5 Maneiras de Ajudar Seus Filhos a Atingir o Potencial que Eles Têm

potencial

“Pleno potencial” pode significar muitas coisas. Em última análise, significa alcançar a exaltação, tornando-se Deuses. De modo mais imediato, “pleno potencial” pode significar para os jovens, entre outras coisas, se esforçar sinceramente para viver o evangelho, começar a ter seu próprio testemunho, ir razoavelmente bem na escola, preparar-se para servir em uma missão, servir aos outros e basicamente ser uma boa influência para outros jovens, entre outras coisas. A pergunta é: o que os pais podem fazer para ajudar mais seus filhos a alcançar este potencial?

Em Provérbios 22:6, os pais aprendem:

“Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele”.

Existem muitos ingredientes chaves no processo de ser pai ou mãe que pode ajudar no cumprimento deste versículo. Aqui estão cinco coisas importantes que os pais podem fazer para ajudar seus filhos a alcançar seu potencial:

1. Ser Constante em Viver o Evangelho.

Viver o evangelho de modo constante na vida cotidiana é algo que você pode fazer para inspirar seus filhos a alcançar seu pleno potencial. Por exemplo, os jovens aprendem sobre a importância da leitura pessoal e familiar das escrituras, da oração pessoal e familiar, da frequência à igreja, da honestidade, do linguajar limpo, e assim por diante na igreja e o seminário. Quando você lidera constantemente nesses aspectos essenciais de viver o evangelho em sua vida pessoal e familiar, seu filho adolescente sabe que você acredita no evangelho e normalmente ele tende a acreditar também. É simples assim.

Por outro lado, nossos filhos detectam a hipocrisia com rapidez. Assim, quando evangelho é ensinado aos filhos e eles veem seus pais escolhendo não ir à igreja de vez em quando por causa de uma atividade mundana, eles recebem a mensagem clara, embora não intencional, de que “a Igreja é importante, mas não é tão importante assim”. A mesma mensagem é passada quando a oração familiar, a leitura das escrituras, a noite familiar e outras atividades religiosas raramente são praticadas em uma família. Se os pais afirmam que acreditam no evangelho, mas não se esforçam para vivê-lo de forma constante, seus filhos observadores aprendem uma mensagem prejudicial e negativa.

Família junta feliz

2. Esforce-se para Fazer do Lar um Lugar Agradável e Descontraído.

Alguns jovens encaram evangelho como um estilo de vida monótono, no qual regras rígidas e viver o evangelho sufocam a alegria e fazem-nos sentir que Deus e seus pais estão constantemente examinando-os para ver se eles estão cumprindo uma longa lista de requisitos.

Quando eu era universitário e estava dando aulas no seminário no início de minha carreira no SEI, dei uma aula sobre exaltação no reino celestial e viver em famílias juntos para sempre, e na minha opinião, ela tinha atingido bem o seu propósito. Faltando uns cinco minutos para terminar a aula, um dos meus alunos que sentava no fundo da classe levantou a mão e disse em voz alta, “Não quero ser um Deus!”

Um pouco assustado, perguntei, “Por que não?”

Ele respondeu: “Porque não quero vestir um terno preto, camisa branca obrigatória e gravata todos os dias e não tem graça nenhuma!”

Eu perguntei: “É assim que você imagina céu?”

Ele disse que sim.

Em seguida, disse-lhe que se fosse assim, para mim também não seria o céu. Um lar onde os pais desfrutam da companhia um do outro e onde os filhos são sempre envolvidos em brincadeiras e risos assim como em conversas sérias instila nos jovens o desejo de ter o evangelho como parte integrante de suas vidas.

Minha esposa tem sido um maravilhoso exemplo disso durante toda a nossa vida de casados. Seu bom humor e riso preenche nossa casa e torna óbvio de que o estilo de vida do evangelho é o mais feliz. O Presidente Heber C. Kimball disse certa vez: “Eu plenamente convencido de que que meu Pai e meu Deus é um ser alegre, agradável, vigoroso e bem-humorado” (Journal of Discourses, 4:222).

3. Ajude Seus filhos a Sentir o Potencial que Têm.

Precisamos lembrar os filhos de seu valor e potencial. Assim, eles sentirão e saberão que  são de fato “filhos de Deus” e de infinito valor (D&C 18:10). Este conhecimento ajuda a trilhar o caminho rumo à internalização do evangelho e ao desejo de alcançar seu pleno potencial.

Talvez vocês já tenham percebido que os jovens, inclusive as crianças pequenas, adoram ajudar. Sem dúvida vocês também já viram que quando eles ajudam, demora muito tempo e a bagunça é muito maior. No entanto, deixá-los ajudar quando são pequenos é uma das coisas mais simples e eficazes que podemos fazer para ajudá-los a sentir-se seguros de si.

Minha esposa acreditava nessa filosofia — inclusive na parte de tolerar a bagunça extra. Consequentemente, vários deles, inclusive alguns dos meninos, tornaram-se conhecidos como “os que fazem os melhores cookies” da região.

Em outra área, descobri que meus pequeninos ficavam animados para me ajudar a trocar o óleo do motor do carro. Quando eles ajudavam, sempre tinha mais óleo no motor do que dentro dele, mas ainda querendo que meus filhos ajudassem, providenciei um funil bem grande. Com o funil no lugar, meus filhos pequenos podiam acidentalmente até mesmo deixar cair a garrafa toda de óleo no motor, e mesmo assim o óleo ainda iria para o lugar certo. Assim, eu poderia elogiá-los não importa o que acontecesse.

Temos consciência de que não estamos lidando com utopia. A vida não é um mar de rosas. Nossos filhos não são todos iguais. Algumas coisas funcionam para alguns, mas não para os outros. Mas quando nos esforçamos para aplicar estes princípios básicos em nossa família, as bênçãos do céu se combinam para tornar nossos esforços mais bem-sucedidos. Lembrem-se, o Pai Celestial está muito interessado em nosso sucesso como pais, pois estamos criando e ensinando Seus filhos.

4. Fale Sobre as Criações de Deus com Seus Filhos.

Muitas vezes são as coisas mais simples que têm o maior impacto sobre os sentimentos e autoimagem de nossos filhos. As conversas casuais sobre o Criador geralmente precisam começar quando nossos filhos são bem jovens. Considere, por exemplo, uma criança pequena que está passando por algumas flores. Muitas vezes, as crianças naturalmente se abaixam para examinar as flores mais de perto quando passam por elas. Ao fazê-lo, você pode dizer algo do tipo: “Você não fica feliz por saber que Jesus fez essas flores tão lindas?” Ou, talvez: “Você sabia que estas flores são lembretes do Pai Celestial de que Ele nos ama?” Olhe em volta, consegue encontrar mais bilhetinhos dele para nós dizendo que Ele nos ama?” É significativo perceber que quando você fizer isso, você também está prestando testemunho para seus filhos de que você acredita em Deus e na Igreja.

Quando você tem abertamente esse tipo de conversas com seus filhos enquanto eles são pequenos, você está preparando a mente deles para ver a mão de Deus em todas as Suas criações. De modo significativo, isso pode criar um belo laço entre eles e o Senhor que, mesmo se for apenas uma conexão subconsciente, pode exercer uma influência poderosa em como eles encaram seu relacionamento com Deus e Sua Igreja.

5. Ensine o Evangelho Ativamente a Seus filhos, Tanto Formal Quanto Informalmente.

Não é o suficiente que seus filhos aprendam o evangelho na igreja e no seminário. Principalmente agora, nos últimos dias, a competição pela atenção deles, na verdade por suas almas, é extrema. Portanto, os pais devem estar sempre conscientes das oportunidades para ensinar o evangelho e o plano de salvação, no lar. Em nossa casa, um dos melhores momentos para ensinar o evangelho informalmente é durante as refeições, principalmente depois da igreja. Perguntar a seus filhos o que aprenderam na igreja é uma boa maneira de começar uma conversa. Mesmo agora, com nossos filhos crescidos, principalmente quando eles jantam conosco aos domingos, um deles sempre pergunta algo relacionado ao evangelho.

O Senhor deu instruções claras para os pais quando Ele disse:

“E também, se em Sião ou em qualquer de suas estacas organizadas houver pais que, tendo filhos, não os ensinarem a compreender a doutrina do arrependimento, da fé em Cristo, o Filho do Deus vivo, e do batismo e do dom do Espírito Santo pela imposição das mãos, quando tiverem oito anos, sobre a cabeça dos pais seja o pecado…

E também ensinarão seus filhos a orar e a andar em retidão perante o Senhor”. (D&C 68:25, 28)

Perto do fim de seus 40 anos no deserto, Moisés deu conselhos maravilhosos aos pais entre os filhos de Israel sobre ensinar os mandamentos e princípios do evangelho a seus filhos. Em Deuteronômio 6:7 ele ensinou:

“E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te”.

Isto é uma dica valiosíssima para ser pais bem-sucedidos e ajudar nossos jovens a atingir seu pleno potencial.

Conclusão

O Senhor deu aos pais muitas ferramentas para fortalecer filhos no evangelho e em todos os aspectos da vida. Ao ajudar os jovens a alcançar seu pleno potencial, precisamos ajudá-los a perceber que:

  1. Viver o evangelho constantemente é essencial para todos os aspectos da vida.
  2. O céu será um lugar agradável para viver eternamente.
  3. O valor individual deles excede sua imaginação fértil.
  4. Eles podem ter seus próprios sentimentos sobre sua proximidade com Deus.
  5. Eles têm um lugar no plano de salvação.

Cada um desses conceitos pode ter uma influência significativa no processo de ajudar os jovens a, finalmente, alcançar ou atingir seu pleno potencial e podem tornar-se uma parte agradável da vida enquanto seus filhos crescem.

Escrito por David J. Ridges e traduzido por Luciana Fiallo.

Fonte: www.ldsliving.com

| Fortalecendo as Famílias
Publicado por: Luciana Fiallo
Tradutora e intérprete de formação e paixão. Escolheu essa profissão para, no futuro, poder fazer lição de casa com os filhos e continuar trabalhando.
Anne Frank
O Evangelho de acordo com Anne Frank
Igreja faz Declaração Sobre os Casos de Racismo na Virgínia, EUA

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *