Em uma carta enviada a todos os presidentes de missão e autoridades gerais da Igreja, a BYU-Pathway e o departamento missionário da Igreja anunciaram que todos os missionários, incluindo missionários de serviço, que serviram em qualquer função e por qualquer período de tempo, serão pré-aprovados para admissão no programa PathwayConnect da BYU-Pathway Worldwide.

O programa de um ano é projetado para ajudar os alunos a aprender a ter sucesso em suas carreiras e em estudos universitários. O curso também possibilita o estudo a distância em uma universidade americana da Igreja depois de sua conclusão.

O irmão Brian K. Ashton, que servia como segundo conselheiro na Presidência Geral da Escola Dominical e vice-presidente na administração da BYU Pathway Worldwide, anunciou as boas novas ao visitar o Centro de Treinamento Missionário de Manila, nas Filipinas.

Como resultado da recente aprovação de reuniões virtuais em todo o mundo, a BYU-Pathway Worldwide e A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias anunciaram uma nova iniciativa para ajudar os missionários.

dia dos

Como funciona a pré-aprovação para os missionários?

Embora os presidentes de missão sempre tenham sido incentivados a aconselhar os missionários e ajudá-los a planejar e discutir seu futuro após o serviço missionário, o irmão Ashton explicou que uma ênfase extra deveria ser dada. Os presidentes de missão devem incentivar seus missionários a aprender inglês e planejar o seu futuro.

“Muitas vezes deixamos os missionários chegarem em casa e não lhes damos algo para fazer na Igreja. E quando isso acontece, eles muitas vezes ficam perdidos”, explicou o irmão Ashton. Em sua própria experiência como ex-presidente de missão, o irmão Ashton disse que alguns missionários não sabiam o que iriam fazer quando voltassem para casa, e a grande maioria desse grupo não tinha ideia de como conseguiriam uma educação ou carreira.

Isso fez com que os últimos seis meses de suas missões fossem extremamente difíceis, disse o irmão Ashton, observando que muitos missionários sofreram com ansiedade.

“Mas esta oportunidade lhes dá algo que seja espiritual e que esteja focado em seu propósito na vida”, disse o irmão Ashton. E, por causa dos muitos desafios que as pessoas enfrentam em partes do mundo, onde servir em uma missão dificulta o retorno aos estudos nas universidade locais, a BYU-Pathway oferece uma alternativa de custo extremamente baixo.

“Quando os missionários estiverem em sua missão por 90 dias, eles receberão uma mensagem no portal missionário que diz que no final de sua missão eles serão pré-aprovados para admissão no programa PathwayConnect da BYU-Pathway Worldwide,” Irmão Ashton continuou, explicando o novo processo. “Então eles serão encorajados a aprender inglês durante sua missão, porque todos os programas são em inglês.

“Então, 90 dias antes de eles irem para casa, receberão um email com a carta dizendo que agora estão aprovados para o programa PathwayConnect da BYU-Pathway Worldwide”, disse ele.

Os presidentes de missão deverão fornecer aos missionários um momento extra fora de seus dias de preparação para permitir que os missionários concluam os processos de admissão para se inscreverem nos programas da BYU-Pathway, ou outros programas educacionais para os quais possam ter planos, disse Watson.

É um sistema projetado para alcançar o maior número possível de missionários e informá-los que uma opção acessível está disponível para sua vida educacional e profissional. Mas isso não significa que os missionários que não receberem uma carta não sejam pré-aprovados também, o irmão Ashton esclareceu.

Alguns missionários que voltam mais cedo para casa talvez não recebam uma carta, mas isso acontece porque o departamento missionário não saberá a data de sua desobrigação com 90 dias de antecedência.

Seu conselho para aqueles que voltam para casa cedo e não recebem uma carta:

“Não se preocupe com a logística”, disse ele. “Você foi pré-aprovado, com ou sem a carta.”

Fonte: Church News