Sinceramente, eu não gosto de discursos motivacionais. Principalmente aqueles de empreendedorismo que só servem pra vender cursos ou e-books. Guru disso, coach daquilo. Então, não vou tentar pregar nada pra ninguém. Esse artigo é mais para mim mesmo do que para qualquer outra pessoa.

Escolher desconforto?

Falamos muito sobre “sair da zona de conforto.”

Mais o que isso realmente quer dizer? Por que isso é necessário?

Eu detesto correr. Acredito que muita gente que corre todos os dias detesta correr.

Claro, muita gente que estuda detesta estudar. Muita gente que detesta acordar cedo acorda cedo. Mas fazem isso porque não tem outra escolha.

Mas por que escolher algo que você não gosta de fazer?

É bem mais confortável assistir uma temporada inteira de uma série do Netflix, ou ficar umas 4 horas por dia passando o dedo na tela do celular.

Não é verdade que “os homens existem para que tenham alegria“? (2 Néfi 2:25)

Mas que tipo de alegria estamos falando aqui?

agressor

Alegria e dor

Élder Hafen disse: “O evangelho ensina que a presença de experiências dolorosas é um elemento importante para a capacidade do homem de sentir alegria – e não somente porque ele se sente bem quando a dor acaba!”

Certamente, não devemos viver uma vida buscando sentir dor. As dores da vida vão nos encontrar de qualquer jeito. O problema é quando deixamos que nossa indisposição de sentir desconforto se torna quase como um propósito de vida, como se uma vida confortável fosse uma vida feliz.

Ele continua:

“Não acho que o sofrimento nos ensina por si só. Se fosse assim, todo mundo seria sábio já que todo mundo sofre. O sofrimento deve ser acompanhado de sobriedade, entendimento, paciência, amor, flexibilidade, e a disposição de estar em uma condição vulnerável.

Todos vamos sofrer de uma forma ou de outra, mas precisamos desenvolver uma certa perspectiva para permitir que esse sofrimento nos ensine.”

Jesus Cristo conhece literalmente todas as dores. Ele foi citado como “Homem de Dores” em Isaías 53:3. Entretanto, ele disse:

“(…) Eis que é completa a minha alegria.” (3 Néfi 17:20)

Devemos ter um propósito em mente para suportar a dor das aflições e a tentação de evitar o desconforto que vem com o crescimento.

avô

O segredo do sucesso

Então, voltemos nossa atenção ao desconforto.

Qual é sua meta? O que você deseja?

Com certeza, o caminho que leva à sua meta é pavimentado de desconforto. Mas a grandeza está logo ali do outro lado.

Eu gosto muito do David Goggins. Ele é um militar e ultramaratonista que se tornou a única pessoa que concluiu o treinamento dos SEALs da Marinha Americana, a USA Ranger School e o treinamento de Controle Tático da Força Aérea (TACP). Ele disse:

“É muito fácil ser excelente nos dias de hoje. A maioria das pessoas são fracas. Você só precisa desenvolver qualquer quantidade de resiliência mental, qualquer habilidade, qualquer fração de autodisciplina e a habilidade de fazer o que você tem que fazer mas não quer fazer.”

Hoje em dia, ler um artigo na internet até o fim já é uma conquista impressionante. Na conferência geral de outubro de 1983, quando não havia nem de perto as distrações que temos hoje, Élder Hafen disse:

“Considere brevemente o tipo de dor que encontramos na área do aprendizado formal. Há aulas e conteúdos que às vezes parecem uma chatisse ou até mesmo maçantes. Nessas circunstâncias, aqueles que não tem consciência de sua responsabilidade individual de ler, pensar, e entender, simplesmente desligam o cérebro. Essas pessoas estão acostumadas a mudar de canal se a experiência não cumpre a promessa de ser ‘divertida.’

Seria muito melhor para elas se pudessem lidar com o desconforto da disciplina, iniciativa, e determinação, para continuar focado em uma tarefa difícil até que ela fosse concluída e então sentissem a merecida alegria que vem com o entendimento real. Mas tudo isso talvez soe muito ‘entediante’ para aqueles que acreditam que eles têm o direito de serem entretidos.”

Então o segredo do sucesso não é tão secreto assim, só é muito desconfortável.

sobre você

Hoje

Desconfortável por que? Porque você tem que encarar a verdade.

A verdade por trás do “eu odeio correr” é simplesmente a preguiça.

Sei que correr vai melhorar minha qualidade de vida, vai dar mais energia pra fazer as coisas no dia a dia e vai me ajudar a viver para ver os meus futuros netos e bisnetos.

Então eu não odeio correr, eu só não gosto do desconforto da luta contra a preguiça.

Por isso eu acho que discursos motivacionais, coaches e gurus não ajudam em nada se a pessoa não olhar para dentro de si mesmo e encarar a verdade.

O melhor de tudo é que temos a ajuda do Senhor para isso. Então pense:

Qual é a verdade desconfortável que você precisa encarar para se tornar a pessoa que Deus espera que você se torne?


Escrito por Robson Lampert Severo

Relacionado:

Algumas maneiras pelas quais a graça torna nossas fraquezas em forças