Referência Surpreendente do Livro de Mórmon Sobre a Mãe Celestial

A crença em uma Mãe Celestial é possivelmente uma das mais distintas crenças de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Não é somente algo que nos faz pensar a respeito e ficar imaginando. É uma necessidade doutrinária.

Com base em nossa crença nos princípios da exaltação, do casamento eterno e das famílias espirituais, é impossível que não tenhamos uma Mãe Celestial. Na verdade, de acordo com a revelação recebida por Joseph Smith, o Pai Celestial não poderia ser Deus sem uma Mãe Celestial.

No entanto, por mais que sejamos gratos pelas certezas que temos recebido dos profetas modernos e das autoridades gerais, ansiamos por encontrar uma referência à Mãe que sabemos que olha por nós lá de cima.

Livro de Mórmon

Bem, ao que parece, o Livro de Mórmon pode ter uma referência surpreendentemente clara e intrigante sobre a Mãe Celestial.

Encontrei a referência enquanto fazia um estudo cuidadoso de 1 Néfi 11.

Tudo começa com o versículo 18 onde o Espírito do Senhor está ensinando Néfi sobre Maria, a mãe terrena de Cristo.

“E disse-me ele:  Eis que a virgem que vês é a mãe do Filho de Deus, segundo a carne.”

Pareceu-me, ao ler este versículo, que o Espírito fez um esclarecimento cuidadoso e sutil. Ele poderia ter dito simplesmente, “Eis que a virgem que vês é a mãe do Filho de Deus”.

Mas em vez disso, ele esclarece com algo equivalente a: Eis que a virgem que vês é a mãe do Filho de Deus, ou seja, Sua mãe terrena”.

Se Maria fosse a única mãe de Cristo, não haveria nenhuma necessidade para o Espírito esclarecer que ela era a mãe de Jesus (…) “segundo a carne”.

É como se, ao fazer uma menção sagrada à nossa Mãe Celestial, o Espírito sentisse a necessidade de dizer que Maria era mãe de Cristo, mas enfatizando que Cristo também tinha uma mãe espiritual.

Que legal!

Existe Algo Ainda Mais Interessante.

Este versículo foi traduzido quando Joseph Smith tinha apenas 23 anos de idade — muito antes de ele ter revelado a doutrina da exaltação e do casamento eterno.

Logo, o Livro de Mórmon indicou a existência de Mãe Celestial anos antes de Joseph Smith reservar um tempo para considerar as doutrinas que difundiriam a necessidade de uma Mãe Celestial.

Isso é incrível, e esta é apenas uma das milhares de pequenas evidências de que Joseph Smith foi realmente um profeta de Deus.

Uma Consideração Final:

Nós pertencemos a uma Igreja na qual a natureza e o potencial das mulheres são maravilhosamente revelados. Nós podemos ser ridicularizados por nossa posição sobre a família e a distinção entre os papéis de gênero, mas qual aspiração é mais deslumbrante: uma visão limitada de uma carreira terrena ou um que gira em torno da maternidade divina?

Tudo que sei é que abrir nossa visão sobre o papel da Mãe Celestial é muito mais legal do que qualquer emprego terreno que você possa encontrar.

Escrito por Dustin e Brittney Phelps, traduzido por Luciana Fiallo

Fonte: happiness-seekers.com

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *