Solidão

Aprendemos mais sobre a solidão por meio de exemplos das escrituras. Saiba mais sobre o assunto e como usar esses exemplos para nos ajudar.

“Era bom”.

Nas escrituras, essas palavras são usadas várias vezes pelo Pai para designar Sua aprovação da Criação. Desde a chegada da luz e as trevas, a separação da terra e do mar, à abundância de plantas e animais, o majestoso desdobramento dos eventos foi descrito em termos grandiosos. No entanto, o significado é claro. O Plano de Salvação se desenrolava, a exaltação da família de Deus estava prestes a começar, e aquilo era bom.

No entanto, não demorou muito para aparecer algo que não era bom e que Deus havia percebeu. O que era? A resposta encontra-se em Gênesis 2:18:

“E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só;”

A solidão foi assim designada como a primeira coisa inaceitável. Desde a breve existência solitária de Adão até os momentos finais da Expiação de Cristo, no qual foi necessário que o Pai se retirasse, para nós hoje, a solidão permanece como uma força incapacitante que tem consequências tanto espirituais como físicas. Um estudo da Brigham Young University sugere que a solidão e o isolamento social podem aumentar o risco de mortalidade, ou seja, morte.

Todos nós a experimentamos

É provável, e acredito que estou certa, que todos temos experimentado a solidão. Eu passei por essa experiência, e nesses momentos tenho me voltado para as escrituras. No entanto, uma vez tive uma experiência frustrante com o Guia para Estudo das Escrituras (eu reconheço que isso parece estranho) quando ele me enviou para uma sessão diferente da qual estava buscando como refúgio da solidão.

Guia de estudo

Criado inicialmente devido um trabalho em conjunto de professores do Sistema Educacional da Igreja e missionários de tempo integral, o Guia para Estudo das Escrituras é um índice que contém uma coleção de mais de 3.000 categorias e 50.000 versículos (na versão em inglês). Ela tem sido usada por quase 40 anos como um poderoso recurso para ajudar os membros da Igreja a estudar as escrituras.

No entanto, eu me vi apertando minhas mãos juntas conforme folheava suas páginas. Eu sabia o que eu estava procurando e eu sabia que não iria encontrar nada. Não havia nada para encontrar, porque há apenas algumas pequenas linhas de texto na categoria “Solidão” (somente presentes na versão em inglês).

Veja Irmandade; Comunhão; Espírito Santo, Missão de

Eu busquei dezenas de vezes essa definição ao longo dos últimos meses. E em cada vez, eu tinha alguma esperança selvagem de que havia alguma coisa ali. Não algo sobre soluções vindas do companheirismo, ou lembretes sobre o Espírito Santo, mas exemplos de pessoas que sofreram aquela angustiante e enlouquecedora solidão em que eu estava. Embora o Guia mesmo diga que não é um guia completo, o Guia para Estudo inevitavelmente me deixou triste e ainda mais solitária.

Encontrar minhas próprias respostas

No fundo da minha mente, eu sabia que teria de encontrar minhas próprias respostas nas escrituras. Como geralmente acontece quando estou de mau humor, eu me sentia mais irritada com essa perspectiva e fechei as escrituras. Mas mais tarde, depois de horas na minha cama a ouvindo o zumbido do ventilador de teto, fiquei animada com a perspectiva de criar a minha própria definição no Guia de Estudo das Escrituras. Aqui está o que eu criei, junto com uma parte impressa que você pode colocar em suas escrituras.

guia de estudos - Solidao

Adão e Eva (Gênesis 2:8, 21-25; Moisés 3:18; Gênesis 4:1-10; Moisés capítulos 3-5)

A solidão de Adão não terminou com a criação de Eva. Eles não só enfrentaram a separação completa do Pai Celestial depois da Queda, como foram os primeiros a experimentar de quase tudo. Quão solitário deve ter sido para Eva quando ela passou por sua primeira gravidez e o seu primeiro trabalho de parto. Não havia grupos de apoio, internet ou livros de bebês cheios de conselhos.

E quando o primeiro assassinato ocorreu, quando Adão e Eva foram confrontados com a percepção de que um de seus filhos havia matado o outro? Mesmo que eles tivessem um ao outro, e instruções do céu, certamente o manto dos primeiros seres humanos muitas vezes causou a solidão.

Jó (Livro de Jó, Jó 16)

Jó experimentou a solidão. Imagem via ldsdaily.com.

Imagem via ldsdaily.com.

Jó enfrentou circunstâncias horríveis; ele perdeu sua família, seu dinheiro, seu estado de saúde. No meio da sua dor, ele se sentiu distante de Deus e enfrentou o desprezo de seus amigos que questionavam seu estado e convidavam-no a amaldiçoar a Deus. Pouco antes de Jó 16:7, Jó diz que ele teria tentado confortá-los, se a situação fosse a inversa e, em seguida, afirma como eles fizeram ele se sentir solitário, dizendo: “tu assolaste toda a minha companhia”.

Jeremias (Jeremias 8:20-22; Jeremias 9:1; Jeremias 15:15-18; Jeremias 16)

Jeremias experimentou a solidão. Imagem via ldsdaily.com.

Imagem via ldsdaily.com.

Jeremias foi chamado para ser um profeta de Deus, com mensagens específicas de desastres para o povo. Esta não foi uma mensagem popular e um inseguro Jeremias teve de contar com a força do Senhor para compartilhá-la. Em Jeremias 16, o Senhor diz a Jeremias que ele não deveria ter uma esposa ou ter filhos, pois eles seriam destruídos. Devido à maldade extrema em torno dele, Jeremias foi instruído a não entrar em nenhuma casa, estivessem eles festejando ou em luto.

Jeremias não conheceria o calor e o conforto da família e da comunidade. Ele foi ridicularizado por todos os lados. Eventualmente, ele lamentaria profundamente quando as pessoas às quais ele foi chamado a servir fossem destruídas.

Ana (1 Samuel 1:1-18)

O coração de Ana estava arrasado por causa de sua esterilidade. Embora amada por seu marido, ela permaneceu estéril por anos. Nas escrituras, está escrito que ela experimentou a “amargura de alma” e o desgaste, recusando-se a comer e chorando ano após ano. Apesar da tentativa do marido de confortá-la, ela clamaria em seu coração ao Senhor, dizendo que ofereceria seu filho a Ele se ela pudesse engravidar. De fato, ela ficou tão desanimada que o marido perguntou a ela se estava bêbada.

Ana finalmente teve seu filho, Samuel, que ela consagrou ao Senhor quando ele era jovem, e teve depois mais três filhos e duas filhas.

Marta (Lucas 10:39-42)

Jesus na casa de Maria e Marta, de Minerva Teichert - Colocar Cristo em primeiro lugar

Jesus na casa de Maria e Marta, de Minerva Teichert. Imagem via mormon.org.

Marta no Novo Testamento é usada frequentemente como um exemplo negativo. Ela é a mulher que censurou a irmã e foi, assim, repreendida pelo Senhor. No entanto, ela era uma mulher dedicada ao serviço que fez todo o trabalho sem ajuda. Ela não estava simplesmente limpando o chão. Na verdade, o Senhor não lhe disse que o serviço que ela estava fazendo era desnecessário ou sem valor. Sua repreensão suave simplesmente lembra que sua irmã Maria escolheu aquela “boa parte”.

Néfi (2 Néfi 4)

Néfi sempre enfrentou críticas e até mesmo o perigo na mão de seus irmãos mais velhos e muitas vezes teve de tomar sobre si a tarefa de ajudar seu pai a conduzir a família na viagem. Após a morte de Leí, sua família começou a desmoronar mais uma vez. Foram nessas circunstâncias que Néfi clamou ao Senhor em desespero, falando sobre suas próprias fraquezas e sua incapacidade de superá-las.

Abis (Alma 19)

Abis

Abis é uma das três mulheres no Livro de Mórmon cujo nome é mencionado. Uma conversa, ela viveu por anos com esse segredo, incapaz de compartilhar suas crenças ou expressá-las. Quando o rei Lamôni, Amon, a esposa do rei, e todos aqueles ao seu redor, caíram por terra, ela foi a única que permaneceu em pé. Ela correu animada de casa em casa na esperança de compartilhar o que o Senhor havia feito, mas acabou vendo as pessoas discutindo sobre o grande mal que acabara de acontecer.

Devido à discussão que ocorreu, ela “entristeceu-se muito, até as lágrimas”.

Mórmon e Morôni (Mórmon 6:16-22; Morôni 1)

Os lamentos de Mórmon sobre seu povo são alguns dos mais tristes presentes nas escrituras. Após ter tentado durante anos mudar o coração do povo e liderado-os em batalha, Mórmon testemunhou a destruição de todo o seu povo. Ele é morto em batalha, deixando seu filho Morôni a vagar na terra pelos próximos anos, fugindo daqueles que poderiam fazer-lhe mal.

Em Mórmon 8:4, Morôni parece expressar sua desesperança, quando diz: “Portanto escreverei e ocultarei os registros na terra; e para onde eu vá, não importa”. Isso se torna ainda mais claro quando Morôni termina o resumo do registro dos jareditas e manifesta a sua surpresa de que ainda estivesse vivo.

“ORA, eu, Morôni, após haver terminado o resumo do relato do povo de Jarede, pensei em não mais escrever; entretanto ainda não pereci; e não me dou a conhecer aos lamanitas, para que não me matem”.

Joseph Smith (D&C 121, JS-H 1:21-23)

de Joseph Smith

Joseph Smith, mesmo hoje, é um personagem pelo qual muito se discute. Em vida, ele foi perseguido, ridicularizado, preso e por fim martirizado. No entanto, nenhum momento de solidão parece se destacar mais quando falamos do irmão Joseph do que seu tempo na cadeia de Liberty. Preso em condições horríveis por quase cinco meses, Joseph clamava ao Senhor em grande angústia.

Jesus Cristo (Mateus 26:38-40; João 16:32; Mateus 27:46)

Nenhuma palavra poderia fazer justiça ao exemplo de nosso Salvador, mas o Élder Jeffrey R. Holland dá uma descrição aproximada:

Com toda a convicção de minha alma testifico que Ele agradou ao Pai perfeitamente e que o Pai perfeito não abandonou Seu Filho naquela hora. De fato, é minha crença pessoal que em todo o ministério mortal de Cristo, o Pai talvez nunca estivesse mais próximo de Seu Filho do que nesses agonizantes momentos finais do sofrimento. No entanto, para que o supremo sacrifício de Seu Filho fosse tão completo quanto foi voluntário e solitário, o Pai retirou de Jesus, por um breve momento, o conforto de Seu Espírito, o apoio de Sua presença pessoal.

Era necessário, de fato era primordial, para o significado da Expiação, que esse Jesus, Filho perfeito, que nunca falara nem fizera mal, que não tocara em nada imundo, precisasse saber como o restante da humanidade, nós, se sentiria quando cometesse tais pecados. Para que Sua Expiação fosse infinita e eterna, Ele teve de sentir como era sofrer não somente a morte física, mas também a espiritual, sentir como era ter Seu Espírito divino retirado, deixando-O numa solidão total, abjeta e desesperadora.

Artigo original em LDSDaily.com.