A grande questão: devo pedir desobrigação de um chamado da Igreja?

Isso é mais complicado do que parece. Algumas pessoas dirão imediatamente “não”, achando que a decisão pode mostrar falta de fé, e algumas podem dizer “sim” sem hesitar, entendendo que esses chamados são voluntários.

Eu acho que a resposta requer reflexão. Se chegamos a um ponto em nossos chamados onde estamos pensando em pedir desobrigação, então algumas perguntas precisam ser feitas antes de falar com um membro do bispado.

1. Esse chamado está lhe causando ansiedade ou sentimentos que afastam o Espírito?

Se sim, então porque isso está acontecendo? Você sofre de ansiedade que precisa ser tratada clinicamente? Se a resposta é não, então considere o seguinte exercício mental:

Antes de criticar as pessoas que você serve ou a organização que você serve como o primário, olhe para dentro de si mesmo. Você coloca um fardo em suas cosas que é maior do que necessário? Se você puder, delegue responsabilidades. Você é uma pessoa que segue uma lista de coisas a fazer e quando a lista não é concluída, você leva isso pro lado pessoal? Se sim, então pare.

Você deve analisar por que está se sentindo do jeito e determinar se isso é algo que pode mudar dentro de si mesmo ou em algum aspecto de seu ambiente, algo que você pode controlar (como delegar responsabilidades), ou se é algo que está fora de seu controle. Muitas vezes podemos descobrir que as situações em que nos encontramos podem ser melhoradas por meio de algum esforço de nossa parte. A parte difícil é descobrir o que precisamos mudar. É aí que a questão número dois entra em jogo.

2. Você conversou sobre sua situação e seus sentimentos com o Senhor?

Inclua nosso Criador em sua vida. Eu me lembro da faculdade de medicina. Eu era um estudante em residência em um plantão de emergência e por volta das 2 da manhã, apareceu um homem que tinha sido atingido na cabeça por um bastão. Ele precisava fechar um grande corte na parte de trás de sua cabeça. Meu médico assistente me disse das os pontos. Como eu estava começando, isso parecia uma tarefa assustadora, especialmente porque eu nunca tinha realizado esse procedimento em uma pessoa real antes (só tendo praticado em pele falsa na faculdade).

“Você consegue”, disse uma voz em minha cabeça. Uma voz mais sensata disse: “Vá dizer ao seu supervisor que você não se sente confortável em fazer isso pela primeira vez sozinho e gostaria de sua orientação.” Então foi o que eu fiz.

Temos um Pai Celestial sempre amoroso e sempre compreensivo. Quando nos aproximarmos Dele, Ele escutará, e se pedirmos a Sua orientação, Ele dará. Você deve conversar com ele com a mente aberta porque pode receber uma resposta que não gosta, mas confie em Deus e anote seus pensamentos. Esse processo talvez precise de muitas tentativas, mas não tome nenhuma decisão sem consultar Deus.

3. Você recebeu uma bênção do sacerdócio?

Uma bênção do sacerdócio pode revelar informações adicionais que você talvez não soubesse. Além disso, uma bênção do sacerdócio pode fornecer a força espiritual para continuar em seu chamado. A vontade do Senhor pode ser revelada de maneiras muito poderosas durante uma bênção do sacerdócio. Antes de pedir por uma desobrigação, receba uma bênção do sacerdócio.

ensinamentos do profeta

4. Você deu tudo de si?

Quando eu estava no ensino médio, eu estava no time de natação. Como calouro, eu não sabia em quais estilos eu me concentraria, e meu treinador decidiu experimentar todos eles durante o próximo encontro de natação.

Durante o primeiro treino de natação, ele decidiu que eu iria nadar 500 metros. Este era o nado mais longo possível e foi extremamente cansativo. Eu não estava condicionado para este nado. Durante os treinos, eu nadava no máximo 200 metros de uma só vez. Eu sabia que não ia me sair bem. Mais ou menos na metade do treino, eu pude ver que alguns outros nadadores já tinham terminado. Eu estava me movendo tão devagar. Eu tirei a cabeça da água e gritei para o meu treinador, dizendo-lhe que queria desistir.

Ele respondeu dizendo que eu não poderia desistir, mas que tinha que dar tudo de mim, então eu nunca teria que fazer isso de novo. Eu terminei o treino, muito devagar e exausto, mas terminei. Eu nadei a prova de 500 metros durante toda a minha carreira no ensino médio e adorei. Muitas vezes não vamos amar nossos chamados, mas devemos dar tudo de nós, pois é isso que o Senhor nos pede. Embora seu chamado possa ser doloroso ou difícil agora, você pode descobrir novas habilidades, pessoas ou oportunidades que passará a amar.

Se você passar por essas etapas e ainda sentir a necessidade de pedir desobrigação, saiba que não há vergonha alguma nisso. Você tem a confirmação do Espírito Santo e isso é tudo que você precisa. Se você passar por essas etapas e achar que tem um pouco mais para dar, continue tentando, continue orando e sei que o Senhor o ajudará a magnificar seu chamado. Este é o reino do Senhor na terra, e nós somos o povo que irá ajudá-lo a avançar.

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

Eu não tenho um chamado na Igreja. Não sou importante?