Nas escrituras, o Salvador afirma que “verá a minha face e saberá que Eu sou” (Doutrina e Convênios 93:1). Não deveria ser uma surpresa, quando o Salvador aparece em sonhos para homens e mulheres. Todos os filhos de Deus, em todas as nações têm a promessa Dele de que Ele pode se manifestar a eles.

O Livro de Mórmon ensina que Ele “se manifesta a todos os que nele creem, pelo poder do Espírito Santo; sim, a toda nação, tribo, língua e povo, fazendo grandes milagres, sinais e maravilhas no meio dos filhos dos homens, de acordo com sua fé“ (2 Néfi 26:13).

Certamente, o Senhor não faz acepção quando o assunto é a quem Ele irá se manifestar.

O Senhor ensina em Doutrina e Convênios que  “a alguns é dado saber, pelo Espírito Santo, que Jesus Cristo é o Filho de Deus e que foi crucificado pelos pecados do mundo.” (Doutrina e Convênios 46:13). Saber que Jesus Cristo é o filho de Deus, vale mais do que todas as riquezas do mundo. Veremos nessas histórias que, Jesus perdoa os nossos pecados, conserta corações quebrados, nos tira das aflições e acalma as nossas almas.

Sempre existe algo similar entre os sonhos daqueles que já tiveram a experiência de sonhar com Jesus Cristo. Nesses sonhos com o Salvador, sempre ouvimos sobre um beijo ou um abraço, onde a pessoa é envolvida em um caloroso abraço nos braços Dele e em uma indescritível emoção de amor que penetra a alma do pessoa.

O abraço do Salvador deixa um sentimento de inexprimível alegria e amor por toda a humanidade. Sonhos com o Salvador sempre expressam que  Cristo conhece os desafios, dores, dificuldades e desafios do sonhador. Alguns sonhos com o Salvador recontam eventos de Sua ministração, incluindo sua expiação e crucificação, enquanto em outros sonhos o Salvador oferece conforto, acalento, críticas ou encorajamento. Sonhos com o Salvador são um presente valioso.

domingo de páscoa

“Nunca me Esquecerei Daquele Sorriso”

Melvin J. Ballard

“Quando eu estava prestando serviço missionário junto com alguns irmãos, trabalhando em meio aos indígenas, buscando luz no Senhor para decidir sobre alguns assuntos referentes ao nosso trabalho e recebendo um testemunho Dele de que nós estávamos fazendo tudo de acordo com a vontade Dele, tive um sonho  durante uma noite onde eu estava naquele lugar sagrado, o templo. Depois de orar e me sentir alegre, fui informado de que teria o privilégio de entrar em uma daquelas salas, para me encontrar com um personagem glorioso, e enquanto eu entrava pela porta, vi sentado em uma plataforma elevada o mais glorioso Ser que meus olhos já tinham visto, ou que eu jamais imaginaria que existissem em todos os mundos eternos. Enquanto me aproximava para me apresentar, ele se levantou e veio em minha direção com os braços estendido, ele sorriu e suavemente me chamou pelo nome. Se eu viver mais de um milhão de anos, nunca me esquecerei daquele sorriso. Ele me abraçou e me beijou e me apertou em seus braços e me abençoou, até que a medula dos meus ossos pareciam derreter!

Quando ele terminou, eu senti Seus pés, e os banhei com minhas lágrimas e beijos, eu vi as impressões das linhas nos pés do Redentor do mundo. O sentimento que tive na presença Dele, de ter o amor Dele, a afeição Dele, e as bênçãos Dele foram tão grande que se eu pudesse receber somente um pouco de tudo aquilo, eu daria tudo o que sou, e tudo o que eu espero ser para sentir o que eu senti naquele sonho.”

Fonte: Bryant S. Hinckley, A Fé de Nossos Pais Pioneiros, 226–27.

“Ele Me Carregou nos Braços”

Mary Stevenson Clark

“Sonhei com o Salvador. Ele me carregou nos braços. Sentamos em um círculo. Ele nos abençoou  e beijou. Somente os membros que aceitaram o evangelho sentaram-se no círculo. Eu contei para a minha mãe sobre o sonho. Ela me disse que foi um bom sonho e para eu ser uma boa menina. Eu tinha por volta de 7 anos de idade.”

Fonte:Mark L. McConkie, Relembrando Joseph, 213.

páscoa centralizada em Cristo

“Você tem Feito a Mim”

Contado por J. Richard Clarke

“Muitos anos atrás em uma pequena cidade do sudeste de Utah, minha bisavó foi chamada para ser presidente da Sociedade de Socorro. Durante esse período da história da Igreja, existiu um amargo e antagonista espírito entre os Mórmons e os Gentis. 

Na ala da minha bisavó, uma das irmãs havia se casado com um menino de fora da igreja. Ele não gostava dos mórmons ou dos gentis. Com o passar do tempo esse casal teve um filho. Infelizmente a mãe ficou tão doente durante o processo de nascimento que ela não podia cuidar do bebê. Depois que soube da situação dessa jovem mulher, minha bisavó imediatamente foi a casa das irmã da ala para saber quem poderia ajudar indo a casa do jovem casal para cuidar do bebê. Cada uma das irmãs recusou-se a ajudar e a responsabilidade ficou toda com a minha bisavó.

“Ele levantava cedo pela manhã. Andava uma considerável distância até a casa do jovem casal onde ela banhava e alimentava o bebê, recolhia todas as roupas que precisam ser lavadas e levava para casa. Uma manhã ela se sentiu muito cansada e fraca, no entanto enquanto estava deitada na cama, ela se deu conta de que se não fosse, a criança não receberia os cuidados necessários. Com a ajuda do Senhor, ela juntou todas as forças que tinha e foi.

Quando chegou em casa exausta, ela sentou-se em uma cadeira e imediatamente pegou no sono. Ela disse que enquanto dormia, ela se sentiu consumida por um fogo que consumia os ossos de seu corpo. Ela sonhou que ela estava banhando o menino Jesus e se gloriando do privilégio que era ter dado banho no Filho de Deus. Depois a voz do Senhor falou para ela ‘Assim como tem feito a eles, tem feito a mim.’”

Fonte: J. Richard Clarke, “O Amor Vai Além da Conveniência” 81.

“Ela orou para que ele nunca tirasse os olhos dela.”

Contado por Linda e Richard Eyre

“Uma amiga nossa teve um sonho que nunca mais se esqueceu. Diferente da maioria dos sonhos que são esquecidos, esse de alguma forma, fica mais forte. No sonho ela estava sentada ao lado de uma montanha, olhando um lago azul e escutando uma pessoa em pé, que falava e deixava sua platéia fascinada.

Ela notou que era Cristo, e que ele estava dando o Sermão da Montanha. O sentimento que ela se lembra é de temor e medo: medo de que ele fosse olhar para ela, e que os olhos Dele encontrassem os dela, e que Ele veria dentro do coração dela, e através dela descobrindo todas as suas falhas. Ela orou para que Ele não olhasse para ela.

E então Ele olhou para ela, diretamente em seus olhos. Em um segundo o medo se transformou em amor. Ela sabia que Ele tinha visto tudo o que ela era. Ela foi acalentada, e elevada pelo olhar Dele. Ela orou para que Ele nunca tirasse os olhos dela.”

Fonte: Linda e Richard Eyre, Ensinar Crianças Sobre a Caridade, 39.

falará

He restoreth my soul – de Yongsung Kim.

“O Mesmo Sentimento de Amor”

George F. Richards (Contado por Spencer W. Kimball)

“O Senhor tem revelado aos homens através de sonhos, algo que eu jamais entendi ou senti antes.” Ouvi isso mais do que uma vez em reuniões do Conselho dos Doze, quando George F. Richards foi presidente. Ele disse: “Mais de 40 anos atrás, tive um sonho que tenho certeza que foi do Senhor. Neste sonho eu estava na presença do Salvador e ele estava sob o ar. Ele não disse uma palavra, mas meu amor por Ele era tanto que eu não tenho palavras para explicar. Sei que nenhum homem mortal pode amar o Senhor daquela maneira que eu senti o amor do Salvador, a menos que Deus se revele a ele. Eu teria permanecido em Sua presença, mas tinha um poder que estava me arrastando para longe Dele.

Como resultado desse sonho, eu tinha o sentimento de que não importava o que fosse requerido das minhas mãos, o que o evangelho me implicasse, eu faria o que me fosse pedido para fazer, até mesmo em minha vida.

Se eu puder estar com o meu Salvador e ter aquele mesmo sentimento de amor que Ele teve por mim naquele sonho, essa será a meta da minha existência, o desejo da minha vida.”

Fonte: Spencer W. Kimball, “A Causa É Justa e Nobre,” 119.

“Uma Lição que Meu Pai Entendeu”

Contado por Leon Hartshorn

“Meu pai era um bom homem. Ele cuidou muito bem da minha mãe durante muito tempo, enquanto ela estava doente e antes de ela falecer. Ele ensinou seus filhos a serem honestos e corretos. Ele sempre pagou o dízimo, mas nunca frequentou a Igreja. Meu pai trabalhou nas minas durante grande parte da sua vida, em um ambiente que não costumava convidar o espírito de Deus, e talvez por essa razão ele pensava que não poderia ser cem por cento ativo e aproveitar todas as bênçãos do evangelho.

Depois de estar casado por dois ou três anos, voltei a casa de meu pai para uma visita. Nós sentamos juntos e ele me disse: ‘Filho, eu tive um sonho. Sonhei que estava à beira de um abismo, e o Salvador vinha em minha direção montado em um cavalo. Ele tinha uma corda presa na sela. Ele jogou a corda para mim e disse ‘Bob, quero que você desça Eu e o meu cavalo por esse penhasco.’ Eu disse que era impossível; um homem não poderia descer o peso de um cavalo e do cavaleiro por aquele penhasco.

Ele respondeu ‘Bob, desça a mim e o meu cavalo pelo penhasco.’ Então eu peguei a ponta da corda e os desci pela colina. Para a minha surpresa, não tive dificuldade alguma. Quando o cavalo e o cavaleiro chegaram ao final do penhasco, ele olhou para mim e disse ‘Bob, jogue a corda.’ Joguei a corda, e Ele amarrou de volta na sela novamente.

E então olhando para mim do final do penhasco ele disse: ‘Bob, é fácil de você viver os meus mandamentos, só basta tentar.’ Essa foi uma lição que meu pai entendeu, uma lição em sua própria língua de cavalos, cavaleiros, selas e cordas. Depois daquilo, ele sempre fez o que lhe foi pedido para fazer na igreja e foi muito ativo durante os últimos 25 anos de sua vida.”

Fonte: Stephen E. Robinson, Believing Christ, 79–80

Fonte: LDSLiving

Relacionado: 

Quando Lorenzo Snow viu o Salvador no Templo