Pergunta

Meu nome é Armando. Eu cresci em uma área que não era o melhor dos lugares. Havia muitas gangues, drogas, violência, e tudo que você pode imaginar. Eu cresci no meio de tudo isso. Meu pais eram membros da Igreja, mas depois de se afastar, eles se envolveram com algumas atividades ilegais na minha vizinhança. Eu estou tentando melhorar minha vida e recentemente eu voltei para a Igreja. Mas como Deus pode ver potencial em mim, sendo que cresci no meio de tanto pecado?

Resposta

Armando,

Te parabenizo por seu desejo de ter uma vida melhor e por ter voltado para a Igreja. Mesmo que seja difícil para nós vermos, o Pai Celestial vê potencial em todo nós. Eu penso que você poderia até usar sua experiência para inspirar as pessoas a sua volta.

Sua história me lembra a história de conversão que eu li recentemente. Este jovem teve muitas experiências semelhantes as suas. Confira:

A História de Conversão de Cruz Soto

No dia 13 de setembro de 2015, eu me sentei no banco em um ala de solteiros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Na semana anterior, tivemos uma configuração na área da ala e ganhamos 80 membros ativos, fazendo a frequência ficar em volta dos 140.

Ao olhar para esses novos membros pela primeira vez, eu tinha o desejo de conhecê-los e ajudá-los, mas eu me sentia sobrecarregado e nervoso. Além dos 80 membros que foram transferidos da outra ala, nós tínhamos um novo membro, Cruz Soto, que tinha sido batizado recentemente e foi conhecer a ala de solteiros. Nossa primeira reunião foi domingo de testemunho e Cruz prestou seu testemunho, mesmo não conhecendo ninguém na ala.

Naquele dia eu estava ocupado com entrevistas e não o vi até o horário de confraternização. Ele estava indo embora e eu senti que deveria conversar com ele. Ele o alcancei quando ele estava prestes a entrar em um carro preto que estava esperando por ele. Eu me apresentei e perguntei se nós poderíamos conversar algum dia (marcamos para o próxima sábado a tarde). Na conversa, Cruz disse que ele não estava planejando voltar para a ala de solteiros, mas quando ele me viu indo atrás dele ele sentiu que aquele era o lugar para ele. Sou muito grato por ter seguido esse impressão do Espírito Santo.

Eu acabei conhecendo sua incrível história de vida. Ele cresceu nas ruas da Califórnia, envolvido em atividades brutais que podem sem encontradas nas ruas. Ele me contou sobre a sua vida familiar difícil e como ele fazia tudo sozinho. Ele vivia em um estado de sobrevivência. Ele me disse que todos os seus amigos tinham morrido ou ido pra prisão, e que ele é o único “sobrevivente.” Ele me contou sua história de coragem quando mudou para Utah e decidiu conhecer a Igreja. Ele frequentou a Igreja três vezes e decidiu ser batizado. Eu senti que sua sobrevivência foi um milagre. O Pai Celestial o protegeu para que ele pudesse viver uma viva bela e cumprir sua missão aqui na terra.

Durante a entrevista eu chequei seu registro na ala. Vi que ele era digno de receber o Sacerdócio Aarônico, receber uma recomendação para o templo de uso limitado e de receber um chamado como missionários de ala. Foi uma entrevista e tanto… mas Cruz é alguém fora da curva. Ele foi apoiado como novo membro da ala e senti que deveria dar um conselho para ele:

Há duas coisas que podem fazer com que você se afaste do evangelho logo no começo: 1) se ofender por causa de outras pessoas, 2) quebrar os mandamentos.

Nós conversamos sobre como alguns membros poderiam julgá-lo, e como ele viria a pecar, como todo ser humano.

No domingo, dia 20 de setembro ele foi apoiado em seu novo chamado e recebeu o Sacerdócio Aarônico. No outro domingo, eu dei para ele um formulário para que ele recebesse sua Benção Patriarcal. Depois ele me perguntou se ele poderia visitar e ministrar alguém. Eu dei para ele alguns nomes, e ele escreveu na parte de trás daquele formulário. E então ele imediatamente foi visitar essas pessoas. Isso mostrou pra mim o tipo de homem que ele era. Não muito tempo depois, eu recebi uma mensagem dele onde ele reportava como tinham sido as visitas.

Tatuagens

Cruz tem 28 tatuagens. Mesmo que eu encoraje os jovens a não tatuarem seus corpos, eu gosto de saber a história por trás das tatuagens que eles já tinham. Essas histórias muitas vezes mostram parte de sua sobrevivência e o que é importante para eles. Cruz tinha feito uma tatuagem no dia do seu batismo, e quase fez uma vigésima nona tatuagem de sua escritura favorita, D&C 58:42. Uma ótima escritura, mas ele decidiu que não deveria mais fazer tatuagens. Eu estava preocupado que as pessoas jugassem Cruz por causa de suas tatuagens, e deixassem de ver o incrível rapaz por trás delas. Ele me contou que isso aconteceu quando ele foi fazer batismos no templo. Alguém olhou para ele atravessado, mas ele não se importou. Eu tenho certeza que Cristo nunca fez isso, mas tratou a todos com amor como na Parábola do Bom Samaritano.

Cruz levou seu chamado de missionário de ala a sério e visitou muitas pessoas na ala. Ele se tornou uma pessoa em que todas as pessoas confiavam. Muitas pessoas compartilhavam seus desafios com ele e Cruz sabia como ajudá-los.

Em uma conferência de estaca, Cruz foi convidado a prestar seu testemunho. Ele foi muito bem e ajudou a todos a se aproximar de Cristo. Eu acredito que aquela experiência ajudou Cruz a abrir os olhos para as possibilidades de ajudar muitas pessoas, e que essa é a sua casa.

Conforme ele se conectava com as pessoas da ala, seu desejo de ajudar as pessoas crescia. Ele me perguntou frequentemente sobre como era o processo de para receber o Sacerdócio de Melquisedeque. Depois de alguns poucos meses para se preparar, ele recebeu o Sacerdócio de Melquisedeque.

Armado com o manto de seu chamado e o poder e autoridade do Sacerdócio de Melquisedeque, Cruz seguiu em frente ajudando as pessoas. Eu o via frequentemente fazendo visitas com os membros de seu Quórum. Muito desses membros comentaram comigo que eles falavam sobre seus problemas com o Cruz, e ele os ajudava com sua amizade e muitas bençãos do sacerdócio. Eu pensei sobre o impacto que ele estava causando na vida dos membros, muitos deles com muitos anos de Igreja. Como é maravilho que para ser um servo de Cristo, não precisamos de um treinamento formal ou passar em uma prova. Só precisamos ter o desejo de servir aos outros.

Em julho de 2016, quando eu estava visitando alguém com ele, eu tive uma experiência onde meus olhos espirituais foram abertos para entender melhor Cruz e sua missão na terra. Durante uma visita profundamente espiritual, eu senti muito forte que Cruz e nosso Pai Celestial tiveram uma conversa na vida pré-terrena na qual eles conversaram sobre as duas opções que ele teria. Uma delas seria nascer em uma família tradicional, crescer com envolto de amor, educação e segurança. A outra opção era a que Cruz escolheu. Crescer nas ruas e exposto a tudo que esse tipo de vida traz. E mesmo assim ele seria capaz de seguir Jesus Cristo, sendo um membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Durante essa conversa com o Pai Celestial, Cruz “viu” que ele poderia resgatar mais pessoas, trazendo-os para o evangelho se ele escolhesse a opção de viver nas ruas. Ambos sabiam que ele sobreviveria, e essa experiência o qualificaria para ajudar muitas pessoas em sua missão de vida. Cruz sabia que ele andaria em um caminho de dor emocional, veria o pior da humanidade, e depois de sair das ruas ainda seria julgado por outras pessoas. Sua vida nas ruas o privaria de oportunidades que outros jovens de famílias tradicionais tem. Um delas era a educação formal. Cruz me disse o quão difícil era mudar de escola tantas vezes e como ele ansiava por educação. Ele concluiu seu ensino médio em Agosto de 2016 e corajosamente começou sua educação superior.

Eu estou ansioso para ver o que Cruz ainda vai conquistar em sua vida. Vai ser difícil, mas Cruz sabe como lidar com as dificuldades e seguir em frente. Com sua experiência de vida, e o evangelho de Jesus Cristo, vai ser um prazer ver todas as coisas que Cruz irá conquistar e quantas pessoas ele vai ajudar. Pessoas que somente Cruz é capaz de ajudar, por que ele irá ajudá-los a ver quem eles podem se tornar por meio de Cristo. Ele será uma benção para sua família, e muitos amigos que ele prometeu resgatar na vida pré-mortal.

No dia 3 de setembro de 2016, eu fui em uma reunião batismal em nossa ala. O jovem Michael Baca estava sendo batizado e pediu para Cruz batizá-lo. Penso que anjos estava comemorando a decisão de Michael, e o aniversário de um ano de batismo do Cruz.

No dia 17 de setembro de 2016, Cruz recebeu suas investiduras no templo de Salt Lake. Nós tínhamos mais pessoas de nossa ala lá do que qualquer outra caravana. Acredito que isso mostra algo sobre ele. Mostra quantas pessoas o amam e o quanto ele ajudou essas pessoas. Ele estava muito bem preparado para essas ordenanças. Foi um marco na vida dele que abriu as portas para sua missão na terra.

Eu compartilho essa história como uma homenagem a ele, um dos melhores homens que conheci. Sou privilegiado por ser seu amigo. Mas eu gostaria de compartilhar meu testemunho que esta é a obra de Jesus Cristo, e é verdadeira. O Pai Celestial está guiando nossas vidas cuidadosamente. Ele nos conhece individualmente. Ele nos ama, e tem um plano para nós. Que possamos aprender com a história do Cruz que Deus realmente tem um plano, que todos nós temos um grande potencial como um filho ou filha de Deus.

Então Armando, como você pode ver, qualquer pessoa pode vencer suas dificuldades e se tornar uma grande fonte de inspiração para muitas pessoas. É só seguir a Cristo.

Fonte: AskGramps

Relacionado:

Precisamos parar de julgar as pessoas por não serem “mórmons o suficiente”