Como Abordar a Masturbação

Muitos pais se perguntam como eles devem abordar a masturbação com seus filhos. Não é preciso dizer que todos os pais entendem que a masturbação é algo que não deve ser feito publicamente. Além disso, contudo, a maioria dos pais se cala e não sabe como iniciar uma conversa sobre isso.

Mesmo que a maioria dos terapeutas e educadores digam que masturbar-se não é nada demais e que os pais não precisam se preocupar se seus filhos se masturbam, como pais, vocês são quem decidem como vão ensinar seus filhos sobre o corpo deles. Apesar da Igreja SUD alertar contra a masturbação, os pais muitas vezes não sabem como ensinar “o porquê” ou o que dizer a seus filhos além de um simples, “Pare com isso já!”

Evitar uma Abordagem Negativa

A história conta muitas táticas assustadoras e inúteis (bem-humoradas também, devo acrescentar) para evitar que os filhos se masturbem. Cegueira, mãos peludas, insanidade e outras doenças foram motivos inventados para assustar os jovens. Essas são maneiras ultrapassadas e obviamente falhas de lidar com o tema da masturbação, mas os pais devem estar cientes de que a ansiedade e o medo ainda podem frustrar tentativas bem-intencionadas de impedir este comportamento.

A despeito do que você já tenha lido sobre educação sexual, seus filhos não sofrerão mal algum se ficarem longe da masturbação. Mesmo sendo parte normal do desenvolvimento infantil e da autodescoberta, é um comportamento que pode rapidamente tornar-se problemático. Mas certifiquem-se de que em seus esforços para educar seus filhos sobre as suas preocupações com a masturbação não os deixem envergonhados. Abordagens que trazem sentimentos de vergonha e culpa por causa da abstinência são inúteis. Elas podem criar associações negativas que podem causar outros problemas emocionais e de relacionamentos.

Erguer-se Acima do que Acontece “Naturalmente”

Os educadores do sexo parecem ser pegos neste falso dilema. Eles acreditam que praticamente todas as crianças descobrirão a masturbação por conta própria. Acreditam também que os pais prejudicarão algo natural e inofensivo se tentar impedi-los dessa prática. Reconheçam que existem maneiras saudáveis de ajudar as crianças a saber como evitar as armadilhas da masturbação. Deixar seus filhos envergonhados ao ser autoritário ou ignorar o assunto completamente não são as duas únicas opções.

Sou completamente contra envergonhar os filhos. Também discordo plenamente com a noção de que devemos lavar as mãos e deixar nossos filhos viverem tudo o que for natural para eles. Como pai, eu quero ajudar meus filhos a dominar seus impulsos físicos. Acredito que existem maneiras que não envergonhem e que ajudem para realizarmos essa tarefa.

Ajuda nas Escrituras

O rei Benjamim e Alma ensinaram que devemos vencer o homem natural e refrear nossas paixões para sermos preenchidos com amor. Não é errado ter paixões e apetites. Nossos esforços para refreá-las é uma fraqueza. Com ela podemos nos voltar com humildade ao Pai Celestial para que Ele nos ajude. A Dra. Wendy Ulrich ensinou que Deus é o autor das fraquezas e Satanás é o autor do pecado. É importante não as confundir ou sentir vergonha por lutar contra os impulsos naturais que foram colocados em nós para nosso próprio crescimento.

Comece com um Ambiente de Confiança

Espero que em seu lar já exista um ambiente onde seus filhos sabem que dignos de amor e compreensão. Um ambiente onde os erros são vistos como oportunidades de aprendizagem e crescimento. Os erros não devem fazer seus filhos se sentirem sem esperança.

Se você contribui para um ambiente onde seus filhos sentem vergonha e têm medo de errar ou serem humanos, então é importante que você melhore as condições antes de começar uma conversa delicada sobre sexualidade. Seus filhos precisam saber que não há absolutamente nada de errado com eles quando eles descobrem a masturbação. Não envie a mensagem de que eles fizeram algo nojento ou mau.

Provavelmente seus filhos vão descobrir a masturbação. Você pode pegá-los, eles podem admitir se você perguntar ou simplesmente contar (menos provável). Não fiquem chocados, revoltados, enojados, decepcionados ou chateados. Do mesmo modo como você não deve corrigir um carro na estrada, é perigoso exagerar na reação e na correção de seus filhos que estão descobrindo o corpo.

É Possível Ensinar Seus Filhos Sobre o Controle do Próprio Corpo

Seus filhos podem aprender que o corpo tem impulsos naturais e poderosos que servem para propósitos importantes no casamento. Ao descobrirem esses sentimentos, eles podem ser ensinados a aceitá-los como normais e saudáveis. Seus filhos nunca devem sentir vergonha de sua sexualidade ou do desejo de agir de acordo com esses sentimentos. No entanto, seus filhos podem aprender que só porque eles sentem algo forte e natural não significa que eles têm de reagir aos impulsos.

Seus filhos podem aprender os propósitos de Deus para esses sentimentos e direcioná-los para seus fins pretendidos. Ser disciplinados e dominar os impulsos vai ajudá-los a aprender a valorizar e respeitar o corpo sem ter vergonha, o que diminui a probabilidade de que eles desenvolvam padrões viciantes e insalubres na vida.

**Parte deste conteúdo foi publicado originalmente pelo autor no site Protect Young Minds [Proteja a Mente dos Jovens].

Geoff Steurer é terapeuta conjugal e familiar licenciado em St. George, UT. Ele é o dono da Alliant Counseling e Education (www.alliantcounseling.com) e diretor-fundador da LifeStar de St. George. É um programa de tratamento ambulatorial para casais e indivíduos afetados pela pornografia e pelo vício sexual (www.lifestarstgeorge.com). Geoff é o líder da conferência de 2017 para a conferência do sudeste de Utah da Coalizão de Utah Contra a Pornografia (www.utahcoalition.org).

Ele também é coautor de “Ame a Si Mesmo, Odeie a Pornografia: Como Curar um Relacionamento Arruinado pela Infidelidade Virtual”, disponível no Deseret Book. É também autor da série em áudio “Fortalecer a Recuperação ao Fortalecer o Casamento”, disponível em www.geoffsteurer.com. Geoff é autor de livros e artigos sobre os temas de cura conjugal, recuperação do vício sexual, recuperação de traumas deixados por traição e revelação de segredos. Ele também escreve uma coluna semanal sobre relacionamento para a Meridian Magazine (http://ldsmag.com/author/geoff-steurer/). Ele é bacharel pela BYU em estudos de comunicação e tem mestrado em terapia conjugal e familiar pela Universidade de Auburn. Casou-se com Jody Young Steurer, e eles têm quatro filhos.

Entre em contato com ele:

Site na Internet: www.geoffsteurer.com
Twitter: @geoffsteurer
Facebook: www.facebook.com/GeoffSteurerMFT

Instagram: @geoffsteurer

Escrito por Geoff Steurer e traduzido por Luciana Fiallo Alves

Fonte: www.ldsliving.com

Saiba mais:

Como Falar com Seus Filhos Sobre os Perigos da Pornografia