Finados: muito mais do que apenas um dia triste

Relembrar de entes queridos e pessoas que já faleceram é uma tradição antiga, que teve sua data oficial estabelecida no mundo ocidental como o dia 2 de novembro, a partir da iniciativa de um abade no século X em uma pequena cidade na França.

Essa prática foi difundida na Igreja Católica e se estendeu para diversas culturas. Hoje, mesmo depois de tanto tempo, o Dia de Finados é um feriado que reúne famílias para homenagear seus entes queridos em todo o mundo.

Apesar da morte ser assunto delicado e triste para muitos, na Igreja aprendemos que a morte não é um fim, mas sim parte de um plano que tem o objetivo de unir as famílias para a eternidade.

O Dia de Finados

É claro que mesmo com todo o conhecimento de que a morte não é o fim, cada um sente e vivencia este dia de uma maneira diferente.

Nossos irmãos mexicanos, por exemplo, honram e celebram o “Dia de Los Muertos” (Finados) com felicidade, e prestam suas homenagens ao preparar os pratos favoritos de seus falecidos, com músicas e ao compartilhar suas histórias.

Aqui no Brasil é diferente, nós tratamos este dia com mais reverência, temos o costume de visitar os cemitérios e levar flores para homenagear aqueles que já se foram.

Então, como podemos honrar e homenagear nossos entes queridos além de lembrar de suas mortes, o que pode ser algo triste para muitas pessoas?

Como membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos Últimos Dias, temos diversos recursos que podem nos ajudar a honrar os nossos ancestrais.

Honrar nossos antepassados

Podemos começar com a nossa árvore genealógica e trabalhar nela através do FamilySearch. Aproveito para lembrar que o FamilySearch não é um recurso oferecido somente para membros da Igreja. Para saber mais acesse FamilySearch.org.

Outra maneira é usarmos o aplicativo Recordações do FamilySearch. Podemos aproveitar a data e registrar histórias e fotos e compartilhar com os nossos familiares.

Também podemos escrever em nossos diários e dedicar o dia 2 de novembro para registrar nossos sentimentos por aqueles que amamos e que já não estão mais entre nós.

A promessa de um apóstolo

Em outubro de 2011 ao falar sobre a importância da história da família, Élder Bednar ensinou:

“Incentivo-os a estudarem, a pesquisarem seus antepassados… e peço que ajudem outras pessoas a identificar a história da família delas.

Ao atenderem com fé a este convite, seu coração se voltará aos pais. As promessas feitas a Abraão, Isaque e Jacó serão implantadas em seu coração.

Sua bênção patriarcal, com sua declaração de linhagem, vai ligá-los a esses pais e será mais significativa para vocês. Seu amor e sua gratidão por seus antepassados vão aumentar.

Seu testemunho do Salvador e sua conversão a Ele se tornarão mais profundos e duradouros.”

Muito mais do que apenas um dia triste

Se você sempre viu o Dia de Finados com um dia triste em que não se pode fazer nada por aquele que já se foram ou um dia para lamentar a falta que eles fazem, lembre-se que conhecer a história da nossa família nos conecta com os nossos antepassados e fortalece os nossos laços familiares.

E você, quais são as suas tradições no Dia de Finados? Em qual geração você já chegou da sua árvore familiar? Você tem alguma história da sua família para compartilhar? Deixe aqui nos comentários.

Aqui em casa, hoje é dia de relembrar as histórias que ouvimos e conhecemos de nossos antepassados ao compartilhá-las com nossos familiares. Rimos das presepadas e choramos pela saudade e pelo amor que fica.

| Fortalecendo as Famílias
Publicado por: Vanessa Pozete
Tradutora e intérprete, nascida em Fortaleza, criada em Santos, casada e com três filhos. Serviu missão Brasil João Pessoa. Ama a maternidade, fotografia, praia e livros de aventura e ficção. É a Localization Specialist do time português na More Good Foundation.
O que aprendemos com o Élder Soares: Equipe Mais Fé responde
Jovens de todo o Brasil, não percam o MeetUp + Games

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *