A vitória final: como a morte de Jesus Cristo foi um triunfo

Este artigo é um trecho de “Considering the Cross”, escrito por John Hilton III, professor da Brigham Young University

Imagine assistir a um evento esportivo no qual você se preocupa profundamente com o resultado. Se você soubesse desde o início que não importa se seu time estivesse perdendo em determinado momento, que não importa quantos erros o seu jogador favorito cometeu, e não importa o quão ruins as coisas pareciam estar, o seu time ganharia?

Você provavelmente sentiria menos ansiedade durante o jogo. Embora ainda possa passar por uma série de emoções, você poderia assistir ao evento com uma certa alegria, se sentindo seguro do resultado.

Podemos relacionar esta analogia com o plano de redenção. Alguns de nós vivem em um estado constante de preocupação, preocupados por estarmos muito atrasados, cometendo muitos erros, e por não poder ver como as coisas vão acontecer.

Perdemos de vista a grande vitória quando estamos presos em uma das batalhas frequentes da vida. Mas não precisamos estar preocupados – se estamos ao lado de Cristo, nosso time vai ganhar. Jesus Cristo já venceu Satanás, em parte por meio do que Eliza R. Snow chamou de “os triunfos da Cruz”.

O Salvador profetizou, pouco antes de sua morte, que “agora será expulso [Satanás], o príncipe deste mundo.” (João 12:31). Podemos ter confiança no “triunfo e glória do Cordeiro que foi morto” (D&C 76:39).

Na carta de Paulo aos Colossenses, ele escreveu que na cruz, Cristo “[despojou] os principados e potestades, os expôs publicamente à vergonha, e [na cruz] triunfou sobre eles.” (Col. 2:14-15, Nova Versão Internacional). Esta afirmação deve ter parecido audaciosa na época—Cristo realmente “despojou” as autoridades e “triunfou” sobre elas?

Afinal, quando Paulo escreveu aos Colossenses, um imperador romano “ainda estava no trono.” Como um estudioso do Novo Testamento explica, “[os] oficiais locais em todo o mundo ainda estavam comandando tudo com eficiência brutal. Os principais sacerdotes ainda estavam no comando do templo em Jerusalém. O próprio Paulo estava na prisão!” Como, então, a morte de Cristo foi um triunfo?

Sua morte não derrubou um reino mundano, mas sim Ele conquistou uma vitória cósmica, vencendo “os príncipes das trevas deste mundo” e “as hostes espirituais da maldade nos lugares celestiais.” (Efésios 6:12).

Paulo explicou que as hostes do inimigo em ação no mundo não estavam cientes de que a crucificação de Cristo levaria à exaltação, “porque, se a conhecessem, nunca crucificariam o Senhor da glória” (1 Coríntios 2:8).

Saber da vitória do Salvador no Calvário pode nos sustentar quando a vida se torna extremamente difícil. Um amigo compartilhou esta história comigo:

Passei por um momento em que muitas coisas deram errado. Havia uma discórdia crescente no meu local de trabalho, ao ponto em que eu às vezes nem queria ir para o escritório. Isso aumentou o nervosismo que sentia sobre como as mudanças de gestão que se aproximavam me afetariam. Ao mesmo tempo, não consegui fechar um trabalho extra com um cliente, e isso me custou bastante do dinheiro que eu já estava contando para o orçamento da família. Além disso, tomei algumas más decisões de investimento que levaram a uma ansiedade sobre o futuro financeiro da minha família. Tudo isso me levou a sentir cada vez mais desencorajado.

Em meio a esses desafios, passei algum tempo pensando em Jesus Cristo. Percebi que por causa da Sua Expiação, posso voltar a viver com Ele e com o Pai Celestial. Tudo o que me preocupava era temporal e provavelmente se resolveria em poucos meses ou anos. E mesmo se essas coisas não funcionassem, do ponto de vista da eternidade, tudo iria ficar bem. Ter esta perspectiva mudou completamente o que eu sentia sobre as minhas circunstâncias.

Arte de Yongsung Kim

Saber que Cristo foi e sempre será vitorioso nos dá uma perspectiva inestimável. Funcionou para o meu amigo, e funcionou para Paulo, que enquanto preso, escreveu sobre o triunfo de Cristo. Também pode funcionar para cada um de nós. Vamos enfrentar sérias dificuldades nos próximos dias. Erros e oportunidades perdidas, tristezas e doenças, decepções e morte virão a cada um de nós. Mas podemos enfrentar nossos desafios com uma perspectiva otimista quando sabemos que Jesus já triunfou sobre o pecado e a morte.

Virá o dia em que “Deus enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas” (Apocalipse 21:4).

Este dia está vindo por causa de “Cristo quem morreu, ou antes, quem ressuscitou dentre os mortos, o qual […] intercede por nós.”(Romanos 8:34). Quando estamos conectados com Cristo, não só podemos olhar em frente, para a paz futura, mas também sentir paz em nossas vidas hoje. Agora. Podemos confiar num Salvador triunfante que está trabalhando em nosso favor neste preciso momento e para sempre.

Fonte: LDS Living

| Fé em Jesus Cristo

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *