7 milagres modernos que lhe trarão esperança

Cristo realizou milagres durante o Seu ministério terreno, os pioneiros viram a mão de Deus durante a sua caminhada, e da mesma maneira, podemos ver a mão de Deus em nossa vida cotidiana. Aqui estão alguns milagres compartilhados pelas Autoridades Gerais que provam que a era dos milagres não acabou.

“Pensem nas bênçãos” – Thomas S. Monson

Em outubro de 2010, na Conferência Geral, o Presidente Thomas S. Monson deu um discurso na qual ele falou sobre a inspiração. Ele se lembra de ter um sentimento enquanto nadava na piscina, de que deveria visitar um velho amigo no hospital.

“Quando cheguei a seu quarto, vi que não havia ninguém ali. Ao perguntar, fiquei sabendo que provavelmente o encontraria na piscina do hospital, que era usada para fisioterapia. E realmente o encontrei ali. Ele tinha ido até lá em sua cadeira de rodas e era a única pessoa no local. Estava do outro lado da piscina, perto da parte funda. Eu o chamei, e ele manobrou sua cadeira de rodas para vir me cumprimentar. Tivemos uma conversa agradável, e eu o acompanhei de volta até seu quarto de hospital e lhe dei uma bênção.

Mais tarde, fiquei sabendo pelo meu amigo que ele estava extremamente desanimado naquele dia e pensara em tirar a própria vida. Tinha orado pedindo alívio, mas começara a sentir que suas orações não eram respondidas. Foi até a piscina com a intenção de acabar com seu sofrimento — jogando-se com sua cadeira de rodas na parte funda da piscina. Eu cheguei em um momento crítico, em resposta ao que sei ter sido uma inspiração do alto.”

“Cessaram os dias de milagres?” – Donald L. Hallstrom

Nesta conferência geral de outubro de 2017, Elder Hallstrom reconta a história de um jovem ferido em um acidente enquanto escalava. Depois de sofrer ferimentos graves no pescoço e nas costas, Clark se recuperou rapidamente, para a confusão e alegria de seus médicos:

Os milagres que Clark experimentou durante este evento traumático estavam apenas começando. “Por acaso”, o primeiro grupo a chegar até ele incluía socorristas e profissionais de saúde especializados em resgates em montanhas. Eles imediatamente trataram de Clark, que estava em estado de choque, e o mantiveram aquecido. “Por acaso”, eles também estavam testando um novo dispositivo de comunicação e conseguiram mandar um pedido de socorro de emergência mesmo sem sinal de celular…Quando o helicóptero se aproximou por um ângulo diferente, os ventos “por acaso” se acalmaram e a aeronave pousou pelo tempo necessário para que os socorristas rapidamente, mas com dificuldade, colocassem Clark no pequeno compartimento atrás do assento do piloto.

“Por acaso”, um renomado especialista em cirurgia neuro traumática estava de plantão naquele dia, num hospital onde ele trabalhava apenas poucas vezes ao ano. O médico disse, posteriormente, que nunca tinha visto alguém sobreviver após sofrer tantos danos na medula espinhal e nas artérias carótidas… Por ser agnóstico, o cirurgião relatou que aquele caso ia contra todo o seu conhecimento científico sobre danos neurológicos, podendo ser descrito apenas como um milagre.

Devocional da BYU “Milagres” – Matthew Cowley

Em um discurso de uma devocional da BYU em 1953, o Elder Matthew Cowley falou de uma bênção do sacerdócio que ele deu a um menino com poliomielite:

“Algumas semanas atrás, uma mãe me chamou para ir ao Hospital do Município, em Salt Lake City. Ela disse que seu filho estava morrendo de poliomielite, e ela perguntou se eu gostaria de dar uma bênção ao menino… fomos até lá e encontramos este rapaz em um pulmão de aço, inconsciente, seu rosto com uma coloração preta, com um tubo em sua garganta, e outro tubo mais para baixo no seu abdômen.

… entramos e abençoamos aquele rapaz. Foi uma daquelas ocasiões em que soube, quando pus as mãos naquele rapaz, que ele era um rapaz diferente e que tinha fé. Tendo fé em sua fé, abençoei-o para ficar bem e lhe prometi que iria se recuperar. Não ouvi falar dele até o sábado passado, mas estava a caminho de Murray para uma conferência, e passei no Hospital do Município. Perguntei se podia ver o rapaz.

A enfermeira disse: “Claro. Pode ir até o final do corredor.”

Enquanto caminhava pelo corredor, o rapaz saiu correndo para me encontrar. Ele correu e perguntou: “Você é o irmão Cowley?”

Eu disse, ” Sim.”

Ele disse: “Quero agradecer-lhe por aquela oração.” Ele acrescentou: “Eu estava inconsciente naquele momento, não estava?”

Respondi-lhe: “sim.”

“Oração e Inspiração” – Boyd K. Packer

Neste discurso, dado em outubro de 2009, o Presidente Packer reconta a história de dois soldados da marinha enviados para a China que entraram em um trem errado de volta para a base. Os soldados saíram do trem, encontraram um trole de tração humana, do tipo usado pelos ferroviários. Eles colocaram nos trilhos e começaram a impulsioná-lo na direção que precisavam de ir.

Ao chegarem numa descida íngreme, subiram no trole e o deixaram rolar pelos trilhos. Graham foi o último a subir. O único lugar disponível era na parte da frente do carrinho. Ele correu ao lado do trole e finalmente subiu a bordo. Ao fazer isso, escorregou e caiu. Foi sendo empurrado de costas, com os pés apoiados no trole para não ser atropelado. À medida que o carrinho foi ganhando velocidade, ele ouviu a voz de sua mãe exclamar: “Bud, tenha cuidado!”

Ele calçava pesadas botas militares. O pé escorregou, e a sola da bota se prendeu numa engrenagem da roda e fez o carrinho parar a 30 cm de sua mão.

A mãe ergueu-se no leito, às 2h da madrugada, e acordou o marido: “Bud está em perigo!” Ajoelharam-se ao lado da cama e oraram pela segurança do filho. Bud escreveu contando o que havia acontecido. Foi então que perceberam que os pais de Bud foram inspirados a orar no exato momento que seu filho mais precisava.

“Eu precisava voltar” – Nestor Quales

Numa experiência publicada no LDS.org, Elder Nestor Quales conta a história de uma voz audível e inconfundível:

“Era muito tarde, e enquanto dirigia para casa depois de deixar os jovens em casa, virei em uma estrada escura em uma área rural com poucos carros. Ao longo do caminho, eu dirigi por uma pequena ponte e vi uma luz piscando no meu lado direito, próximo ao rio como se algo estivesse pegando fogo.

Eu tinha dirigido por apenas alguns metros quando ouvi uma voz dizer: “Pare!” Fiquei surpreso, pois estava viajando sozinho, mas ignorei a voz e continuei a dirigir. Uma voz de trovão então soou, “pare e volte!” Imediatamente, dei a volta ao carro. Ao fazê-lo, perguntei ao Pai Celestial: “Senhor, o que é?” Assim que cheguei à ponte, saí do carro, e a resposta do Senhor foi imediata, pois pude ouvir alguém lá embaixo gritando: “por favor, nos ajudem!”

… Aquela pequena luz era de um carro que levava cinco pessoas e que tinha caído da estrada. Duas pessoas tinham perdido as suas vidas, mas podia ter sido pior se não tivessem prestado atenção à voz do Espírito Santo.”

“Um Deus de Milagres” – Sydney S. Reynolds

Em abril de 2001, a irmã Sydney S. Reynolds da Presidência Geral da Primária deu seu testemunho sobre milagres, recontando a história de seus netos gêmeos que vieram três meses e meio mais cedo e lutaram para sobreviver. Depois de sofrer um colapso pulmonar e de outros órgãos, o menino estava pronto para ser levado para casa. A menina, no entanto, teve que permanecer no hospital.

“A menina não parava de puxar o tubo de seu respirador, disparando os alarmes em todo o berçário… A garganta estava tão inflamada que, às vezes, os terapeutas especializados em respiração tinham grande dificuldade em reinserir o tubo, e ela quase morreu. Seu progresso normal ficou prejudicado por sua contínua dependência do respirador artificial.

Por fim, depois que o irmãozinho já estava em casa há dois meses, os médicos viram-se forçados a sugerir uma cirurgia que lhe permitisse respirar por um orifício na garganta, uma cirurgia que resolveria seus problemas no estômago, fazendo uma abertura em um lado da barriga; mas que afetaria seu corpinho por muitos meses a mais, e talvez pelo resto da vida.”

Irmã Reynolds descreve o esforço da família para orar e jejuar juntos pela vida da menina, reconhecendo que eles aceitariam qualquer que fosse a vontade de Deus. Seu jejum terminou no dia 3 de dezembro. Ela concluiu:

“Deixem-me ler para vocês parte da carta que foi enviada para a família na manhã de 4 de dezembro. “Querida família. Temos notícias maravilhosas! Recebemos bênçãos do Senhor. Agradecemos sinceramente as orações e jejum em favor de nossa menininha. Quando escrevemos esta carta ela já respirava havia 24 horas sem a ajuda de aparelhos. Para nós, foi um milagre.”

“Resplandeça a sua luz” – Sharon Eubank

Em outubro de 2017, A Irmã Sharon Eubank contou uma história sobre dois meninos que foram pegos em uma corrente de retorno em uma praia na Flórida. Várias pessoas nadaram até eles, mas todos foram apanhados pela corrente e não conseguiram sair.

“Não havia cordas. Não havia salva-vidas. A polícia enviou um barco de resgate, mas as pessoas já estavam em dificuldades no mar havia 20 minutos e estavam exaustas afundando na água. Entre as pessoas que observavam na praia estava Jessica Mae Simmons. Seu marido teve a ideia de formar uma corrente humana. Eles gritaram chamando as pessoas na praia para que os ajudassem, e dezenas de pessoas uniram os braços e marcharam para dentro do mar. Jessica escreveu: “Ver pessoas de raças e sexos diferentes entrarem em ação para ajudar pessoas totalmente desconhecidas [foi] absolutamente incrível!”6 Uma corrente de 80 pessoas se estendeu até os banhistas…

Todos na praia só conseguiam pensar em soluções tradicionais e ficaram paralisados. Mas um casal, em uma fração de segundo, pensou em uma solução diferente. A inovação e a criação são dons espirituais.”

Fonte: Third Hour

| Para refletir

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *