Uma coisa incrível sobre ser um membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é que não importa onde você vá no mundo, podemos esperar encontrar um ala ou um ramo com pessoas que vão nos fazer sentir-nos em casa. No mundo todo os santos reúnem-se para um bloco de reunião de três horas, participam do sacramento, ensinam, prestam o testemunho uns aos outros e seguem os mesmo manuais de lições que estão disponíveis em vários idiomas. As ordenanças são conduzidas pela mesma autoridade e maneira nas Filipinas como são na França.

Esta consistência não é apenas surpreendente, considerando o tamanho da Igreja e a variedade de culturas que ela abrange, mas também confirma a veracidade do evangelho. Afinal, acreditamos que há “Um só Senhor, uma só fé, um só batismo”, (Efésios 4:5).

Dentro as doutrinas do evangelho e das políticas definidas pela Igreja, no entanto, também é incrível que há espaço para que as culturas e famílias expressem sua fé e adoração em maneiras originais. Aqui estão apenas alguns exemplos das tradições singulares SUD que podem ser encontrados pelo mundo.

*Observação: As informações para este artigo foram recolhidas de experiências pessoais dos indivíduos que moraram nos países que serão mencionados ou visitaram congregações SUD pelo mundo. 

Quando o Dia do Senhor não é domingo

Embora a maioria de nós esteja acostumada a adorar no Dia do Senhor no domingo, isso não é possível em algumas partes do mundo. Alguns santos guardam um dia diferente da semana.

Em Dubai e em outras áreas do Oriente Médio, os santos vão à Igreja na sexta-feira, pois é o dia considerado santo na cultura islâmica. Por razões semelhantes, a reunião sacramental é realizada no sábado em Israel.

mundo

Sede de estaca em Abu Dhabi. Imagem via lds.org.

Em Hong Kong, não há um dia fixo em que todos podem fazer uma pausa para o Dia do Senhor devido a estrita escala de trabalho que varia muito. Como solução, a Igreja realiza reunião sacramental todos os dias da semana.

No Alasca, a distância e as condições meteorológicas severas fazem com que o Ramo Anchorage Bush realize as reuniões por telefone. Os membros colocam e tiram a chamada do “mudo” para participar dos discursos e das aulas. Eles participam do sacramento cada um na sua casa.

Beijos e gestos simples e seus significados pelo mundo

Muitos de nós aprendemos a cruzar os braços para orar ou mostrar reverência, mas não acontece isso na Polônia. Os santos dos últimos dias polonês nunca cruzam os braços porque é um sinal que mostra estar chateado. Eles também não apertam as mãos debaixo de uma porta porque forma uma cruz.

Na Espanha, os membros se cumprimentam na capela com dois beijos para mostrar a amizade e o companheirismo antes do início das reuniões.

mundo

Irmã Jean B. Bingham cumprimentando membros na Espanha. Imagem de Mormonnewsroom.

Nas Filipinas, as mulheres mais velhas da congregação vão cumprimentá-lo sua mão na delas e pressionando-as na sua testa como sinal de respeito.

Os portadores o sacerdócio que passam o sacramento na Coreia do Sul, sempre seguram o antebraço direito com a mão esquerda ao distribuir o pão e a água. Na cultura coreana, você sempre deve usar ambas as mãos ao dar ou receber algo.

Saudações e correção de gramática do púlpito

No Havaí, os oradores dizem “Aloha!” no início do discurso e todos na congregação dizem isso de volta. De modo semelhante, na Micronésia, os discursantes dizem “Bom dia” e todo mundo repete a saudação.

mundo

O mestre entalhador Tui’one Pulotu falando em um devocional na BYU-Havaí. Imagem do Deseret News.

 

Na Dinamarca, os membros sempre cantam todas as estrofes dos hinos selecionados na reunião sacramental… mesmo os mais longos!

Na Coreia do Sul, é comum ouvir todos os presentes dizerem “Obrigado” em voz alta depois do “Amém” no final de uma oração.

Se você estiver fazendo um discurso na Polônia, cuidado! Os membros não têm medo de corrigir a gramática de um discursante no meio da reunião sacramental.

Atividades especiais da ala

Na Espanha, as alas e os ramos realizam sua própria noite familiar da ala toda semana em um outro dia que não a segunda-feira. Nestas atividades, os membros podem desfrutar a companhia uns dos outros e convidar pesquisadores para participar num ambiente casual e descontraído. Eles geralmente fazem brincadeiras, compartilham uma mensagem e comem lanches.

Na Coreia do Sul e na Tailândia, algumas alas e ramos servem almoço na igreja imediatamente após as reuniões, já que muitos membros moram longe e demoram a chegar em casa. Na Coreia do Sul, eles deixam sacos de arroz e enormes panelas de arroz na cozinha da Igreja e todos os membros trazem algo para contribuir. Na Tailândia, “todos são bem-vindos, mas ninguém recebe designação parar levar comida. Homens e mulheres de fieis levam muito arroz e comida caseira para alimentar toda a ala e os pesquisadores toda semana!”, diz a ex-missionária Sofia Belnap.

mundo

Membros do ramo Andong, na Coreia do Sul, almoçando o após um batismo. Imagens cortesia da autora.

Devido às diferenças de fuso horário, muitos membros do mundo assistem à Conferência Geral juntos na capela alguns dias ou semanas após a transmissão original. Na Irlanda, por exemplo, todas as sessões de sábado são vistas no domingo, e em Porto Rico, os membros se reúnem para comer entre as sessões.

Roupa de domingo

Em Tonga, os missionários vestem roupas tradicionais. Os Élderes usam camisa branca, gravata, um tupenu preto (semelhante a uma saia longa), um ta’ovala (um tapete de tecido) e um kafa (cinto feito de sisal) em torno da cintura. As Sisteres usam um vestido longo tradicional chamado puletaha e um tupenu.

Nas Filipinas, as melhores roupas dos membros também são trajes tradicionais. Os homens, por exemplo, usam camisas claras chamadas barongs quando vão ao templo.

Na Índia, as mulheres muitas vezes usam um tradicional ponto vermelho na testa chamado bindi quando vão à igreja. Alguns acreditam que o bindi simboliza um terceiro olho que está voltado para Deus e lembra os membros daquela cultura que devem mantê-Lo no centro de seus pensamentos. As mulheres também muitas vezes usam um vestido tradicional chamado um sari.

mundo

Santos dos últimos dias na Índia. Imagem do site LDS Living.

As crianças na Coreia do Sul usam vestidos tradicionais hanbok e terno quando eles fazem a apresentação especial todo ano.

mundo

Crianças da primária sul-coreanas cantando para um vídeo mostrado na conferência geral de outubro de 2014. Imagem do YouTube.

Estas são apenas algumas das tradições originais que os membros da Igreja têm pelo mundo. Compartilhe outra tradição conosco nos comentários. Não se esqueça de curtir nossa página no Facebook!

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

25 Curiosidades Sobre o Tabernáculo na Praça do Templo