“A salvação é gratuita” (2 Néfi 2:4) – afirmou o patriarca Leí no Livro de Mórmon, próximo da hora de sua morte. Como o Presidente Dieter F. Uchtdorf disse que a

“proximidade do dia final da mortalidade geralmente produz uma clareza de pensamentos e proporciona entendimento e perspectiva. As pessoas abrem seu coração.” (Conferência Geral outubro de 2010).

Assim, sabendo que, pelo contexto das escrituras, Leí era um homem coerente, digno e lúcido – sua sinceridade não pode ser refutada: ainda mais no seu último suspiro em que aconselhava sua família no caminho da felicidade. Ele está dizendo o que realmente queria dizer: a salvação era gratuita!

irmão mais velho

Mas o que significa: a salvação é gratuita?

O que Leí quis dizer com isso? A salvação não é condicional?

O Guia de Estudo Para as Escrituras (GEE) explica que há dois significados para palavra “salvação”. O primeiro é a salvação física e o segundo é a salvação espiritual. Salvos da morte física todos os que nascem nesta Terra serão – pois como Paulo explicou “assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo.” (I Coríntios 15:22). É o poder da Expiação, comumente chamado de graça, que todos homem receberá um corpo imortal e incorruptível, independentemente de seu estado espiritual de retidão. Como Alma explicou a seu filho,

“o plano de restauração é imprescindível à justiça de Deus; pois é necessário que todas as coisas sejam restauradas em sua própria ordem. Eis que é imprescindível e justo, de acordo com o poder e ressurreição de Cristo, que a alma do homem seja restituída a seu corpo e que, ao corpo, sejam restituídas todas as suas partes” (Alma 41:2).

Ele disse também:

“A alma será restituída ao corpo e o corpo, à alma; sim, e todo membro e junta serão restituídos ao seu corpo; sim, nem mesmo um fio de cabelo da cabeça será perdido, mas todas as coisas serão restauradas na sua própria e perfeita estrutura” (Alma 40:23).

“Toda pessoa também pode ser salva da morte espiritual pela graça de Deus, mediante fé em Jesus Cristo, a qual se manifesta numa vida de obediência às leis e ordenanças do evangelho e de serviço a Cristo.” . Essa salvação não é gratuita. Ela exige compromisso, exige dedicação, exige sacrifício, exige, na realidade, consagração. É por isso que as escrituras dizem que devemos operar nossa salvação com temor (Filipenses 2:12) e agir segundo cremos (Mosias 4:10). Todavia, o jugo do Senhor é suave e seu fardo leve (Mateus 11:30).

a expiação

Significados para salvação

Muitas vezes a palavra “salvação” é usada em sentido amplo, significando e abrangendo os dois tipos de salvação (física e espiritual) – e, portanto, a máxima salvação: a exaltação. A exaltação é a salvação no Reino Celestial de Deus, que significa herdar “o mais elevado estado de felicidade e glória dentro do reino celestial.” (GEE). É nesse sentido que D&C 6:13 diz que não há maior dom que a salvação, o que na verdade significa que a exaltação é o maior dom. Interpreta-se assim devido a outras passagens, tais como D&C 14:7 e Romanos 6:23.

Nessa última passagem de Romanos, Paulo diz “o dom gratuito de Deus é a vida eterna” (Romanos 6:23). A Vida Eterna é literalmente gratuita para aqueles que morrem sem lei, como as criancinhas (Morôni 8:12, 17, 22 e D&C 137:10). Mas para os que tem lei (o conhecimento, as doutrinas, os mandamentos, etc.) a salvação só é gratuita no sentido simbólico de que nosso esforço é realmente pequeno para se obter uma dádiva tão grandiosa quanto a vida eterna. Como o Senhor ilustrou:

“Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor” (Mateus 25:21).

“Sobre pouco foste fiel” significa que houve necessidade de alguma obra de retidão – ainda que pequena comparada a recompensa. Isso está de acordo com a Justiça e Misericórdia de Deus, assunto abordado pelo profeta Alma em Alma 41:-42.

Salvar em seus pecados e Salvar de seus pecados

A ideia de uma salvação gratuita precisa ser entendida no contexto do evangelho para não dar vazão à interpretações errôneas tais como a justificação pecados:

“E muitos também dirão: Comei, bebei e diverti-vos; não obstante, temei a Deus—ele justificará a prática de pequenos pecados; sim, menti um pouco, aproveitai-vos de alguém por causa de suas palavras, abri uma cova para o vosso vizinho; não há mal nisso. E fazei todas estas coisas, porque amanhã morreremos; e se acontecer de sermos culpados, Deus nos castigará com uns poucos açoites e, ao fim, seremos salvos no reino de Deus.” (2 Néfi 28:8).

Essa doutrina falsa zomba de um Deus justo. Aqueles que pensam assim “serão lançados no inferno!” (2 Néfi 28:15).

Amuleque também explicou isso. Quando Zezrom quiz confundi-lo. Eis a passagem:

E Zeezrom tornou a perguntar: Quem é aquele que virá? É o Filho de Deus?

E ele [Amuleque] respondeu-lhe: Sim.

E disse novamente Zeezrom: Salvará ele seu povo em seus pecados? E Amuleque respondeu-lhe e disse-lhe: Digo-te que ele não salvará, porque lhe é impossível negar sua própria palavra.

Disse então Zeezrom ao povo: Lembrai-vos destas coisas; porque ele disse que existe um só Deus; não obstante, declarou que o Filho de Deus virá mas não salvará seu povo — como se ele tivesse autoridade para mandar em Deus.

Então Amuleque lhe disse novamente: Eis que mentiste, pois disseste que eu falei como se tivesse autoridade para mandar em Deus, porque disse que ele não salvará seu povo em seus pecados.

E torno a dizer-te que ele não pode salvá-los em seus pecados, porque eu não posso negar a sua palavra e ele disse que nada impuro pode herdar o reino do céu; portanto, como podeis ser salvos, a menos que herdeis o reino do céu? Portanto, não podeis ser salvos em vossos pecados.” (Alma 11:32-37)

Mais adiante no Livro de Mórmon lemos:

“E lembrai-vos também das palavras que Amuleque disse a Zeezrom, na cidade de Amonia; pois ele disse-lhe que o Senhor certamente viria para redimir seu povo; que não viria, porém, redimi-los em seus pecados, mas redimi-los de seus pecados.

E ele tem poder, recebido do Pai, para redimi-los de seus pecados por causa do arrependimento; portanto, enviou seus anjos para anunciarem as condições do arrependimento, que conduz ao poder do Redentor para a salvação de suas almas.” (Helamã 5:10-11)

Essas passagens deixam claro que o modo de proceder do Senhor. Ele deseja salvar a todos nós. Ele redimirá toda humanidade da morte física. Mas para recebermos a plenitude de suas bênção precisamos guardar os mandamentos. Não se trata de meramente confessar com a boca que Jesus é o Cristo. A fé sem obras é morta (Tiago 2:17-18). A salvação é gratuita no sentido de que Deus nos ofereceu liberalmente uma dádiva muito além de nossa capacidade. Basta a aceitarmos de todo coração, poder, mente e força.

Relacionado:

As ordenanças salvadoras, o caminho do convênio e o poder da divindade