Você está cansado de fazer o bem? Se sim, você precisa ler isso!

Eventos recentes em minha vida me fizeram pensar em como o coração das pessoas está falhando. Vi muitos dizerem coisas que não deveriam dizer, tratar pessoas como não deveriam tratar ou mesmo fazer coisas que não deveriam fazer.

Até cheguei a pensar que eu estava sendo sensível demais, me importando com coisas muito pequenas, ou mesmo que estava em uma crise de TPM, mas ao ponderar sobre esses acontecimentos, imediatamente me veio à minha mente o versículo que se encontra em Doutrina e Convênios 88:91:

“E todas as coisas estarão tumultuadas; e certamente o coração dos homens lhes falhará.”

Confesso que cheguei a ficar desanimada e até um pouco triste ao ver que as pessoas estão mais frias, e ficar nessa espécie de fossa, me fez pensar que não valia tanta a pena fazer coisas boas para as pessoas.

Talvez você um dia já tenha se sentido assim, ou mesmo já pensou que seus atos de bondade não adiantam de nada. Afinal, a gente se esforça para servir, amar e ajudar o nosso próximo, sacrificamos algo que é importante para nós e somos recebidos de uma maneira totalmente diferente do que imaginamos.

Não é que esperamos um super reconhecimento pelo o que fazemos, não é isso. É só que não esperamos palavras duras, gestos bruscos ou negatividade.

Aprendemos nas escrituras que o mundo ficará mais frio mesmo (D&C 45:26) e que muitas coisas erradas acontecerão. Mas saber que tudo isso faz parte do momento que vivemos, um momento que antecede a Segunda Vinda de Cristo, não deveria ditar nossas ações. Ou seja, você não deveria pensar como eu pensava e achar que como estamos fadados a frieza só devemos seguir o baile.

Comecei a mudar quando estava estudando o tema dos Jovens desse ano com as Moças de minha ala. 

Em Doutrina e Convênios 64, lemos:

33 “Portanto, não vos canseis de fazer o bem, porque estais lançando o alicerce de uma grande obra. E de pequenas coisas provém aquilo que é grande.

34 Eis que o Senhor requer o coração e uma mente solícita; e os que são solícitos e obedientes comerão do bem da terra de Sião nestes últimos dias.

Nunca levei um soco no estômago, mas acho que o sentimento deve ser bem parecido com o que senti depois de ler essa escritura. “Não vos canseis de fazer o bem”! Parecia que essa escritura tinha sido escrita para mim, para aquele exato momento. 

Imediatamente lembrei de uma citação, da Madre Teresa de Calcutá. Quando questionada do por quê ela continuava a fazer coisas boas, servir e ajudar as pessoas, já que eram poucas comparadas à quantidade de pessoas no mundo, ela simplesmente respondeu: “O que eu faço é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor.”

O mundo – ou o oceano – continuará com a sua frieza, mas podemos tornar o mundo um lugar mais quentinho se continuarmos fazendo o bem. No tema dos Jovens, o Senhor disse que “de pequenas coisas provém aquilo que é grande”. De pequenas gotinhas de água é formado um oceano! Não podemos desistir de servir, de amar, de ajudar, mesmo que só encontremos como resposta a frieza.

De alguma maneira, nosso pequeno e simples ato poderá ser uma luz para alguém que precisa. O Salvador Jesus Cristo nos ensinou: 

“Vós sois o sal da terra; e se o sal se tornar insípido, com que se há de salgar?” (Mateus 5:13)

Se perdemos o amor, que é a essência do evangelho, como iremos seguir Cristo? Como iremos nos tornar como Ele é? Como iremos ajudar os nossos irmãos e irmãs?

O Élder Joseph B. Wirthlin ensinou o seguinte sobre isso:

“Os atributos da bondade e da habilidade de pensar no próximo, estão inseparavelmente ligados […] A bondade é a essência da vida celestial. A bondade é como as pessoas com atributos cristãos tratam o próximo. A bondade deve permear todas as nossas palavras e ações no trabalho, na escola, na Igreja e especialmente em nosso lar.”

Devemos sempre nos lembrar que como seres humanos somos todos falhos, que estamos sujeitos ao homem natural, e que estamos em um processo de nos tornarmos. Precisamos ser pacientes com as pessoas que nos rodeiam, e principalmente nunca esquecer que o mundo precisa de nossos pequenos atos de bondade. Precisamos continuar servindo, ajudando, e sendo uma extensão dos braços de Jesus Cristo, de gota em gota, pois é somente dessa maneira que os oceanos são formados.

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *