Com o musical The Book of Mormon, mórmons proeminentes em destaque na mídia, e as referencias nos shows the TV, os Santos dos Últimos Dias estão acostumados com piadas ou debates públicos calorosos sobre sua religião. Mas o contrário também acontece. Veja sete ocasiões na qual uma celebridade defendeu o mormonismo e seus membros:

Jon Stewart defende Mitt Romney e os Mormons

Quando Mitt Romney anunciou sua candidatura para a presidência em 2012, Jon Steward falou sobre o candidato e sua religião.

Embora não tenha expressado sentimentos calorosos por Mitt Romney ou sua religião, o humorista usou seu humor e sarcasmo para quebrar algumas percepções negativas que as pessoas tinham sobre o mormonismo naquela época. Ele disse:

“Não há nada assustador no fato de que ele é um mórmon.”

Ele então mostrou vídeos de ocasiões em que políticos e líderes religiosos atacaram a crença SUD ou Joseph Smith como “adoradores de um falso Deus”, não cristãos, ou membros de um culto.

De forma hilária, Steward destacou as falhas dessas acusações, demonstrando que cada religião contém tópicos controversos.

Você pode assistir o vídeo completo em inglês aqui.

Atenção: O vídeo usa linguagem profana ou vulgar, e é irreverente. Não é apropriado para todas as idades

Tom Hanks e o Coro do Tabernáculo Mórmon

Em janeiro de 2017, NPR recebeu Tom Hanks, Faith Salie, Luke Burbank e Paula Poundstone em uma transmissão ao vivo.

Durante o podcast, Tom Hanks e Paula Poundstone falaram sobre a posse do Presidente Donald Trump, e as celebridades que estariam presentes no evento.

Então Tom Hanks listou o Coro do Tabernáculo Mórmon entre as celebridades e Paula Poundstone disse:

“Eu não acho que o Coro do Tabernáculo Mórmon seja exatamente uma celebridade. Quando foi a última vez em que você encontrou o coro na rua e pensou ‘Meus amigos não vão acreditar nisso.’?”

Tom Hanks respondeu:

“Quando eu penso nos coros mais famosos, e qual eu consideraria entre as celebridades, eu teria de admitir que é o Coro do Tabernáculo Mórmon.”

the killers

Brandon Flowers defende o Mormonismo dos ataques de um famoso ateísta.

Em 2012, Flowers defendeu o mormonismo quando sua fé for atacada pelo ateísta Richard Dawkins em um show de TV norueguês.

Durante a entrevista o tópico se voltou para a esposa e filhos de Brandon, onde ele falou sobre sua fé e a beleza de sua religião:

“Algumas das coisas que eu mais amo é a memória de minha mãe me ensinando como orar e ter uma comunicação com o Pai Celestial. Isso é algo que eu relembro diariamente. Há respostas para muitas perguntas em minha igreja nas quais eu penso que é algo belo. É algo belo para mim e sou feliz por causa disso.”

Ele continuou mencionando que “O mormonismo é muitas vezes interpretado de forma errônea” e que pessoas ainda não conhecem muito de suas crenças.

Quando perguntado se ele acredita verdadeiramente em Joseph Smith e na tradução do Livro de Mórmon, ele disse:

“Sim. Eu conheço bem as origens de minha religião. Eu li sobre isso. Você sempre chega na idade onde você precisa fazê-lo. Seus pais ensinam algo a você, mas quando você se torna adulto, você precisa decidir por si mesmo. Você precisa ter um testemunho próprio.”

Momentos depois, o programa de TV chamou o famoso ateísta Richard Dawkins no palco. Em sua explicação sobre como ele acreditava que a ciência substitui a necessidade de religião ele criticou a Igreja SUD, dizendo que o Livro de Mórmon era obviamente falso, dizendo “não é algo belo, é a obra de um charlatão.”

Uma das “evidências” que Dawkins apresentou foi que “Um livro escrito no século XIX usando inglês do século XVI… Não era dessa forma que as pessoas falavam no século XIX. É obviamente uma fraude.”

Apesar dos ataques e interrupções Flowers se manteve calmo e disse:

“Quando você diz que ele [Joseph Smith] foi um charlatão, eu considero isso como uma ofensa pessoal.”

Percebendo o tom da discussão, o apresentador interrompeu a discussão, dizendo que Flowers precisava sair para se preparar para o seu próximo show. Então Flowers disse:

“Podemos conversar por telefone mais tarde, e eu posso te contar a verdadeira história [da Igreja.]”

Mitt Romney e Joe Biden defendem o Mormonismo

Depois de sua candidatura à presidência em 2008 e 2012, Mitt Romney se tornou um dos mórmons mais famosos na política, trazendo muita atenção a sua fé.

Ele disse:

“Eu não tento me distanciar de minha fé de nenhuma maneira. Eu aceito minha fé de forma completa, mas eu não imponho minhas crenças para outras pessoas.”

Em 2007 ele disse:

“Eu acredito em minha fé mórmon e me esforço para vivê-la. Alguns acreditam que ao testificar sobre minha fé minha candidatura será prejudicada. Se eles estiverem certos, que seja. Mas eu acredito que eles subestimam o povo americano. Americanos não respeitam pessoas que tem crenças momentâneas. Americanos não gostam daqueles que prejudicam suas crenças para tentar ganhar o mundo.”

Durante o mesmo discurso ele testificou sobre sua crenças de que ”Jesus Cristo é o Filho de Deus e o Salvador da humanidade.” Em uma outra entrevista ele disse:

“Eu tenho orgulho da Igreja mórmon. Eu tenho orgulho do fato de que meus antepassados ajudaram a edificar o oeste americano. Tenho orgulho que lutamos pela visão da tolerância religiosa e que nós a conquistamos, tornando possível que alguém como eu possa se candidatar à presidência. ”

Em 2012, Romney encontrou um curioso aliado na oposição. Vice Presidente Joe Biden, braço direito do Presidente Obama, disse:

“Mesmo que ele seja nosso oponente, eu acredito que é inaceitável que pessoas nas pesquisas dizem que não vão apoiá-lo porque ele é um mórmon. Eu acredito que é um absurdo que em 2011 nós ainda estamos debatendo se um homem é digno ou não de nosso voto baseado na questão de que sua religião, questionando se ser um Santo dos Últimos Dias é algo que o desclassifique. Não é. Isto é vergonhoso. Qualquer pessoa que pense dessa maneira deveria se envergonhar.”

Tim Allen fala contra o musical The Book of Mormon

“Eu quase saí da apresentação do musical The Book of Mormon. Eu achei horrível. Eu não acho que foi engraçado de nenhuma maneira.” Disse Tim Allen em uma entrevista para o Deseret News em 2017. O comediante Famoso disse que o musical foi “perturbador” e “maldoso”, enfatizando que uma produção similar sobre qualquer outra fé não teria sido aprovada. Allen, que se formou em Filosofia e Estudos Religiosos, disse que ele tem um grande respeito por todas as religiões e ele sabe quando uma piada passa dos limites.

Sobre a resposta da Igreja sobre o musical, Allen disse:

“Isto mostra uma certa classe. Não ouve nenhum contragolpe vindo dos mórmons.”

Allen até mesmo brincou sobre ser um membro da Igreja depois de fazer uma turnê na praça do templo onde ele aprendeu sobre os pioneiros e a história da Igreja.

“Isto é incrível. Eu vou me tornar um mórmon.”

President Roosevelt defende apóstolo mórmon

Além de ter sido um apóstolo no Quórum dos Doze Apóstollos, Reed Smoot foi um senador americano em 1903, servindo por 30 anos.

Apesar de sua posição proeminente, o serviço do senador não foi livre de controvérsia. Sua proximidade com a Igreja em sua eleição reacendeu sentimentos anti-mórmon em toda a nação. Durante seu primeiro ano, cidadãos protestaram enviando cerca de 3.100 petições para a capital. O que se seguiu foi uma investigação de quatro anos onde Reed Smoot e a Igreja ficaram sob um olhar inquisidor, onde o passado e o presente da Igreja foram analisados.

Entre os defensores mais influentes do Senador Smoot estava o Presidente Theodore Roosevelt, que visitou Utah em 1903 para demonstrar seu apoio.

Presidente Roosevelt disse sobre a investigação:

“Eu analisei os fatos cuidadosamente, e fiquei convencido que o Senador Smoot me disse a verdade. Então, o tratei como eu trato qualquer outro senador, me baseando estritamente em seus méritos como um servidor público.”

Em outra ocasião ele disse:

“Por tudo o que é sagrado, eu digo que Reed Smoot tem o direito de ter seu lugar no Senado sob a Constituição. O fato de que ele é um líder religioso não faz diferença. Eu farei tudo em meu poder para ajudá-lo a manter a sua posição.”

O caráter irrepreensível de Smoot e o apoio do Presidente Theodore Roosevelt fizeram com que o Senado votasse a favor de manter sua posição. Este apoio presidencial foi um “momento decisivo no desenvolvimento da relação entre a Igreja SUD e o público americano.”

Presidente Roosevel visitou Utah em diversas ocasiões, sempre elogiando e falando sobre os Santos. Em sua visita em 1903, ele disse:

“Vocês pegaram um estado nos limites do deserto, e literalmente fizeram este deserto florescer como uma rosa.”

Presidente Roosevelt se encontrou com líderes da Igreja em diversas ocasiões. Ele até mesmo se encontrou com os missionários em um desfile público no Tenesse em 1907. Estes eventos ajudaram a divulgar a Igreja e o trabalho missionário e a desfazer rumores sobre a fé mórmon.

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

Brandon Flowers: Estrela do Rock Fala Sobre Ideias Falsas que Pessoas Têm Sobre o Mormonismo