Reavaliar o Dia das Mães

Nossa celebração do Dia das Mães frequentemente torna o feriado no Dia da Mulher, cuidadosamente elaborada para garantir que ninguém se sinta excluído neste dia especial – com flores e chocolates para todas as mulheres com mais de 18 e com discursos “somos todas mulheres”.

E nós somos! Então, eu concordo com esta premissa deste tipo de celebração e eu amo a explicação da Sheri Dew:

“De todas as palavras que eles poderiam ter escolhido para definir seu papel e sua essência, tanto Deus, o Pai, quanto Adão chamaram “Eva de mãe de todos os viventes” , e fizeram isso antes que ela tivesse tido um filho”.

“A maternidade é mais do que dar à luz um filho embora isso certamente esteja incluído. É a essência de quem somos como mulheres. Ela define nossa própria identidade, nossa condição e natureza divinas, e as características especiais que nosso Pai nos concedeu”.

No entanto, é fácil afastar-se de tal celebração com uma das duas mensagens:

  1. Eu mereço ser celebrada porque eu sou mãe. Meu amor e altruísmo são inigualados, exceto pelo amor do Salvador, e eu estou vivendo o mais nobre chamado.
  2. Eu mereço ser celebrada porque eu tenho coração materno, embora não tenha meus próprios filhos. Eu abençoo inúmeras vidas por meio de meus cuidados e carinho, e estou me preparando para a maternidade nesta vida ou na futura.

Embora essas mensagens sejam verdadeiras e importantes, se isto é tudo o que temos do Dia das Mães, eu penso que perdemos o foco.

O Propósito do Dias das Mães

Mãe olhando seu filho bebê

Nossa possibilidade de exaltação depende das mães. Elas merecem nossa honra. Imagem via LDS.net.

Após muitos anos de ambos os lados dessas mensagens, eu finalmente começo a perceber que talvez o Dia das Mães não seja de fato sobre mim, é sobre minha mãe. É o dia quando nós deveríamos estar celebrando mães… nossas mães.

Não é só um dia para qualquer uma que É mãe, mas para todos que TÊM uma mãe. Verdadeiramente, ninguém será excluído.

Se temos os nossos próprios filhos ou não, se nosso foco é mais em homenagear do que receber homenagem, teremos um Dia das Mães mais centrado em Cristo e cheio de amor (e, portanto, mais gratificante).

Há somente uma única maneira de entrar na mortalidade – por meio de um ventre materno. Seja qual for as circunstâncias de sua vida e família, você veio à terra de um grande sacrifício por parte de sua mãe.
De sua mãe você recebeu a vida mortal e um corpo, e, por conseguinte sua possibilidade de exaltação. O cumprimento do plano de Deus para você é somente possível por causa do desejo de sua mãe. E isto é algo para ser honrado.

Como Honrar Sua Mãe

Mãe e filho jovem - doa das mães

Honre sua mãe retribuindo à ela todo o amor com o qual ela criou você. Imagem via LDS.net.

Como honramos nossas mães depende um pouco de nossas circunstâncias. Élder Oaks aconselha:

“Jovens, se honram seus pais, vocês irão amá-los, respeitá-los, confiar neles, ter consideração e expressar seu afeto por eles, e demonstrar todas essas coisas ao seguir seus conselhos em retidão e obedecer aos mandamentos de Deus”.

“Para as pessoas cujos pais estão mortos, honrá-los provavelmente significa reuniões de família, história da família, ordenanças vicárias e compromisso com as grandes causas às quais os falecidos dedicaram à vida”.

“A melhor maneira de cuidar dos idosos é preservar sua independência, enquanto for possível. O Presidente Benson explicou: “Mesmo quando os pais envelhecem, devemos honrá-los dando-lhes liberdade de escolha e a oportunidade de independência enquanto for possível”.

Qualquer que seja a idade e circunstâncias de sua mãe, você pode honrá-la demonstrando seu amor, paciência, bondade, empatia, cuidado, entendimento e perdão – os mesmos atributos justos com os quais ela criou você.

Seguir o Exemplo de Jesus

Jesus é o exemplo perfeito de como honrar nossas mães.  Como todo mandamento, Jesus deu o exemplo perfeito de como obedecer ao encargo [qual Ele mesmo deu no Monte Sinai], “Honre tua mãe”.

Embora pouco seja registrado nas escrituras das interações entre Jesus e Sua mãe, Ele ensina-nos pelo menos quatro maneiras de honrarmos nossas mães.

1. Servir a Deus

O único evento registrado da infância de Jesus é Dele ensinando no templo três dias após se perder de Maria e José, enquanto viajavam para casa depois da Páscoa. Para Sua ansiosa mãe Jesus disse: “Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?”

O Filho perfeito, que perfeitamente honrou Sua mãe, e gentilmente lembrou-a de que nenhuma grande honra poderia ser dado à ela, do que Seu serviço a Deus. Pois, como João registrara mais tarde: “Não tenho maior alegria do que esta: de ouvir que os meus filhos andam na verdade”.

2. Servir-la

Jesus realizou o Seu primeiro milagre público a pedido de Sua mãe, tornando água em vinho na festa de casamento.  A Tradução de Joseph Smith registra Sua resposta: “Mulher, que queres que eu faça por ti? Isso farei; porque ainda não é chegada a minha hora.” Ele usa essa simples fraseologia de Sua hora, três anos depois, quando ele prediz Sua morte dizendo: “É chegada a hora em que o Filho do Homem há de ser glorificado”.

Parece, então, se “Sua hora” refere-se à Sua morte, que a forma como Ele responde à Maria em Caná é como se dissesse: “ Até eu morrer, vou servi-Lo”.

3. Assegurar Seu Cuidado

Em um dos momentos finais e mais terno do ministério terreno de Cristo, Ele olhou da cruz para baixo e viu Sua mãe em prantos. Ele então instruiu Seu amado apóstolo João para cuidá-la como sua própria mãe.

Em meio à Sua angústia e sofrimento, Jesus não se esqueceu das necessidades de Sua mãe.

4. Incluí-la em Sua Vida

É fácil para pessoas poderosas, importantes, influentes e ocupadas tornarem-se envolvidas em seu próprio trabalho e vida, que eles perdem o contato com suas próprias famílias. Enquanto desempenhava seu mais importante, poderoso, influente trabalho e ministério no tempo e eternidade, Jesus envolveu Sua mãe. Ela era frequentemente citada em suas viagens com Jesus e Seus discípulos antes e depois de Sua morte e ressurreição (João 2:12, Atos 1:14).

Durante toda a Sua vida, Jesus nunca perdeu o contato com Sua mãe.

Que bênção ter um dia dedicado para obedecer ao grande mandamento: “Honre tua mãe”. Ao vivermos mais perfeitamente este encargo, neste dia especial, podemos renovar esse relacionamento sagrado e mais plenamente comprometer-nos a viver este mandamento todos os dias.

 

Este artigo foi escrito por por Lisa Teixeira no site LDS.net. Traduzido por Regiane Bonfim.