Elder Holland: para os meus amigos que querem acreditar

*Nota do editor: Este artigo é um trecho do livro “To My Friend”, escrito pelo Élder Jeffrey R. Holland. O livro convida seus leitores a terem o apóstolo como um amigo pessoal e a lerem suas palavras para encontrar conforto, encorajamento e conselho, em qualquer circunstância.

Em uma ocasião Jesus viu um grupo discutindo com veemência com seus discípulos.

Quando o Salvador perguntou sobre a causa desta discórdia, o pai de uma criança aflita deu um passo à frente, dizendo que havia se aproximado dos discípulos de Jesus para pedir uma bênção para seu filho, mas eles não foram capazes de oferecê-la.

Com o menino ainda mordendo seus dentes, espumando pela boca, e debatendo-se no chão na frente deles, o pai apelou a Jesus com muito desespero em sua voz: “se tu podes fazer alguma coisa,” ele disse, “tem compaixão de nós, e ajuda-nos”.

“E Jesus disse-lhe: Se tu poderes crer, tudo é possível ao que crê.”

“E logo o pai do menino, clamando com lágrimas, disse: Eu creio, Senhor! ajuda a minha incredulidade.”

Eu creio

Com este terno registro bíblico como pano de fundo, desejo dirigir esses pensamentos diretamente aos jovens da Igreja – jovens em idade, jovens na conversão ou jovens na fé. De uma forma ou de outra, isso deve incluir a todos.

A observação número um a respeito deste relato é que ao enfrentar um desafio de fé, o pai afirma sua força primeiro e só então reconhece sua limitação.

Sua declaração inicial é afirmativa e sem hesitação: “Eu creio, Senhor!

Eu diria a todos os que desejam ter mais fé, lembrem-se deste homem! Nos momentos de temor ou dúvida ou em tempos difíceis, preservem o que já conquistaram, mesmo que seja algo limitado.

No crescimento que todos temos que experimentar na mortalidade, iremos passar pelo equivalente espiritual da aflição deste menino ou o desespero deste pai.

Quando esses momentos chegarem e surgirem questões, cuja resolução não é imediata, mantenham-se firmes naquilo que já sabem e mantenham-se fortes até que chegue o conhecimento adicional.

O tamanho de sua fé ou o grau de seu conhecimento não é o problema, é a integridade que você demonstra para a fé que tem e para a verdade que já conhece.

A segunda observação é uma variação da primeira. Quando os problemas vêm e as perguntas surgem, não comecem a sua busca pela fé dizendo o quanto você não tem, e depois pela sua “incredulidade”.

Permitam-me ser claro a este respeito: não peço que finjam que não têm fé. Peço que sejam fieis à fé que têm.

Honestidade e fé

Às vezes agimos como se uma declaração honesta de dúvida fosse uma manifestação maior de coragem moral do que uma declaração honesta de fé. E não é.

Por isso, todos devemos lembrar da mensagem clara deste relato bíblico: seja tão franco sobre as suas perguntas quanto você precisa ser, a vida está cheia delas sobre um assunto ou outro.

Porém, se você e sua família querem ser curados, não deixe que essas questões se interponham no caminho da fé fazendo seu próprio milagre.

Este é um trabalho divino em processo, com as manifestações e bênçãos seguindo em todas as direções, por isso, por favor, não se assuste se de tempos em tempos surgem questões que precisam ser examinadas, compreendidas e resolvidas.

Nesta Igreja, o que sabemos superará sempre o que não sabemos. E lembrem-se, neste mundo, todos devem andar pela fé.

Portanto, sejam gentis em relação à fragilidade humana, tanto a sua como a daqueles que servem com você numa igreja liderada por homens e mulheres voluntários e mortais.

Exceto no caso de Jesus Cristo, o Filho Unigênito perfeito, pessoas imperfeitas são tudo o que Deus tem para trabalhar.

Deve ser muito frustrante para Ele, mas Ele lida com isso. E também nós. E quando você ver imperfeição, lembre-se que a limitação não está na divindade da obra.

Apenas acreditar

Uma última observação: quando surgir dúvida ou dificuldade, não tenha medo de pedir ajuda.

Se o quisermos tão humilde e honestamente como aquele pai, podemos consegui-lo. As escrituras referem um desejo tão sério com “verdadeira intenção”, seguido de “com todo o coração, agindo sem hipocrisia e sem dolo diante de Deus.”

Eu testifico que em resposta a esse tipo de questionamento, Deus enviará ajuda de ambos os lados do véu para fortalecer nossa crença.

Recentemente, um menino de quatorze anos me disse um pouco hesitante: “irmão Holland, ainda não posso dizer que sei que a Igreja é verdadeira, mas acredito que é.”

Abracei aquele rapaz com força. Disse-lhe com todo o fervor da minha alma que a crença é uma palavra preciosa, um ato ainda mais precioso, e ele nunca precisa pedir desculpa por “apenas acreditar”.

Eu disse-lhe que o próprio Cristo é: “não tenha medo, apenas acredite”, uma frase que, a propósito, levou o jovem Gordon B. Hinckley para o campo missionário.

Meu testemunho

Agora, com a vantagem que seis décadas me dão desde que eu era um jovens de 14 anos, declaro algumas coisas que sei.

Sei que Deus é, em todos os momentos e em todos os sentidos e em todas as circunstâncias, o nosso amoroso Pai.

Sei que Jesus é o Seu único Filho perfeito, cuja vida foi dada amorosamente pela vontade do Pai e do Filho para a redenção de todos os outros que não são perfeitos.

Sei que Ele ressuscitou da morte para viver de novo, e porque o fez, você e eu também viveremos.

Sei que Joseph Smith, que reconheceu que não era perfeito, foi, no entanto, o instrumento escolhido na mão de Deus para restaurar o evangelho eterno à terra.

Também sei que, ao fazê-lo, em particular através da tradução do Livro de Mórmon, ele me ensinou mais sobre o amor de Deus, a divindade de Cristo, e o poder do sacerdócio do que qualquer outro profeta, de quem eu já li, conheci ou ouvi falar em uma vida de busca.

Estas coisas eu vos declaro com a convicção que Pedro chamou de “palavra de profecia mais segura”.

O que já foi uma pequena semente de crença para mim cresceu na árvore da vida, por isso, se a sua fé for um pouco testada nesta ou em qualquer época, convido você a apoiar-se na minha.

Sei que esta obra é a verdade de Deus, e sei que só por nossa conta e risco permitiríamos que a dúvida ou os demónios nos desviassem do seu caminho. Tenham esperança. Permaneçam em sua jornada.

Reconheçam honestamente as suas perguntas e as suas preocupações, mas, primeiro e para sempre, mantenham acesa a chama de sua fé, porque todas as coisas são possíveis para os que acreditam.

Fonte: LDS Living

| Profetas Hoje

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *