Este artigo foi originalmente publicado no blog Teologia Mórmon. Clique aqui para acessar o conteúdo completo.

 

Joseph Smith enfrentou dor e sofrimento para cumprir com sua gradiosa missão

Muitas pessoas, às vezes mal intencionadas, tentam atacar o caráter do Profeta. Às vezes o ataque é ardiloso e bem estruturado. Usando as próprias palavras do Profeta, retiradas desses diários, alguns o acusam, por exemplo, de ter dito ser maior que o Senhor Jesus Cristo. Mas Joseph nunca disse ser maior do que Jesus Cristo!

O Trecho citado pelos críticos

Um trecho do projeto Joseph Smith Papers usado pelos críticos para acusar o Profeta se encontra aqui :

 

Eu sou o único homem que sempre conseguiu manter toda a igreja unida desde os dias de Adão; a grande maioria permaneceu perto de mim: nem Paulo, João, Pedro, nem Jesus jamais fizeram isso. Eu me vanglorio de que nenhum homem tenha feito tal façanha como eu; Os seguidores de Jesus fugiram dele; os santos do últimos dias nunca fugiram de mim, ainda. (tradução livre)

O que isso quer dizer? Teria Joseph Smith dito que era maior que o Senhor Jesus Cristo? Teria ele se vangloriado disso?

Um Testemunho do Profeta de Deus

Antes de entrar na resposta a crítica propriamente dita é preciso relembrar o que o Elder Neil L. Andersen explicou:

“Todo aquele que crê precisa de uma confirmação espiritual da missão e do caráter divino do Profeta Joseph Smith. Isso é válido para todas as gerações. Perguntas espirituais merecem respostas espirituais de Deus.

O testemunho acerca do Profeta Joseph Smith poderá vir de maneira diversa para cada um. Poderá vir ao nos ajoelharmos em oração para pedir a Deus que nos confirme se ele foi mesmo um profeta. Poderá vir ao lermos o relato do Profeta sobre a Primeira Visão. O testemunho poderá se destilar sobre nossa alma ao lermos o Livro de Mórmon repetidamente. Poderá vir quando prestamos testemunho do Profeta ou quando estamos no templo e percebemos que, por meio de Joseph Smith, o poder selador foi restaurado na Terra. Com fé e real intenção, nosso testemunho do Profeta Joseph Smith se fortalecerá. O constante lançamento de balões de água das arquibancadas pode ocasionalmente deixá-lo molhado, mas ele jamais, jamais deve apagar o fogo de sua fé.” [5]

 

O Caráter do Profeta Joseph Smith

Joseph Smith era um bom homem. John Taylor, que foi baleado quatro vezes pela turba que assassinou Joseph, declarou:

“Testifico diante de Deus, dos anjos e dos homens que [Joseph] era bom, honrado e virtuoso (…); que tanto na vida privada quanto na pública seu caráter era imaculado e que viveu e morreu como homem de Deus”. [6]

Temos outras citações de pessoas que convieram com o Profeta aqui.
gloriosa missão

Joseph Smith e sua gloriosa missão. (imagem via lds.org)

Os ensinamentos de Joseph sobre Jesus Cristo

Como o Profeta da Restauração, um dos papéis mais importantes de Joseph Smith foi prestar testemunho de Jesus Cristo. Entre seus muitos ensinamentos sobre o Senhor – alguns dos quais se encontram aqui – selecionamos os seguintes:

“O mundo não poderia receber a salvação sem a mediação de Jesus Cristo.” [10]

“Os princípios fundamentais de nossa religião são o testemunho dos Apóstolos e Profetas a respeito de Jesus Cristo, que Ele morreu, foi sepultado, ressuscitou no terceiro dia e ascendeu ao céu; todas as outras coisas de nossa religião são meros apêndices disso.” [11]

“Creio na divindade de Jesus Cristo e creio que Ele morreu pelos pecados de todos, que, em Adão, caíram.” [12]

 

Contexto do trecho citado

A trecho debatido foi escrito em 25 de Maio de 1844. Sobre este diário os especialistas disseram o seguinte:

“Os registros do diário têm características de seu escrevente, o Élder Richards, mas captam a personalidade e o caráter do Profeta de uma maneira que Joseph provavelmente não teria escrito a respeito de si mesmo. As anotações incluem desde relatos descontraídos e bem-humorados até registros detalhados de casos legais em que Joseph Smith presidiu os tribunais de Nauvoo. Essa ampla gama de informações ajuda-nos a compreender melhor o Profeta Joseph Smith. (…). As revisões que Joseph fazia nesse diário, embora não tão freqüentes, demonstram a importância que ele dava à explicação do contexto histórico dos eventos de sua vida e do início da Igreja.” [14]

Joseph estava chegando ao fim de seu ministério mortal. A Igreja havia sido estabelecida, mas a perseguição era furiosa. A História da Igreja nos mostra que havia conspirações e armadilhas contra o Profeta. Os últimos discurso e ensinamentos dos profeta são cheios de emoção e ensinamentos gloriosos. É o caso deste registro discutido neste artigo. Um exame do relato inteiro demostra que Joseph não quis insinuar que era maior do que o Senhor, que ele tanto defendeu e amou.

 

Explicação sobre o Trecho citado

Passemos agora a discussão do trecho recortado, e respondamos as críticas.

“Eu sou o único homem que sempre conseguiu manter toda a igreja unida desde os dias de Adão; a grande maioria permaneceu perto de mim: nem Paulo, João, Pedro, nem Jesus jamais fizeram isso.”

Ninguém pode afirmar, conhecendo as escrituras e crendo no Evangelho Restaurado, que tal declaração seja falsa. Todas as dispensações do passado acabaram em uma apostasia generalizada (período de tempo que o Evangelho em sua plenitude não esta disponível).

Como a última dispensação não terminará numa Apostasia (como todas as anteriores), mas sim com o Retorno Triunfal de Jesus Cristo e o inicio do Milênio, os profetas antigos falavam com grande esperança e alegria de nossa época.  Joseph Smith ensinou sobre a singularidade desta derradeira dispensação:

“A edificação de Sião é uma causa que interessou o povo de Deus em todas as eras; é um tema sobre o qual profetas, sacerdotes e reis falaram com particular deleite; eles ansiaram com alegria pelo dia em que vivemos; e inspirados por esse anseio celestial e jubiloso, cantaram, escreveram e profetizaram sobre esta nossa época. Somos o povo favorecido que Deus escolheu para trazer à luz a glória dos últimos dias. Foi-nos dado o privilégio de ver, participar e ajudar a levar adiante a glória dos últimos dias, ‘a dispensação da plenitude dos tempos, na qual Deus tornará a congregar tanto as coisas que estão nos céus como as que estão na terra’ [ver Efésios 1:10], em que os santos de Deus serão coligados de todas as nações, tribos, línguas e povos, em que os judeus serão reunidos, e os iníquos também para serem destruídos, como foi dito pelos profetas; o Espírito de Deus também habitará com Seu povo e será retirado do restante das nações, e todas as coisas, tanto no céu como na Terra, serão congregadas, sim, em Cristo. [19]

Se havia algo que poderia animar o Profeta era o fato de que, numa época de grande perseguição e agustia – e na iminência de seu assassinato – a certeza de que havia cumprindo sua missão diante dos céus, e que diferente dos grande líderes do passado (mesmo diferente do próprio Senhor Jesus Cristo), a obra prosseguiria – não sendo desfeita por uma grande apostasia.

Este é o motivo pelo qual ele deve ter dito:

(…) Eu me vanglorio de que nenhum homem tenha feito tal façanha como eu; Os seguidores de Jesus fugiram dele; os santos do últimos dias nunca fugiram de mim, ainda.

O fato de Joseph ter dito “eu me vanglorio” – se é que ele tenha dito isso mesmo, pois como vimos acima, nesta época ele tinha um escrevente – e não era frequente em revisar os registros – não esta em desacordo com o evangelho. Longe de ser uma manifestação de orgulho, é uma reflexão de gratidão.

 Vemos isso, por exemplo, quando Amon presta contas de seu grande sucesso missionário. (Alma 26:11-12, 36)

Perceba que Joseph era uma pessoa bondosa e humilde. Ele nunca se considerou melhor do que o Senhor Jesus Cristo. Veja o que ele disse certa vez:

“Quem, dentre todos os santos destes últimos dias, pode considerar-se tão bom quanto o nosso Senhor? Quem é tão perfeito quanto Ele? Quem é tão puro? Quem é tão santo quanto Ele foi? Pode-se encontrar alguém assim? Ele nunca transgrediu ou violou um mandamento ou lei do céu—não havia falsidade em Sua boca, tampouco dolo em Seu coração. (…) Onde haverá alguém como Cristo? Não é na Terra.” [22]

É a crença da Igreja, contudo, que “Joseph Smith, o Profeta e Vidente do Senhor, com exceção apenas de Jesus, fez mais pela salvação dos homens neste mundo do que qualquer outro homem que jamais viveu nele.” (D&C 135:3)

O Senhor Jesus Cristo disse certa vez:

“Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai.” (João 14:12)

Ora, se o próprio Senhor disse que outros poderiam fazer até obras maiores do que Ele fizera na Terra, porque nos admiramos da declaração do Profeta Joseph Smith – que pelo poder do Senhor Jesus estabeleceu a última dispensação?

Comparar-se com o Senhor em alguma medida não é algo que apenas Joseph fez – outros também o fizeram. Paulo disse que levava no seu corpo as marcas do Senhor Jesus (Gálatas 6:17). Pedro explicou que somos chamados para seguir as pisadas de Cristo (1 Pedro 2:21). O próprio Senhor nos disse para nos esforçarmos para sermos perfeitos como Ele (3 Néfi 12:48). Como discípulos verdadeiros esperamos imitá-lo e ter a imagem Dele em nosso semblante (1 Coríntios 11:1, Alma 5:14).

 

Conclusão

O Profeta Joseph Smith tem sido atacado – e as criticas não vão acabar tão cedo, pois a verdade sempre sofre oposição.Ao analisarmos suas palavras, devemos levar em consideração contexto histórico, cultural, bem como o panorama de onde a frase foi retirada. Ademais podemos buscar aprender com as escrituras e verificar se os atos do profeta em analise estão de acordo com os ensinamentos das mesmas. E no caso de Joseph, estão.

Quando Joseph Smith declarou que realizou uma façanha maior do que os profetas do passado – e maior até do que o Senhor Jesus – disse a verdade – pois a dispensação final é a maior e não terminará em apostasia. Joseph se regozijou nisso, em estar cumprindo sua missão de estabelecer a Igreja. Ele não afirmou que fez isso sozinho. Sua dependência do Senhor é evidente em todos os seus ensinamentos. Louvemos o profeta, mas adoremos ao Senhor Jesus Cristo – o único Salvador!

 

Este artigo é um trecho do artigo “Joseph Smith disse ser maior do que Jesus Cristo?” originalmente publicado no blog Teologia Mórmon. Clique aqui para acessar o conteúdo completo, inclusive as notas de rodapé.