Vocalista do The Killers compartilha o significado espiritual por trás de suas canções

Brandon Flowers, o vocalista da banda de rock americana The Killers, foi entrevistado em 12 de janeiro pelo professor de estudos religiosos da Utah State University, Dr. Patrick Mason, no podcast The Foyer.

O Maisfe.org já publicou artigos sobre Brandon, membro ativo de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Porém, esta entrevista com Flowers foi excepcionalmente diferente porque o cantor testemunhou abertamente sobre suas crenças religiosas e o significado espiritual por trás das letras de muitas de suas canções.

Antes de falar da entrevista, preciso explicar o contexto. Tenho orgulho de ser fã do The Killers.

Meu amor pela música deles começou quando eu tinha 16 anos e fui ao meu primeiro show de rock quando eles estavam na turnê do álbum “Day & Age”.

Eu era fã a pouco tempo, mas depois daquela noite me tornei um seguidor leal da banda. Eu cantei, gritei e pulei com minha irmã e um amigo, hipnotizado pela música, as luzes e os confetes caindo enquanto Flowers cantava as palavras “If you can’t hold on, hold on”, que em português significa “Se você puder aguentar, aguente”. E eu aguentei.

Desde então, fui a quatro shows do The Killers. Como jornalista, também escrevi sobre Flowers em todas as oportunidades que tive, inclusive para o Deseret News em 2018 sobre o show da banda em Salt Lake City.

Porém, sendo você fã do The Killers ou não, achei instrutivo ver como uma estrela do rock como Brandon Flowers, que vendeu 28 milhões de discos com sua banda ao redor do mundo, coloca sua fé em palavras e canções.

O significado por trás das letras do The Killers

Em “Imploding the Mirage”, o último álbum do The Killers, Flowers disse que há uma temática onde ele se reconcilia com Deus e se torna mais próximo de sua esposa, que vinha lutando contra estresse pós-traumático, que é resultado de algumas de suas experiências de infância.

Flowers disse que a capa do álbum de Thomas Blackshear, foi uma fonte de inspiração para as letras e a música.

A capa representa uma paisagem desértica com um homem e uma mulher flutuando no ar, e seus corpos fazem parte das nuvens.

“Alguns dias eu olho [a capa] e posso ver o Pai Celestial e a Mãe Celestial, e outros dias eu olho e posso ver o potencial que há em mim e em minha esposa. E é daí que veio grande parte do conteúdo do álbum.

Eu vi a correlação que havia e como nos tornamos essas duas pessoas na capa do álbum, e como tudo estava entrelaçado… como nossa unidade familiar e nós chegamos a este lugar. Então, as letras começaram a tomar forma.”

O estudo familiar do “Vem, E Segue-Me” sobre o Novo Testamento em 2019 também influenciou sua música, o que fica evidente na letra de “Fire and Bone”, que incorpora a história do filho pródigo.

“Quando lemos a parte em que o filho pródigo retorna e o pai o vê e sai correndo ao seu encontro na estrada para abraçá-lo… essa imagem toca o nosso coração, e acho que todos nos vemos como o filho pródigo. Em algum momento de nossas vidas, todos nós já passamos pela mesma coisa. É uma imagem muito bonita”.

Brandon Flowers acrescentou que a música “My God” é uma homenagem à sua esposa e às provações que ela superou.

A primeira faixa de “Imploding the Mirage”, “My Own Soul’s Warning”, também tem aspectos religiosos.

Flowers disse a letra de “What if it knew you by your name?” (E se conhecesse você pelo nome?) refere-se à ideia de receber revelação.

“Somos ensinados que os céus estão abertos e que nosso Pai Celestial nos conhece e nos ama. A primeira palavra da Restauração proferida por Deus foi ‘Joseph’. E isso é tão legal! As implicações disso são muito bonitas, Ele nos conhece! Amo a ideia de que Ele me conhece e conhece meus filhos, minha esposa e minha família”.

Flowers acrescentou que sua vida deu uma guinada completa desde seu sucesso de 2006 “When You Were Young”, que pode ser ouvida em “My Own Soul’s Warning”.

“Virei a página e tudo mudou. Acredito que ser capaz de reconhecer quando cometemos erros e saber a que fonte recorrer para obter perdão é o melhor. Tem sido uma das melhores coisas da minha vida, sem dúvidas”, disse Flowers.

Em relação ao seu álbum solo, “Flamingo”, Flowers disse que a letra “Mother, it’s cold here/Father, thy will be done”, é uma conversa entre ele e seus Pais Celestiais.

E é uma letra inspirada pela banda U2, já que eles descreveram suas músicas como uma forma de oração.

“Eu descreveria como uma oração. E você pode realmente ouvir – nós falamos sobre como nos tornamos crianças e… sinto que estou me arrependendo e que estou indo aos [nossos] Pais [Celestiais], reconhecendo que preciso de orientação”.

A fé de Brandon Flowers

Brandon Flowers

Durante o podcast, o apresentador Mason convidou os ouvintes a enviarem perguntas sobre o que eles queriam saber, e até fez a pergunta enviada pela minha irmã.

Dizer que ficamos entusiasmados em ouvir a resposta à sua pergunta é um eufemismo.

Ela perguntou como Flowers obteve um testemunho do Livro de Mórmon e, mais uma vez, ele citou o “Vem, E Segue-Me”, como algo que une sua família e fortalece suas crenças sobre o que ele sabe ser verdadeiro.

“É uma daquelas coisas que as pessoas são convertidas diversas vezes, e eu já tive essa experiência em minha vida onde eu realmente tinha muita convicção e então aquele sentimento diminuía, e então volta forte e depois se vai.

Porém, neste último ano, 2020, voltando a falar sobre o “Vem, E Segue-Me”,  foi lindo lê-lo com a minha família, e pudemos fazê-lo, acho que graças à Covid, porque não havia desculpas para não o finalizar.

Fizemos isso, [estudamos] como família e isso fortaleceu meu testemunho [sobre o Livro de Mórmon], ao lê-lo com meus filhos e os momentos que compartilhamos… lemos [juntos] e muitas vezes sentimos o Espírito testificar da veracidade sobre o que estávamos lendo. Isso fortaleceu meu testemunho nele. E tenho certeza de que mais coisas semelhantes acontecerão quanto mais eu ler”.

Brandon Flowers concluiu ao falar sobre o que a Igreja significa para ele e sua família, e compartilhou como ele é grato por isso em sua vida.

“Há responsabilidades que advêm de fazer parte da Igreja, mas, mais uma vez, o que eles fizeram e como uniram a mim e minha família não tem preço.

E por mais que tenhamos tido sucesso, e por mais que eu ame estar no palco, os pequenos momentos que passo em casa com minha família ofuscam todas essas coisas. Sinto-me muito sortudo por poder fazer tudo isso.”

Fonte: LDS Living

| Fé em Jesus Cristo

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *