Algo para lembrar quando não tiver vontade de ir à Igreja

Estar na igreja às vezes tem sido uma grande luta para mim. Meu primeiro grande ataque de pânico aconteceu durante uma aula da escola dominical, enquanto eu estava na faculdade, e nos meses seguintes a essa experiência eu lutei com inexplicável e intensa ansiedade ao estar na igreja e em outras configurações sociais. Depois de algum tempo e com a ajuda da terapia, medicação e oração, a igreja tornou-se novamente um lugar de paz ao invés de pânico para mim. Infelizmente, essa ansiedade retornou com força total recentemente.

Por causa da minha ansiedade e depressão, geralmente saio dessas conversas me sentindo um pouco sobrecarregado. Ao invés de focar em práticas específicas, o que mais me ajudou foi me ajustar a determinadas mentalidades que eu tinha sobre a Igreja e a frequência à igreja. Aqui estão algumas dessas perspectivas que me ajudaram a ir à igreja, apesar de sentir-se desconfortável e fora do lugar.

Não faz mal deixar o jardim

Uma boa amiga minha me disse uma vez que sair de casa para servir em uma missão foi como ser expulso do Jardim do Éden. No entanto, ela também disse que voltar para casa da missão também fez com que ela se sentisse saindo do jardim.

Para muitas pessoas, a igreja é como o Jardim do Éden: confortável, familiar e seguro. Para outros, a igreja é desafiadora e desconfortável, e isso não é necessariamente uma coisa ruim. Depois de tudo, deixar o jardim do Éden foi uma experiência dolorosa para Adão e Eva, contudo mais tarde alegraram-se, sabendo que eles não tivessem comido do fruto e saído do jardim eles “jamais teriam conhecido o bem e o mal e a alegria da nossa redenção e a vida eterna que Deus dá a todos os obedientes” (Moisés 5:10). Deixar o conforto e a familiaridade do jardim permitiu que Adão e Eva crescessem e tivessem acesso a Deus e Suas bênçãos de maneiras que caso contrário não poderiam ter.

Embora às vezes seja desconfortável para mim, frequentar a Igreja permitiu-me as oportunidades experimentar a vida e crescer de maneiras que não poderia ter crescido se eu tivesse ficado em casa no meu Éden pessoal.

Acredito que adoração na igreja está estruturada para nos lembrar que não fazemos essa viagem sozinhos — estamos juntos na jornada. E entre nós, Cristo caminha e orienta e direciona por meio de seus servos chamados. Nós podemos encontrar Cristo não só nas escrituras e na quietude da contemplação, mas também quando amamos nossas congregações e participamos delas.

Fonte: LDS Living

Relacionado:

Carta ao missionário que quer desistir da sua missão

 

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *