziam o câmbio e trocava essas moedas por “moedas do templo” (as únicas moedas que eram aceitas dentro do templo) e cobravam muito dinheiro por elas simplesmente porque eles podiam.

Havia apenas um templo judaico, então eles podiam cobrar a quantia que eles queriam já que tinham o monopólio delas.

As moedas eram usadas para comprar animais para os sacrifícios. Muitos visitantes viajavam grandes distâncias, então não poderiam levar os animais. Basicamente, as pessoas que trocavam essas moedas estavam explorando pessoas que só queriam adorar ao Senhor na sua casa sagrada.

Quando Jesus veio, virou as mesas e soltou os animais, Ele arruinou a oportunidade deles de fazer um bom pé de meia. Isso fez com que os saduceus ficassem com muita raiva.

Novamente, Jesus se importou mais com o que era certo do que ser amado por todos.

Geralmente, são esses dois grupos que vem a mente quando pensamos nas pessoas que se ofenderam com as palavras de Jesus Cristo. Mas, elas não foram as únicas. As pessoas de sua cidade Natal basicamente disseram: “Quem ele pensa que é para nos dizer como viver? Ele não é o filho de José, o carpinteiro?”

Embora fosse amado por Seus seguidores, o consenso geral não era favorável a Ele.

política

Quem Jesus ofenderia HOJE?

Isaías 5:20-21 descreve nossos dias:

“Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem, mal; que fazem das trevas luz, e da luz, trevas; e fazem do amargo doce, e do doce, amargo!

Ai dos que são sábios aos seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos!”

Muitos atualmente pregam a ideia que a moralidade é relativa e que não há uma linha que separa o certo e o errado. O relativismo moral sugere que o “certo” é baseado na cultura e diversos outros fatores. Ele nega a ideia de uma verdade absoluta e padrões que se aplicam a todos, em todos os lugares.

Mas diversas escrituras ensinam que sim, há uma verdade absoluta. Entre elas temos Jacó 4:13 que testifica que “o Espírito fala a verdade e não mente. Portanto, fala de coisas como realmente são e de coisas como realmente serão; assim, estas coisas nos são manifestadas claramente para a salvação de nossa alma.”

Então, quem Jesus ofenderia nos dias de hoje? Muitas pessoas – as que pregam relativismo moral, as que acreditam que todo mundo será salvo independentemente das escolhas tomadas, pessoas que pregam e praticam promiscuidade sexual, etc.

Élder Dallin H. Oaks, no discurso “O Equilíbrio entre Verdade e Tolerância”, disse:

“A tolerância ou o respeito está em um dos lados da moeda, mas a verdade está sempre do outro lado. Não podemos possuir ou usar a moeda da tolerância sem estar cônscios dos dois lados dela.

Nosso Salvador aplicou esse princípio. Ao Se deparar com a mulher apanhada em adultério, Jesus proferiu estas consoladoras palavras de tolerância: ‘Nem eu também te condeno’. Depois, ao despedir-se dela, Ele proferiu estas prescritivas palavras de verdade: ‘Vai-te, e não peques mais’ (João 8:11).

Todos nós devemos nos edificar e fortalecer com esse exemplo de tolerância e verdade: bondade na comunicação, mas firmeza na verdade.”

Então, Jesus ofenderia um monte de pessoas nos dia de hoje simplesmente por falar a verdade. Mas o que mais importa é que Ele amava as pessoas o suficiente para ensiná-las sobre como voltar ao Pai Celestial, mesmo que isso as deixassem ofendidas.

Lidar com a oposição com gentileza e verdade

Da mesma maneira que as pessoas não gostavam das palavras de Cristo, elas não vão gostar de você por repeti-las, e embora isso seja chato, no fundo não importa. O Senhor não nos enviou aqui para sermos populares, Ele nos enviou aqui para permanecermos firmes e servir nosso Rei, mesmo através das dificuldades.

Mas isso não significa que devemos subir em um telhado e gritar para todo mundo que eles estão errados. Quando nossas crenças são questionadas por outras pessoas, você pode ser verdadeiro e cortês ao mesmo tempo.

Élder Jeffrey R. Holland deu um conselho magnífico:

“Com admiração e incentivo a todos os que necessitam manter-se firmes nestes últimos dias, digo a todos e especialmente aos jovens da Igreja que, se ainda não foram, certamente um dia serão conclamados a defender sua fé ou talvez até a suportar alguma agressão pessoal simplesmente pelo fato de serem membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Esses momentos exigirão coragem e cortesia da sua parte.

Sejam fortes. Vivam o evangelho com fidelidade mesmo que as pessoas à sua volta não o façam. Defendam suas crenças com cortesia e compaixão, mas defendam-nas.”

Joseph Smith e uma turba de opositores.

Mostrar cortesia quando os outros não compreendem ou apreciam suas crenças não demonstra uma falta de convicção ou fé. Isso mostra controle, amor e bondade genuína. Devemos ter sensibilidade quando consideramos a situação e dificuldades dos outros, sempre deixando-os saber que os amamos.

Mas lembre-se que ser cortês não significa ser passivo. Jesus amava todas as pessoas, mas isso não significa que Ele aprovava o comportamento pecaminoso delas. Ele amava as pessoas o suficiente para dizer a verdade, mesmo quando isso era contrário ao estilo de vida delas. Da mesma forma, lembre-se de que Jesus não costumava simplesmente andar até as pessoas e dizer: “Você está errado!” Muitas vezes, Ele mostrava os erros dos outros quando eles se aproximaram Dele para pedir Seu conselho ou opinião. Ele não tinha medo de pregar a ninguém, mas também reconheceu que nem sempre é o momento ou lugar apropriado para fazê-lo.

O que aprendi sobre Jesus Cristo com a vista de Élder Oaks

Não pense que porque Jesus ofendeu as pessoas isso nos dá o direito de forçar nossas opiniões não solicitadas sobre a vida pessoal ou escolhas de outras pessoas. Mas quando alguém pergunta a nossa opinião, ou quando chega o momento de compartilhá-las e defende-las, podemos, como Cristo, mostrar amor e permanecer firmes em nosso alicerce – mesmo quando alguém se sentir ofendido.

As palavras de Jesus ofenderam muitas pessoas e seus ensinamentos também são nossos! Ao ter isso em mente, não devemos ser surpreendidos quando as pessoas se ofenderem por causa de nossas crenças.

O próprio Salvador disse :

“Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim.”

Mas o melhor de tudo é que mesmo sofrendo perseguição ou desprezo por seguirmos os ensinamentos de Jesus Cristo, a opinião Dele é a única que importa.

Cristo fez e sofreu tudo por nós. Quando o momento chegar de sermos odiados por defender Sua doutrina, o mínimo que podemos fazer é sofrer um pouco por Ele também.

Fonte: Third Hour

Relacionado:

Vem e Segue-me – Lição 9 – “Ele [os] ensinava como tendo autoridade” Mt 6-7