O sacramento é uma das doutrinas mais importantes da Igreja. Abaixo respondi algumas perguntas que geralmente surgem sobre essa ordenança.

O que simboliza o pão e a água?

Todas as ordenanças tem elementos simbólicos que transmitem verdades espirituais. Essas verdades são melhor compreendidas com discernimento espiritual.

Com o sacramento não é diferente. O pão nos lembra o corpo de Cristo e o vinho ou água, seu sangue. A ressurreição, que é universal, graças a Cristo, é dom que devemos recordar ao partilhar sua carne partida. A elevação para um estado de glória só é possível devido ao sangue purificador de um Deus misericordioso.

O Élder James J. Hamula, que serviu como Setenta, disse:

“Ao partilharmos o pão, somos lembrados de nossa própria e inevitável ressurreição, que consiste em mais do que apenas a restauração do corpo e do espírito. Pelo poder da ressurreição, todos seremos restaurados à presença de Deus. Essa realidade nos apresenta a pergunta fundamental da vida. Não se trata de saber se viveremos ou não, mas, sim, com quem viveremos após a morte. Embora todos nós retornemos à presença de Deus, nem todos permaneceremos com Ele.

Ao tomarmos a água do sacramento, somos ensinados como ser limpos do pecado e da transgressão e assim habitar na presença de Deus. Ao derramar Seu sangue inocente, Jesus Cristo satisfez as exigências da justiça para todos os pecados e todas as transgressões. Ele, então, nos oferece a purificação se tivermos suficiente fé Nele para nos arrependermos, para aceitar todas as ordenanças e os convênios de salvação, começando pelo batismo, e para receber o Espírito Santo. Ao recebermos o Espírito Santo, estamos limpos e purificados.” (Conferência Geral, outubro de 2014)

Quais convênios faço durante o Sacramento?

Podemos reconhecer os convênios firmados nas orações sacramentais. Vejamos:

  • “para que comam em lembrança do corpo de teu Filho” [e] “para que o façam em lembrança do sangue de teu Filho, que por eles foi derramado”
  • “e testifiquem a ti, ó Deus, Pai Eterno, que desejam tomar sobre si o nome de teu Filho”
  • “e recordá-lo sempre” [e] “e testifiquem a ti, ó Deus, Pai Eterno, que sempre se lembram dele”
  • “e guardar os mandamentos que ele lhes deu”

Em contrapartida, Deus nos promete o seu Espírito constantemente.

Quais convênios eu renovo durante o sacramento?

“Toda vez que participamos do sacramento, renovamos convênios com o Senhor. Um convênio é uma promessa sagrada entre o Senhor e Seus filhos. Os convênios que fazemos são mencionados claramente nas orações sacramentais. É importante saber quais são esses convênios e o que eles significam.” (“Sacramento”, Princípios do Evangelho, Capítulo 23)

O Élder Delbert L. Stapley, que serviu nos Setenta, nos ensinou ao dizer o seguinte sobre os convênios:

“O evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo é um convênio entre Deus e Seu povo. Quando somos batizados por um servo autorizado de Deus, fazemos o convênio de seguir a vontade do Senhor e obedecer a Seus mandamentos. Ao tomarmos o sacramento renovamos todos os convênios que fizemos com o Senhor e fazemos a promessa de tomar sobre nós o nome de Seu filho, sempre nos lembrar Dele e guardar Seus mandamentos” (Conference Report, outubro de 1965, p. 14).

Assim o sacramento renova os convênios batismais:

“Ao participar do sacramento, testificamos a Deus que continuaremos a lembrar-nos do Filho depois do curto tempo daquela sagrada ordenança. Parte dessa ordenança é uma promessa de lembrar-nos sempre Dele e um testemunho de que desejamos tomar sobre nós o nome de Jesus Cristo e guardar Seus mandamentos. Ao participar do sacramento e assumir esses compromissos, os membros da Igreja renovam o convênio que fizeram no batismo (ver Mosias 18:8–10; D&C 20:37).

Em troca, o Senhor renova a prometida remissão dos pecados e possibilita aos membros ter Seu Espírito sempre com eles (ver D&C 20:77). A companhia constante do Espírito é uma das maiores dádivas da mortalidade.” (“O sacramento”, https://www.churchofjesuschrist.org/topics/sacrament?lang=por )

Mas apenas renova os convênios feitos no batismo. Todos os convênios feitos com Deus, inclusive os do Templo, podem ser renovados ao partilharmos o sacramento. O Presidente Oaks pareceu sugerir isso ao dizer:

“Essa ordenança nos foi dada para que possamos renovar nossos convênios de servi-Lo, obedecer a Ele e lembrar-nos sempre Dele.” (Conferência Geral outubro de 2008)

Pode-se alterar a ordem de distribuição do sacramento?

Não. As ordenanças são rígidas, e seus aspectos essenciais não podem ser alterados. Quanto ao sacramento, inverter a ordem da bênção e distribuição do pão e da água é apostasia. As escrituras revelam a ordem correta, que deve ser seguida.

“A sequência de comer primeiro o pão e depois beber a água não é irrelevante.” (Élder James J. Hamula, Conferência Geral, outubro de 2014)

A ordem do sacramento sugere que primeiro receberemos a maravilhosa bênção da imortalidade, e depois a da exaltação, se cumprirmos os convênios associados a ordenança.

Porque pessoas não batizadas e crianças podem participar do sacramento?

O Senhor permitiu que pessoas não formalmente preparadas comessem a páscoa.

Porque uma multidão do povo, muitos de Efraim e Manassés, Issacar e Zebulom não se tinham purificado, e contudo comeram a páscoa, não como está escrito; porém Ezequias orou por eles, dizendo: O Senhor, que é bom, perdoe aquele
Que preparou o seu coração para buscar ao Senhor Deus, o Deus de seus pais, ainda que não esteja purificado segundo a purificação do santuário.
E o Senhor ouviu Ezequias, e curou o povo. (2 Crônicas 30:18-20)

Assim, de modo semelhante, não membros e crianças podem participar do sacramento. Para eles o efeito não será de renovar os convênios, pois não fizeram convênios. Mas terá um efeito preparatório, acalentador e os motivará, no futuro, a receber sagrados convênios.

Qual o padrão de dignidade exigido para partilhar do sacramento?

“Não precisamos ser perfeitos antes de partilhar do sacramento, mas precisamos ter o espírito de arrependimento no coração. A atitude com que partilhamos do sacramento influencia a experiência que temos naquele momento. Se tomarmos o sacramento com um coração puro, receberemos as bênçãos prometidas pelo Senhor.” (“Sacramento”, Princípios do Evangelho, Capítulo 23)

Qual deve ser minha atitude durante o sacramento?

“Durante o serviço sacramental, precisamos tirar da mente todos os pensamentos mundanos. Devemos ficar em espírito de oração, ser reverentes, pensar na Expiação do Salvador e ser gratos por ela. Devemos também examinar nossa vida, procurar meios de melhorá-la e renovar nossa determinação de guardar os mandamentos.” (“Sacramento”, Princípios do Evangelho, Capítulo 23)

O Élder Peter F. Meurs, dos Setenta, ensinou:

“Em vez de ignorar as palavras já conhecidas das orações sacramentais, podemos aprender muito e desfrutar ainda mais ao participarmos espiritualmente, pensando nos compromissos e nas bênçãos a eles associadas que são mencionados nas sagradas orações.

(…)

Os momentos reverentes em que os portadores do sacerdócio distribuem o sacramento podem tornar-se sagrados para nós.” (Conferência Geral outubro de 2016)

Posso ser perdoado ao tomar o sacramento?

O Élder David A. Bednar ensinou:

“A ordenança do sacramento é um convite sagrado e constante para nos arrependermos sinceramente e sermos renovados espiritualmente. O ato de tomar o sacramento, por si só, não perdoa os pecados. Mas, à medida que nos preparamos conscientemente e participamos dessa ordenança sagrada com um coração quebrantado e um espírito contrito, a promessa é a de que teremos sempre conosco o Espírito do Senhor. E pelo poder santificador do Espírito Santo como nosso companheiro constante, podemos sempre conservar a remissão de nossos pecados”. (David A. Bednar, “Conservar Sempre a Remissão de Seus Pecados”, A Liahona, maio de 2016, p. 61.)