Revelação e inspiração

Com certeza revelação e inspiração são coisas diferentes. Você já sabia disso. Mas se alguém perguntasse como esses dois fenômenos são diferentes, você conseguiria dar uma resposta concreta? O falecido Élder Richard G. Scott conseguia, e deu. Ele disse ao mundo todo a diferença entre revelação e inspiração durante a conferência geral em abril de 2012.

Revelação

O Élder Scott fala muito sobre revelação em seu discurso Como Obter Revelação e Inspiração para a Vida Pessoal. Obviamente eram coisas que ele praticou bastante durante a vida. Aqui está a definição que ele dá:

O Espírito Santo comunica-nos importantes informações de que necessitamos para nos guiar na jornada da mortalidade. Quando ela é nítida, clara e essencial recebe o título de ‘revelação’.

Uau! Que declaração forte! Volte e leia a citação mais algumas vezes, bem lentamente. Absorva a informação.

A definição do Élder Scott de revelação poderia ser parafraseada da seguinte maneira: As revelações são informações nítidas, claras e essenciais comunicadas a nós pelo Espírito Santo para nos guiar em nossa jornada mortal.

Exemplos

Nítidas. Claras. Essenciais. Consegue pensar em outros exemplos das escrituras nos quais alguém recebe informações nítidas, claras e essenciais do Espírito?

Lembra de 1 Néfi 4:12-13? O exemplo é um tanto violento, mas é instrutivo:

E o Espírito disse-me outra vez:   Mata-o, pois o Senhor entregou-o em tuas mãos. Eis que o Senhor mata os iníquos, para que sejam cumpridos seus justos desígnios. Melhor é que pereça um homem do que uma nação degenere e pereça na incredulidade.

Lembram-se da qualificação para a revelação conforme declarada pelo Élder Scott? Nítidas. Claras. Essenciais. No exemplo acima, o espírito diz Néfi que ele vai ter que tirar a vida de Labão para obter as placas de latão. A impressão do Espírito foi nítida? Foi sim. Foi clara? Com certeza. Foi essencial? Absolutamente.

Consegue lembrar outros exemplos óbvios? Quando um anjo visitou Alma, o filho, e seus amigos; quando o Senhor revelou os planos dos exércitos lamanitas ao profeta; quando os jareditas receberam o mandamento de construir barcos. Ao ler as escrituras e viver a vida cotidiana não prestam atenção apenas em o que o Espírito comunica. Preste atenção em como o Espírito comunica.

Que experiências você teve com revelação ultimamente? Se precisar, volte para esta pergunta e reflita sobre ela depois que aprendemos mais sobre a irmã da revelação—a inspiração.

Inspiração

A inspiração são vários sussurros que nos guiam passo a passo.

Tudo bem. Agora que conhecemos bem a definição de revelação (nítidaclara essencial), vejamos o que o Élder Scott diz sobre a inspiração:

O Espírito Santo comunica-nos importantes informações de que necessitamos para nos guiar na jornada da mortalidade (…). Quando ela vem por uma série de sugestões e temos de nos guiar passo a passo a um objetivo digno, até alcançarmos o propósito dessa mensagem, ela é inspiração.

E vai ficando cada vez melhor. Outra vez, volte e leia essa citação, linha por linha, palavra por palavra.

A definição do Élder Scott de inspiração poderia ser parafraseada da seguinte maneira: Inspiração são vários sussurros que o Espírito Santo nos comunica e que nos guiam passo a passo a um objetivo digno.

Exemplos

Pode ser muito mais difícil identificar a inspiração do que a revelação porque, ao contrário de revelação, ela não é nítida, clara ou essencial. E pode levar a uma experiência reveladora mais essencial, mas não é (segundo a mensagem do Élder Scott) drasticamente importante no momento.

Vamos analisar a viagem que Néfi fez de volta a Jerusalém para recuperar as placas de latão. Para ilustrar a revelação observamos o sussurro claro que Néfi teve de matar Labão. Para ilustrar a inspiração, precisamos voltar apenas alguns versículos:

E depois de se haverem eles escondido, eu, Néfi, penetrei sorrateiramente na cidade e dirigi-me à casa de Labão. E fui conduzido pelo Espírito, não sabendo de antemão o que deveria fazer.

Percebeu a diferença? Lembre-se, a inspiração são vários sussurros que o Espírito Santo nos comunica e que nos guiam passo a passo a um objetivo digno. No caso de Néfi, passo a passo era literal. Ele não tinha ideia de o que ele faria ou para onde deveria ir em Jerusalém, mas ele sabia que tinha sido guiado pelo Espírito. Isso é inspiração.

Muitas vezes nós não reconhecemos as experiências inspiradoras até que tenhamos atingido o objetivo “digno”, mas quando paramos e olhamos para trás, percebemos que fomos guiados pelo Espírito durante toda a experiência.

Pense nas coisas pelas quais já passou na vida. Consegue identificar vezes em que você foi guiado passo a passo para um objetivo digno? Talvez tenha uma experiência na qual você simplesmente foi parar no lugar certo na hora certa? Meu palpite é que esses momentos são muito mais comuns em nossa vida diária do que imaginamos.

Mais uma olhada nas definições do Élder Scott

Por uma questão de repetição, comparação e para economizar seu tempo de rolar a página, vamos dar uma última olhada em nossas definições:

“O Espírito Santo comunica-nos importantes informações de que necessitamos para nos guiar na jornada da mortalidade(…).”

Revelação: Quando ela é nítida, clara e essencial recebe o título de revelação.

Inspiração: “Quando ela vem por uma série de sugestões e temos de nos guiar passo a passo a um objetivo digno, até alcançarmos o propósito dessa mensagem, ela é inspiração”.

A inspiração é muitas vezes chamada pelos líderes da igreja de revelação porque, na verdade, ela pode ser categorizada como um tipo de revelação. Por exemplo, há um vídeo em que o Élder David A. Bednar do Quórum dos Doze Apóstolos, compara uma forma de revelação a um nascer do sol gradual. O Élder Scott define isto mais especificamente como inspiração, como o Élder Bednar enfatiza em seguida.

E daí?

Por que tudo isso é tão importante? Aqui está a razão:

  1. A linguagem do Espírito é complicada, mas saber a diferença entre revelação e inspiração nos ajuda a categorizar e organizar as mensagens espirituais. Elas nos dão uma bela introspecção de como o Espírito opera em nossa vida.
  2. À medida que começamos a reconhecer cada vez mais a revelação e a inspiração em nossa vida, obteremos uma maior apreciação, compreensão e senso de gratidão por esses sussurros. Também teremos um desejo maior de seguir esses sussurros ao reconhecê-los.
  3. Finalmente, um profeta de Deus disse na Conferência Geral. Isso significa que Deus quer que saibamos disso. Cabe a cada um de nós descobrir o porquê.

Quais outros exemplos de inspiração e revelação encontramos nas escrituras? Compartilhe conosco nos comentários. É como uma caça ao tesouro. Valendo!

___

Saiba mais sobre Revelação:

7 Atitudes Que Aumentarão Sua Capacidade de Receber Revelação Pessoal