Ouvir o céu: Deus está determinado a se comunicar com você

Todos nós já tivemos experiências em que o Espírito Santo deixou uma impressão clara. Sentimos algo como alegria, afirmação ou paz.

Por exemplo, talvez ao cantar um hino, você sentiu um grande amor por Jesus Cristo e pelas bênçãos que recebeu.

Talvez você se sentiu inspirado por um discurso que ouviu durante uma conferência ou devocional.

Talvez você teve uma ideia repentina ao estudar as escrituras ou assistir a uma aula.

Talvez você sentiu uma impressão clara ao visitar um vizinho e descobriu que ele precisava de ajuda.

Essas são experiências vitais e abençoadas. A pergunta é: com que frequência devemos ter experiências tão distintas com o Espírito Santo? Como é ter a companhia constante do Espírito Santo?

Eu me preocupei com essa questão por muitos anos. Eu sabia que, de vez em quando, tinha ótimas experiências. Mas também havia muito tempo de somente vida cotidiana.

Se eu estivesse realmente experimentando a companhia constante do Espírito Santo, teria mais momentos de compreensão, mais bondade e mansidão, mais revelação?

Eu me preocupei com essa questão por anos e sempre me senti espiritualmente inferior. Então, certo dia, em uma aula da Escola Dominical de Princípios do Evangelho, uma jovem missionária retornada comentou sobre sua compreensão da companhia constante do Espírito Santo.

“Penso na companhia constante do Espírito Santo como meu relacionamento com minha companheira missionária. Estamos juntas o dia todo, todos os dias. E sou abençoada por sua companhia. Mas nós apenas cantamos uma música juntos ou compartilhamos uma visão de vez em quando. Na maioria das vezes, ela está apenas lá. Então, de vez em quando, ela fala.”

Eu fiquei espantado! O que aquela jovem disse fez total sentido. Podemos ter a companhia constante do Espírito Santo sem ter constantes experiências como as de anjos no templo de Kirtland.

Na verdade, se estamos procurando guardar nossos convênios, devemos confiar que o Espírito Santo será nosso gentil companheiro constante, interferindo apenas quando necessário.

Então, como sabemos se estamos no caminho da orientação celestial? Muitos anos atrás, Truman Madsen deu um discurso intitulado “Vinte perguntas”.

Ele contou a história de um graduado em filosofia que o perguntou como ele justificava sua participação na Igreja, apesar de ter um doutorado em filosofia e religião.

Depois conversar por um tempo, o irmão Madsen virou o jogo. Ele fez uma série de perguntas ao rapaz, para ver se seu coração e alma estavam realmente na Igreja.

Adoro as perguntas do irmão Madsen. Inspirado por sua lista, fiz minha própria lista de dez perguntas sobre nossas experiências com o Espírito Santo.

1. Você já se sentiu inesperadamente renovado, novo e feliz?

Lembro-me do verão antes de partir para minha missão, quando fui à Praça do Templo com um amigo do Instituto chamado Bill.

Era uma manhã adorável em um belo cenário. Enquanto caminhávamos pela Praça do Templo, perguntei: “Não está uma bela manhã?!”

Continuamos caminhando e eu fiz aquela pergunta novamente. Devo ter feito a mesma pergunta cinco vezes.

Como eu era imaturo espiritualmente na época, pensei que o bom tempo tinha se combinado com uma sensação geral de bem-estar o que criou aquela felicidade. Agora entendo.

O mensageiro especial de Deus estava andando de braço dado comigo, elevando meu espírito e me enchendo de alegria.

Talvez Ele estivesse me animando por causa da minha empolgação de ir para a missão. Agora procuro estar mais atento a esses sentimentos. Você já sentiu algo semelhante?

2. Você já se sentiu elevado e emocionado pela música?

Lembro-me de estar na casa da missão (semelhante ao atual CTM) com cerca de mil missionários. Passávamos longas horas ouvindo discursos em salas lotadas. E ficávamos cansados.

No entanto, ao estarmos juntos e cantarmos alguns dos melhores hinos de Sião, éramos elevados ao céu. Ó Élderes de Israel. Chamados a servir. Levaremos ao Mundo a Verdade. Estes são hinos inspiradores.

Lembro-me de participar de um evento onde as pessoas se reuniam para cantar hinos no antigo Tabernáculo de Provo. Por sorte, eu estava sentado no meio daquele grande coral.

Enquanto cantávamos, chorei de alegria. A mensagem e a música encheram minha alma. Às vezes, tenho uma experiência semelhante quando cantamos um hino sacramental na Igreja.

Com humildade, nosso Salvador tem maior probabilidade de evocar alegria e lágrimas. Você já se sentiu emocionado por meio da música?

3. Você já sentiu momentos de inspiração?

aproveitar a conferência ao máximo

Você já leu as escrituras, ponderou, fez um discurso ou deu uma lição e de repente teve um momento de inspiração?

Talvez você tenha se impressionado com uma conexão entre ideias que nunca tinha visto antes.

Talvez ao estar na frente de um grupo, você quis fazer uma pausa naquele momento para que pudesse anotar uma nova ideia.

Você já passou por esses momentos de inspiração?

Uma forma mais sutil de um momento de inspiração é a experiência da descoberta. Às vezes, ouvimos algo novo e aquilo faz sentido. Pode não haver fogos de artifício, mas há um senso de acerto ou verdade. Você já sentiu aquela sensação de estar certo?

4. Existem princípios e passagens nas escrituras que iluminam sua mente?

Eu amo o grande plano de felicidade de Deus! É brilhante e amoroso! Então, quando leio Doutrina e Convênios 128:23, me sinto maravilhado. Pense na alegria que é evocada em toda a natureza pelo grande plano de alegria e felicidade de Deus:

“Que as montanhas gritem de alegria e todos vós, vales, clamai em alta voz; e todos vós, mares e terras secas, contai as maravilhas de vosso Eterno Rei! E vós, rios e riachos e ribeiros, fluí com alegria. Que as matas e todas as árvores do campo louvem ao Senhor; e vós, pedras sólidas, chorai de alegria! E que o sol, a lua e as estrelas da manhã cantem juntas e que todos os filhos de Deus gritem de alegria. E que as criações eternas proclamem seu nome para todo o sempre. E torno a dizer: Quão gloriosa é a voz que ouvimos do céu, proclamando a nossos ouvidos glória e salvação e honra e imortalidade e vida eterna; reinos, principados e poderes!”

Não é maravilhoso!? Também adoro conversar com qualquer pessoa interessada nas maneiras como o plano de Deus equilibra perfeitamente a justiça e a misericórdia. Nunca me canso de tais discussões. Existem princípios ou passagens nas escrituras que iluminam você?

5. Você já viu a mão de Deus em sua vida?

Deus não costuma fazer aparições pessoais na história humana. No entanto, Ele frequentemente arranja circunstâncias para nos abençoar. Você já percebeu Sua presença?

Fiz uma lista de cerca de 200 vezes em que as mãos de Deus deixaram marcas em acontecimentos na minha vida e na vida da minha família.

Tenho certeza de que existem muitos mais! Mesmo assim, minha lista me lembra que Ele está cuidando de mim.

Quando morávamos no Alabama, um furacão nos deu um telhado novo. Uma conversa casual com um estranho me deu a uma oportunidade de escrever para o Meridian Magazine por décadas.

Deus nos promete: “Pois irei adiante de vós. Estarei à vossa direita e à vossa esquerda e meu Espírito estará em vosso coração e meus anjos ao vosso redor para vos suster” (D&C 84:88). Você já viu a mão de Deus em sua vida?

6. Você já sentiu admiração pelas criações de Deus?

Você já se surpreendeu com uma paisagem magnífica, um belo pôr do sol ou uma criatura extraordinária? Eu já.

Além disso, fiquei impressionado com a imensidão da criação de Deus. É incrível considerar que “existem cerca de 100 bilhões de estrelas somente na Via Láctea. Além disso, existem milhões e milhões de outras galáxias.” A criação de Deus é incompreensível!

“Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.” (Salmos 19:1).

Você já sentiu admiração pelas criações de Deus?

7. Você sentiu uma paz intrusiva?

Lembro-me de estar longe de casa, participando de um congresso há alguns anos. Enquanto jantava em um restaurante com colegas, senti uma estranha intrusão em nossa socialização.

Eu me senti cercado de paz – quase como se minha doce esposa Nancy tivesse atrás de mim, colocando o casaco sobre meus ombros e me abraçando.

Quando voltei para o hotel naquela noite, liguei para Nancy. Perguntei a ela sobre seu dia. Ela me disse que uma família foi ver nossa casa naquele dia. Fazia um ano que tentávamos vender nossa casa, sem sucesso.

De certo modo, o Espírito me assegurou que o Pai Celestial estava cuidando de nós.

De vez em quando, sinto algo semelhante durante o meu dia. Nem sempre está associado a alguma mudança dramática. Às vezes parece que nosso companheiro, o Espírito Santo, só quer nos abraçar. Você já sentiu esse tipo de paz.

8. Você já sentiu aquela confiança repentina e se sentiu bem?

Nancy e eu sofremos muitos abortos espontâneos. Depois de algum tempo, tínhamos mais de 20. Depois dos primeiros, fiquei frustrado. Tínhamos orado. Recebemos bênçãos do sacerdócio. Por que continuávamos tendo abortos espontâneos?

Certo dia, com a ameaça de outro aborto espontâneo, fui para o quintal e tive uma conversa severa com o Pai Celestial. Eu disse que Ele precisava parar com aquilo. Queríamos ter filhos. E Ele tinha poder para fazer milagres.

Mas algo mudou com o tempo. Em algum momento, decidi simplesmente confiar no Pai Celestial. Na verdade, decidi agradecê-lo. Eu não entendia porque era uma bênção ter um aborto após o outro. Mas eu sabia que precisava confiar Nele.

Então, eu dizia: “Obrigado, Pai. Eu não sei como isso vai nos abençoar. Mas eu confio em Ti”. E eu conseguia sentir Seu contentamento com a minha atitude.

Aprendi que Ele não tem que explicar o que está fazendo para mim. Aprendi a amar a oração de François de la Mothe Fenelon:

“Ó Pai! Dê a Teu filho aquilo que ele mesmo não sabe pedir. Não me atrevo a pedir cruzes nem consolos: simplesmente me apresento diante de Ti, abro o meu coração a Ti. Contemple minhas necessidades, que nem mesmo eu conheço. Veja e aja de acordo com a Tua terna misericórdia. Golpeie ou cure. Deprima-me ou Levante-me. Adoro todos os Teus propósitos sem conhecê-los. Estou em silêncio. Me ofereço em sacrifício. Me rendo a Ti. Eu não teria outro desejo senão cumprir Tua vontade… Amém.”

Você já sentiu a doçura de apenas confiar em Deus?

9. Você sentiu que foi guiado a um lugar ou a alguém?

Lembro-me de quando eu e o Élder Denzil Harward estávamos servindo como missionários em Ocala, Flórida.

Um dia, quando eu estava pronto para ir para casa jantar, ele disse: “Precisamos visitar as pessoas daquele estacionamento de trailers”. Eu o acompanhei. Batemos em uma porta e encontramos pessoas adoráveis que nos acolheram em sua casa e foram batizadas algumas semanas depois.

Certa noite, quando se preparava para dormir, Wilford Woodruff foi instruído a mover sua carruagem. Ele o fez relutante. Durante a noite, uma grande tempestade de vento derrubou uma árvore no local onde sua carruagem estava parada.

Eu normalmente não tenho esse tipo de impressão. Algumas pessoas sim. Você já se sentiu guiado a um lugar onde Deus precisava de você?

10. O Espírito deu a você um profundo amor e preocupação por alguém?

Honrar

O Profeta Joseph Smith ensinou que:

“Quanto mais nos aproximamos de nosso Pai Celestial, mais dispostos estamos a olhar com compaixão para as almas que perecem; sentimos que desejamos levá-las nos ombros e tomar seus pecados sobre nós”.

Você já sentiu um amor enviado pelos céus por outra pessoa que um dia foi um estranho ou inimigo?

Existem muitas maneiras que Deus pode se comunicar conosco

Acredito que cada um de nós tem uma maneira diferente de se conectar como céu. Talvez nenhum dos métodos acima funcionem para você.

Quais são as maneiras que Deus parece guiar a sua vida? Desafio você a fazer um inventário das mensagens de Deus para você.

Anos atrás, um bom homem em nossa ala me visitou. Ele disse, “Acredito que nunca senti o Espírito em minha vida. O que há de errado comigo? Não sou digno da orientação de Deus?”

Fiquei perplexo. Como uma pessoa muito emotiva, Deus sempre fala comigo das maneiras como descrevi anteriormente no texto.

Depois de refletir, pensei se aquele homem bondoso e fiel – que era muito lógico e objetivo – não receberia orientação de Deus através de seus pensamentos. Talvez Deus o inspire com bom senso e lógica.

Enquanto alguns sentirão emoções mais fortes, outros serão orientados de maneiras que melhor se encaixam em suas personalidades.

“Pois o Senhor Deus dá luz ao entendimento; porque fala aos homens de acordo com sua língua, para que compreendam” (2 Néfi 31:3).

Quando a escritura diz que Deus fala de acordo com a língua de cada pessoa, não acredito que se refira somente ao idioma de seu país.

Acredito que Deus adapta Suas mensagens para cada um de nós – de acordo com as nossas personalidades e preferências. Ele está determinado se comunicar conosco.

Mesmo que Deus adapte Suas mensagens para nós, devemos aprender a reconhecer essas mensagens.

Devemos descobrir e cultivar uma maneira de nos conectarmos com o céu. Ao fazermos isto, começaremos a perceber as muitas maneiras que Deus se comunica conosco.

Fonte: Meridian Magazine

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *