Os alunos deixam a escola com a ajuda da polícia de Marjory Stoneman Douglas High School, em Parkland, na Flórida, na quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018, depois que um atirador abriu fogo no campus.

A comunidade SUD está de luto pelas vítimas do tiroteio em massa da quarta-feira na escola Marjory Stoneman Douglas High School em Parkland, Florida. Entre as vítimas estavam duas moças mórmons. Uma delas morreu e a outra está lutando pela vida.

“Mais uma vez unimo-nos como nação e como comunidades perante uma trágica perda de vidas e incompreensível tristeza após o tiroteio em Marjory Stoneman Douglas High School, na Flórida”, disse Eric Hawkins, porta-voz de A Igreja de Jesus Cristo de Santos dos Últimos Dias. “Entre os muitos feridos ou mortos estavam dois membros de nossa religião. A todas as vítimas e seus entes queridos, ofertamos nosso amor. Estas são horas cheias de tristeza, vazio e uma terrível sensação de perda. Unimos nossas orações às de milhões de outras pessoas que estão de luto e orando por eles.”

As duas vítimas mórmons incluem Alaina Petty, de 14 anos, que está listada entre os 17 mortos no ataque. Este foi um dos maiores tiroteios em escola na história dos EUA.

“Não há hashtags para momentos como esse, só tristeza”, Claudette McMahon Joshi, tia-avó do Petty, disse a um jornal local. “Nosso coração está com eles e com todas as famílias atingidas por esta tragédia”.

Madeleine Wilford, 17, a outra vítima SUD no ataque, está entre os 16 feridos. Ela foi alvejada duas vezes e passou por duas cirurgias. Espera-se uma terceira cirurgia de acordo com uma publicação do Facebook compartilhada por sua mãe, Missy Cantrell Wilford.

As duas moças são membros da Ala Coral Springs Florida da Estaca Coral Springs Flórida.

O suposto atirador, Nikolas Cruz, deve apresentar-se no tribunal em Fort Lauderdale às 2 da tarde (horário local) hoje e enfrentar as 17 acusações de homicídio premeditado, de acordo com outro noticiário.

Aproximadamente às 14:30 de quarta-feira, um homem com um fuzil AR-15 chegou ao campus da escola de ensino médio de Uber. O atirador matou três pessoas fora da escola e 12 dentro. Outras duas pessoas morreram por causa dos ferimentos ao darem entrada no hospital.

O ataque foi o pior tiroteio em escola desde que 26 pessoas morreram em Connecticut na escola Sandy Hook Elementary School em 2012.

Para contribuir com as despesas médicas de Maddy clique aqui.

Escrito por Tad Walch e publicado em DeseretNews.

Relacionado:

Um Mórmon Entre as Vítimas do Massacre em Las Vegas