“Se queres ser livre, contente, feliz, esquece os problemas enquanto sorris”

“Se queres ser livre, contente, feliz,
Esquece os problemas enquanto sorris.”

Este pequeno verso do hino Para Ser Feliz no livro “Música para Crianças”, parece estar tão longe de nossa atual realidade.

Mesmo aqueles que não estão sofrendo diretamente com o vírus da COVID-19, sentem falta do pão na mesa, sofrem com dores invisíveis, temem o futuro. Está difícil sorrir genuinamente. Mas não é impossível.

Sempre que algo muito especial para a minha filha de 7 anos acontecia, ela dizia com um grande sorriso feliz no rosto, “esse é o melhor dia da minha vida”.

Em dezembro do ano passado, preparamos um presente simples e pequenos cartões de Natal personalizados para algumas famílias queridas que não víamos a quase um ano. Entregamos os presentes e cartões e tivemos a oportunidade de desfrutar da presença daquelas pessoas que amamos naquela noite.

Ao final daquela noite, estávamos exaustos por ter viajado para entregar aqueles cartões, mas felizes por termos cumprido a nossa meta.

Enquanto voltávamos para casa, ouvi mais uma vez aquela frase que sempre me faz sorrir “esse é o melhor dia da minha vida”.

Naquele dia, aquela frase me atingiu de uma maneira diferente. Como algo tão simples, tornava o dia de uma garotinha o melhor dia da vida dela?

E quando eu passei a contar os dias mais felizes da minha vida e relacioná-los apenas a episódios ‘marcantes’, como o dia em que recebi meu chamado missionário ou o dia em que ela nasceu?

E percebi que todas as vezes que ela me disse, “esse é o melhor dia da minha vida”, ela estava me ensinando que a felicidade não está condicionada à sucesso, grandes conquistas, casamento ou filhos.

Ser feliz é uma escolha e como qualquer outra escolha, nós decidimos quando e o que nos fará felizes. Aquela frase a faz sorrir todas as vezes e da para ver em seu rosto que ela é tomada por uma felicidade instantânea, apenas por sorrir.

Não sei pelo que você está passando, se perdeu alguém querido para esse vírus horrível, se está sem emprego e todos os dias vai dormir e acorda pensando em como pagará as contas e colocará a comida na mesa ou se você é o enfermeiro ou a médica responsável pela ala de COVID no seu trabalho.

Mas tenho certeza que há alguém que se ajoelha todos os dias e pede pela sua proteção e sei que Deus escuta cada oração com amor e faz o que está ao Seu alcance para nos consolar.

Em abril de 2010, o Élder Uchtdorf disse:

“A adversidade nos ajuda a desenvolver uma profundidade de caráter que não adquiriríamos de nenhuma outra maneira. Portanto, nosso amoroso Pai Celestial nos colocou em um mundo cheio de desafios e provações para que, por meio da oposição, possamos aprender sabedoria, tornar-nos mais fortes e sentir alegria.”

Estamos exatamente em um momento onde esses desafios e provações estão atingindo a todos os filhos de Deus, em especial àqueles mais vulneráveis.

E esse é um momento que nos marcará e moldará para o resto de nossas vidas. Os bebês que nasceram nessa pandemia não tiveram interação com pessoas além de seus pais ou familiares mais próximos.

As crianças, adolescentes, universitários estão reaprendendo a estudar, os professores estão desenvolvendo novas metodologias de ensino e prática. Estamos conhecendo uma nova versão das nossas famílias com o isolamento.

Estamos sendo moldados para o futuro. E por mais difícil que possa ser, precisamos ter esperança de que tudo irá se encaixar. E que esse quebra-cabeças de milhões de peças um dia irá terminar.

No mesmo discurso, o Élder Uchtdorf também ensinou:

“Suportar a adversidade não é a única coisa que precisam fazer para ter uma vida feliz. Repito — a maneira como vocês reagem à adversidade… é um fator vital para determinar se chegarão a seu próprio “felizes para sempre”.

Seria perfeito se pudéssemos terminar todos os nossos dias dizendo “esse foi o melhor dia da minha vida”, mas nem sempre isso é possível. Sofro com o luto há três anos, e há dias que são melhores, outros que a dor da perda bate forte e é impossível segurar as lágrimas.

Mas independente da sua dor, quero deixar um convite especial para todos vocês. Tentem seguir o conselho dessas palavras: “Se queres ser livre, contente, feliz, esquece os problemas enquanto sorris.”

Reserve um momento para sorrir, e naquele momento somente seu, sinta-se livre de seus problemas, contente por estar ali, e feliz por poder sorrir.

Porque, “em meio à multidão de vozes e opções, o humilde Homem da Galileia nos aguarda de mãos estendidas. Sua mensagem é bem simples: ‘Vem, e segue-me.’”

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *