Por que eu uso o garment do templo?

No início desta semana, o New York Times  publicou um artigo que cobria uma campanha da rede social de uma mulher santo dos últimos dias em busca de um estilo alternativo e opções materiais para as roupas do templo.

Ficou claro que Ruth Graham, a autora do artigo, estava tentando ser respeitosa e justa na cobertura de um tema que é delicado e sagrado para os membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

No entanto, como Terry Mattingly apontou recentemente, “a história menciona que há mulheres online defendendo a atual expressão da tradição. Onde elas ficam nesta história?” Mulheres como eu têm muito a dizer sobre o assunto.

Então, enquanto o artigo fez um bom trabalho ao tratar os muitos lados da questão, senti que, como Mattingly aponta, minha perspectiva poderia ajudar a completar a sua abordagem.

Por que usamos o garment do templo?

Os santos dos últimos dias, homens e mulheres, começam a usar o garment do templo depois de participar de um conjunto de rituais sagrados (que chamamos de “ordenanças”) em um de nossos templos—algo conhecido como iniciatória e investidura.

Essas ordenanças envolvem fazer convênios, ou promessas, para Deus, e os membros da Igreja geralmente completam essas ordenanças, quer antes de servir uma missão de proselitismo em tempo integral ou ser selado (casado) no templo.

Para aqueles que não são membros da Igreja, mas estão interessados em aprender sobre o garment do templo ou ver como eles são, podem ver o vídeo informativo criado pela Igreja alguns anos atrás.

Também pode interessar: “Ela está usando os garments?” Por que usar nossos padrões como régua é perigoso

Minha experiência com o uso do garment

perguntas para os missionários

Fiz minha investidura há quase dez anos, algumas semanas antes de partir para uma missão em Ontário, Canadá.

Eu já estava familiarizada com o garment do templo, porque meus pais usavam, e eu entendia que parte do convênio, ou promessa, que fiz no templo seria usar o garment para o resto da minha vida, exceto em algumas circunstâncias em que não seria razoável ou inadequado fazê-lo.

Fui com minha mãe ao centro de distribuição do templo, onde pude ver para uma variedade de materiais e estilos e escolher o que eu pensei que seria mais confortável para usar, e uma atendente gentil me mediu e me ajudou a encontrar os tamanhos que eu precisava.

Levei meus garments para o templo e fui autorizada a usá-las.

Estilos especiais e adaptações

Desde então, eu tentei muitos dos estilos e tecidos, e acho que alguns pinicam ou são desconfortáveis, e outros acho muito confortáveis e muito parecidos com a sensação de usar uma lingerie comum, comprada na loja.

Todos os estilos têm um painel de fundo de algodão 100% para respirabilidade e higiene, como recomendado por ginecologistas e obstetras.

Muitos novos estilos, tecidos e atualizações de tamanho foram disponibilizados desde que fiz minha investidura, incluindo novos estilos para grávidas e lactantes.

Outros estilos especiais incluem garments térmicos, garments para pessoas acamadas, e garments para militares e outros tipos.

Membros com investidura que têm necessidades médicas especiais, tais como aqueles que tiveram mastectomias ou colostomias podem solicitar garments especiais para atender às suas necessidades.

Isto não quer dizer que todas as necessidades especiais estão sendo atendidas atualmente, mas que a Igreja está trabalhando ativamente para atender o maior número possível de necessidades.

Como a Igreja continua a receber feedback dos membros, espero que mais atualizações em material e em formatos, bem como estilos especiais adicionais, sejam fabricados.

‘Ensino-lhes princípios corretos e eles governam-se a si mesmos’

Sempre senti que posso tomar decisões pessoais sobre quando é apropriado para mim usar ou não meus garments.

Para as mulheres, especificamente, a menstruação, o parto e o pós-parto, e os desafios de saúde podem às vezes exigir uma pausa no uso do garment, e cabe ao indivíduo tomar essas decisões pessoal em espírito de oração.

Em um artigo de uma revista da Igreja de 1999, Carlos E. Asay, Autoridade Geral Emérito explicou:

“Há alguns que gostariam de receber um código de vestuário detalhado que responde todas as perguntas imagináveis sobre o uso do garment do templo.

Líderes do sacerdócio legislariam comprimentos, especificariam as condições de quando e como ele deve e não deve ser usado, e imporiam penalidades para aqueles que descumprissem uma vírgula das regras.

A maioria dos santos dos últimos dias, no entanto, regozijam-se com o arbítrio moral oferecido por um amoroso Pai Celestial.

Eles estimam a confiança colocada neles pelo Senhor e os líderes da Igreja—uma confiança implícita nesta afirmação feita pelo Profeta Joseph Smith: ‘Ensino-lhes princípios corretos e eles governam-se a si mesmos'”.

Veja também: Tad R. Callister comenta sobre a diferença entre ensinar princípios e estabelecer regras

A responsabilidade de usar o garment do templo

Usar o garment do templo não é algo livre de responsabilidades. Parece que Deus raramente nos pede coisas fáceis.

Os garments colocam restrições de modéstia na roupa que eu uso. Moro em Phoenix, Arizona, onde os nossos longos dias de verão regularmente atingem 43 Graus Celsius ou mais.

Encontrar roupas adequadas ao clima e elegantes não é impossível, mas requer um esforço extra. E ter uma camada extra de roupa leve por baixo pode, muitas vezes, trazer certo incômodo.

Também passei por períodos de profundo desafio à minha fé quando vestir o garment foi algo mais por hábito e questão de fé do que qualquer outra coisa.

Então, porque é que uso o garment? Porque fiz uma promessa a Deus de usá-lo.

Porque me lembra de convênios sagrados que fiz no templo de Deus.

Porque eu senti a presença de Deus no templo, e o garment me conecta com todos aqueles momentos especiais .

Porque, quando tive dúvidas sobre a Igreja de Jesus Cristo ou desafios à minha fé, recebi respostas tanto espirituais quanto intelectualmente satisfatórias, embora nem sempre sejam as respostas que procuro.

Porque vi Deus a trabalhar nesta Igreja.

Porque tenho um testemunho e amor pelo meu Salvador Jesus Cristo, cujo evangelho creio ser ensinado dentro desta Igreja.

Usar o garment me aproxima de Cristo

Arte: Yongsung Kim

E, em última análise, o garment me aproxima de Jesus Cristo. A escritura compara nosso estado pecaminoso à nudez e usar o garment é como estar vestido com a graça curadora de Cristo. Quando uso o garment, uso a graça de Cristo em mim.

Também acredito que o nosso Salvador está ciente dos sacrifícios que fazemos para manter os nossos convênios. Em uma revelação dada ao Profeta Joseph Smith em 1833, o próprio Senhor disse:

“Em verdade vos digo: Todos os que, dentre eles, souberem que seu coração é honesto e está quebrantado e seu espírito, contrito; e que estiverem dispostos a observar seus convênios por meio de sacrifício — sim, todo sacrifício que eu, o Senhor, ordenar — esses serão aceitos por mim”.

Tenho esperança sincera que um dia, quando eu voltar ao lar celestial para prestar contas ao Senhor, Ele aceitará meus pequenos sacrifícios e tentativas débeis de ser uma discípula e uma guardiã do convênio.

Fonte: Public Square Magazine

| Vida dos Santos dos Últimos Dias

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *