Esse pensamento vem de mim ou de Deus?

um chamado, benção patriarcal

Imagine. Já faz algum tempo que você tem orado sobre uma decisão importante. Então, de repente, um pensamento vem em sua mente. Talvez pareça uma resposta. Talvez seja um passo a dar em alguma direção.

É aí que outro pensamento vem à mente. Essa é uma inspiração do Senhor? Ou sou eu? Estou pensando isso, só porque quero algo, ou realmente quero o que Deus quer?

Esse pensamento vem de mim ou de Deus?

Esse é um questionamento comum! Por sorte, a palavra revelada do Senhor através de profetas nos dá uma direção, segue algumas coisas para mantermos em nossa mente.

mudanças em janeiro

A meta é termos o mesmo sentimento que Cristo

Em Filipenses, as escrituras falam sobre ter o mesmo sentimento que Cristo. “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus”(Filipenses 2:5). Uma grande parte de nosso propósito mortal é que nos tornemos mais parecido com Cristo e ganhemos atributos. Quando conseguimos, nossas mentes e vontades começam a se alinhar.

Se você tem feito o seu melhor para seguir os sussurros, para buscar a melhor solução e honrar os convênios, tenha coragem. Se você tem feito o seu melhor para consagrar a sua vontade, então não importa de onde o bom pensamento veio.

Deus não fala alto

Mesmo com a benção do Espírito Santo, os sussurros do Espírito são pequenos e silenciosos. Quando o Senhor veio até Elias, ele não estava no vento, ou no terremoto, ou no fogo. Quando temos decisões importantes ou questionamentos, é natural querer afirmações fortes e certas do céu. No entanto, é importante lembrar que Deus nem sempre fala alto.

Isto significa que não devemos nos preocupar se a resposta não é perfeitamente clara ou se não temos muita certeza. Estamos aqui para aprender a seguir os sussurros do Espírito, e Deus entende que agir por meio de sentimentos e pensamentos suaves, pode ser um ato de fé. Se você sentiu vontade de fazer algo, faça o seu melhor! Quanto mais agimos, mais segurança teremos. Também aprenderemos mais sobre discernir quando Deus está nos respondendo e quando Ele não está.

Geralmente Deus nos alerta, ao invés de direcionar

O Élder David A. Bednar deu um ótimo discurso para os jovens da Igreja, sobre como o Senhor fala conosco. Um dos pontos principais, fala sobre o princípio de ser alertado sobre caminhos ruins. O Élder Bednar ensinou que nenhum membro da Igreja que está fazendo o melhor para cumprir os convênios, não será alertado ao escolher um caminho errado.

Como nos sentimos quando Deus nos alerta? Pode ser diferente para cada pessoa, mas sentimentos sombrios e confusão são sempre sinais de alerta. Se você tem desconfianças que não te deixam, preste atenção. Nenhuma escolha está completamente livre de riscos e preocupações, mas confie em sua consciência, que na verdade, como lembrado pelo Élder Bednar, é a Luz de Cristo.

Deus quer que façamos escolhas

Deus nunca tirará a nossa chance de escolhermos por nós mesmos. Mais do que nunca, ao tomarmos uma decisão e Ele a consagrará. O Élder Jeffrey R. Holland reiterou uma ideia similar, ao contar a história de quando ele e o filho estavam perdidos, e deram de cara com uma bifurcação na estrada. Depois de orar, ele sentiu fortemente que deveria ir para a direita. Eles acabaram descobrindo que aquele caminho levava a uma estrada sem saída.

O filho do Élder Holland perguntou porque eles haviam sentido que deveriam ir na direção errada e ele respondeu:

“Acho que o Senhor, Seu desejo para nós e Sua resposta a nossa oração era nos colocar na estrada certa o mais rápido possível com alguma tranquilidade, com o entendimento de que estávamos na estrada certa e não tínhamos que nos preocupar com isso. E nesse caso, o jeito mais fácil para fazer isso era nos levar uns 400 ou 500 metros pela estrada errada e muito rapidamente saber sem dúvida alguma de que era a estrada errada e assim, com a mesma certeza, com a mesma convicção, saber que a outra era a estrada certa.”

Essa é uma boa inspiração?

No final, a melhor maneira de responder à pergunta, ‘Isso vem de Deus ou de mim” foi dada pelo Presidente Gordon B. Hinckley:

“Este é essencialmente o teste, depois de tudo dito e feito: Ele persuade a pessoa a fazer o bem, a se elevar, a erguer-se bem alto, a fazer a coisa certa, a ser gentil, a ser generosa? Então é o Espírito de Deus. (…)

Se nos convida a fazer o bem, é de Deus. Se nos convida a fazer o mal, é do diabo. (…) E se você estiver fazendo a coisa certa e estiver vivendo da maneira correta, saberá em seu coração o que o Espírito está lhe dizendo.

Você reconhece os sussurros do Espírito pelos frutos do Espírito — tudo que ilumina, que edifica, que é positivo, afirmativo e inspirador, que nos leva a ter melhores pensamentos, palavras e ações é do Espírito de Deus.”

Fonte: LDSDaily

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *