Minha esposa faleceu há alguns anos. Eu sabia que ficaria de coração partido, mas não está melhorando. Eu acredito na ressurreição e que nosso casamento é eterno, mas às vezes fico com medo de que nada disso é real e eu nunca vou vê-la novamente. Meus familiares e amigos dizem que eu só estou solitário e eu deveria casar novamente, mas eu não quero mais ninguém. O que devo fazer?

Em primeiro lugar, sinto muito pela sua perda. Uma viúva disse-me certa vez que “nenhuma perda é como a perda de um cônjuge”, e acredito nela. Eu reconheço que as palavras bem intencionados dos outros, às vezes, abrem suas feridas ainda mais. Você pode sentir que há algo errado com você ou que seu testemunho está falhando, porque não importa o quanto você jejua, ora, lê as escrituras, vai ao templo e tentar viver em retidão, ainda é agonizante. Mesmo confiando que você vai se reunir um dia, dói estar sem ela aqui e agora. Dói muito.

Entenda que não há nada de errado com você, mesmo alguns anos depois. Você está magoado porque está muito preocupado com a sua esposa. Como a rainha Elizabeth II disse, “o luto é o preço que pagamos pelo amor”. O privilégio de viver com sua esposa, a alegria dos bons anos e as experiências que tiveram juntos, ser amado por ela, sua dor agora é o preço para tudo isso.

Em outras palavras, a única maneira de viver sem dor é viver sem amor. E isso não é maneira de viver. Não vale a pena. Então o que fazer agora? Permita-se lamentar. Permita -se chorar. Não fuja disso. Dê-se tempo para senti-lo, todos os dias, se necessário, antes de continuar com o seu trabalho e suas atividades.

Steven Eastmond, assistente social de uma casa de repouso e membro da Igreja, conheceu muitas pessoas cujos entes queridos haviam falecido recentemente. Em um artigo chamado “Quatro fortes verdades sobre a tristeza”, ele compartilhou o seguinte:

“A tristeza machuca, mas pode ser o bálsamo que nos ajuda a ser curados quando permitimos que ela faça seu trabalho devidamente. O primeiro passo para tratar a tristeza é reconhecer que a dor é parte normal do processo. Precisamos reconhecê-la e não a evitar”.

Depois que eu perdi minha mãe, o Espírito me lembrou “você está triste porque você a ama. Isso é bom, porque o amor e a dor são essenciais para o crescimento”. Percebi que por causa da minha dor fiquei mais capaz de ter empatia pelas pessoas, servi-las e levantar os outros que estavam sofrendo. Você está em posição de “chorar com os que choram e consolar os que precisam de consolo” (Mosias 18:9) por causa do que você está passando. Dê um propósito à sua dor. Encontre outros para servir e consolar.

Falando de glória celestial, você não tem obrigação de se casar novamente. Outros podem pensar que você deve, e se chegar a época em que você se sentir à vontade e encontrar alguém, case-se. Mas uma nova relação não pode desempenhar um papel na sua cura a menos que esteja pronto para isso. Apressar um novo romance para parar de sofrer é como colocar um Band-Aid sobre um ferimento de bala. Só Cristo pode curar isso. Um novo relacionamento, quando for o momento certo, pode ser uma pomada que facilita a solidão, mas jamais substituirá sua esposa.

Quanto aos seus medos sobre “nada disso ser real”, refiro-me às palavras sábias do historiador Will Durrant, como citado Hugh B. Brown:

“Ninguém merece acreditar a menos que tenha recebido um aprendizado por meio da dúvida”.

É natural estar inseguro. É certo lutar com dúvidas, perguntas e incertezas. Se feito corretamente, isso nos leva a buscar a sabedoria do próprio Deus.  Refiro-me às palavras do homem que, depois de pedir ao Salvador para curar seu filho, gritou: “Eu creio, Senhor! ajuda a minha incredulidade” (Marcos 9:24).

Alma ensinou que mesmo depois de ter obtido um testemunho, ainda não temos tudo planejado. Ainda não termina o processo. Ele perguntou:

“Depois de haverdes experimentado esta luz, é perfeito o vosso conhecimento? Eis que vos digo: Não, nem deveis pôr de lado a vossa fé” (Alma 32:35-36). À medida que você se aproxima de Deus, você receberá luz e verdade, ficando cada vez mais seguro de sua reunião com sua esposa. Entretanto, você deve escolher acreditar antes de saber.

Eu não te conheço, querido irmão, mas eu te amo. Meu coração está com você. Deus o abençoe. Espero que tenha ajudado. 

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

Relatos de Profetas e Apóstolos sobre o Mundo Espiritual Além do Véu