Muitos anos atrás, um homem de 23 anos foi chamado para ser o novo presidente de estaca em Tooele, Utah. Naquela época, as conferências de estaca tinham duas sessões. No almoço entre as sessões, Joseph F. Smith, uma das Autoridades Gerais presentes, disse ao novo presidente da estaca:

“Você disse que acredita no evangelho de todo o coração e propõe vivê-lo, mas você não prestou testemunho de que sabe que é verdade. Você não tem a absoluta certeza que esse evangelho é verdadeiro?

“Eu não”, respondeu o jovem.

“Presidente Taylor”, disse o Élder Smith ao Presidente da Igreja na época, John Taylor, que também estava presente, “Sou a favor de desfazer o que fizemos esta manhã. Não creio que alguém deva presidir uma estaca sem ter um conhecimento perfeito e duradouro da divindade desse trabalho ”.

O Presidente Taylor apenas riu e disse: “Joseph, Joseph, Joseph, ele sabe que é verdade tão bem quanto você. A única coisa que ele não sabe é que ele já sabe da veracidade dessas coisas.”

Essa história nos faz ponderar a seguinte questão: é possível saber que a Igreja é verdadeira, mas não saber que você sabe que é verdadeira? Um testemunho é tão difícil de detectar? Essa história é ainda mais interessante quando você descobre a identidade do novo presidente de estaca. Seu nome era Heber J. Grant. Sim, o mesmo Heber J. Grant, que mais tarde se tornou o Presidente da Igreja.

Na próxima vez que Heber J. Grant discursou a membros de sua estaca, ele falou vigorosamente durante quarenta e cinco minutos. Desta vez, ele sabia que sabia.

Meu amigo Brad Wilcox sugere que não devemos falar de testemunhos usando a terminologia que sugere que o testemunho seja como um “interruptor de luz”, que fica “ligado” ou “desligado”; “Eu tenho um testemunho” ou “não tenho testemunho”; “Eu tive, mas perdi.”

a morte

Um testemunho não é tudo ou nada. Existem diferentes níveis de testemunho, e nossos testemunhos podem crescer ou diminuir com base em nossas experiências, nossas circunstâncias e nossas escolhas.

O irmão Wilcox está certo. Um testemunho não é como um interruptor de luz com apenas duas opções, ligado ou desligado. Então, como identificar um testemunho?

Na minha visão, um testemunho é mais como uma luz que é controlada com um moderno interruptor de intensidade que possibilita um número quase infinito de ajustes entre a luz total e a escuridão total.

Assim como existem níveis de luz, existem também níveis de testemunho. Nossos testemunhos começam com a escuridão da incredulidade e se tornam mais e mais brilhantes até atingir o nível onde sabemos que algo é verdadeiro.

Com o interruptor dimmer[1] podemos ver como alguém poderia ter apenas um pouco de luz, um pouco de crenças, e ainda assim dizer: “Eu desejo mais luz”, ou “ajuda a minha incredulidade”. (Marcos 9:24)

Você pode encontrar pessoas que simplesmente não acreditam, mas se elas estiverem dispostas a deixar a descrença de lado por apenas por um momento, algo começa a acontecer.

Ao ouvir um testemunho e aprender o evangelho, à medida que o Espírito começa a “iluminar” suas mentes, elas podem passar da dúvida para a ponderação e da ponderação para um “desejo de acreditar” (Alma 32:27). Com o tempo, o desejo dessas pessoas pode se transformar em uma crença e até mesmo em um conhecimento de que o que aprenderam sobre o evangelho é bom e verdadeiro.

Quando você deixa a sua luz brilhar em suas vidas, pode transformar suas trevas em luz.

O Senhor falou de uma “luz crescente” neste interessante versículo da escritura que se encaixa perfeitamente em nossa analogia mais obscura:

“Aquilo que é de Deus é luz; e aquele que recebe luz e persevera em Deus recebe mais luz; e essa luz se torna mais e mais brilhante, até o dia perfeito.” (D & C 50:24)

Esse é o nosso objetivo: reconhecer a luz que temos, “perseverar em Deus” e ganhar mais luz  e ficar mais e mais brilhante até o dia perfeito, ou até podermos dizer: “Eu realmente sei”.

Fonte: LDSLiving

[1] O dimmer , também conhecido como variador de luminosidade, é um dispositivo que permite regular a intensidade do brilho da iluminação.

Relacionado:

Qual a Diferença Entre Testemunho e Conversão?