Élder Bednar e sua esposa, irmã Susan Bednar, visitaram Recife, São Paulo, Salvador e Brasília durante os dias 01 a 12 de março. Eles foram acompanhados por Élder Juan A. Uceda, da presidência dos setenta.

Uma jovem de 16 anos de idade, de Recife, perguntou ao apóstolo:

“Élder Bednar, o que você poderia nos ensinar sobre receber as bênçãos da Expiação do Salvador diariamente em nossas vidas?”

A “profundidade espiritual e simplicidade da pergunta” indica “o crescimento na força e maturidade” de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias no Brasil, disse Élder Bednar.

“Há muito o que aprender dos santos no Brasil sobre como viver e amar o evangelho.”

A Igreja no Brasil

Com 1.4 milhão de membros, 34 missões e seis templos, a força da Igreja no Brasil é evidente no aumento do número de presidentes de missão e autoridades gerais brasileiras servindo em todo o mundo. O trabalho de História da Família feito pelos membros no Brasil está produzindo cerca de 100 por cento nos nomes sendo enviados ao templo no país.

Élder Marcos A. Aidukaitis, Élder W. Mark Bassett e Élder Adilson de Paula Parrella, da Presidencia da Área Brasil, reportam que os jovens (entre 12 e 18 anos de idade) estão participando de atividades da Igreja em um ritmo crescente, mesmo que quase 50 por cento deles não tem os pais na Igreja.

Durante as reuniões com os jovens em Brasília e São Paulo, haviam mais jovens do que as capelas podiam suportar. Eles encheram outros edifícios e participaram das reuniões fazendo perguntas com o auxílio da tecnologia.

Olhando para os rostos dos santos dos últimos dias do Brasil, Élder Bednar ficou impressionado pela vontade dos brasileiros de aprender.

A Igreja foi estabelecida no Brasil oito décadas atrás e tem tido um aumento considerável em números. Mas o crescimento real é visto nas habilidades de lideranças e atributos de seus membros, de acordo com a Presidência de Área.

“Nós acreditamos que a Igreja no Brasil está no começo de seu crescimento e que seu futuro potencial é tremendo,” disse Élder Aidukiatis. “Mesmo além das bordas do Brasil nós vemos brasileiros contribuindo para comunidades em todo o mundo.”

Embora sejam espiritualmente maduros, os santos dos últimos dias no Brasil precisam enfrentar enormes desafios, disse a Presidência de Área:

“Os jovens veem a instabilidade de nosso país e a tristeza que daqueles que escolheram outros caminhos,” disse Élder Bassett. “A Igreja é uma âncora para os jovens nas águas turbulentos do Brasil.”

templo de fortaleza

Templos

Os santos dos últimos dias encontram paz no templo. Dois templos adicionais foram anunciados no país, em Brasília e Rio de Janeiro.

Em Brasília, os santos dos últimos dias passam pelo terreno do templo e visualizam a casa do Senhor que será construída lá. Membros no nordeste do Brasil compartilham fotos da construção do templo, disse Élder Parrella.

Um entusiasmo similar é compartilhado pelo futuro templo do Rio de Janeiro, onde “o crime tem crescido e os desafios políticos prevalecem.”

“O templo do Rio é um farol de esperança para uma cidade conturbada,” disse Élder Bassett. “Os membros sabem que o templo trará grandes benção para a cidade quando os membros puderem participar do serviço do templo.”

Com o crescimento do número de membros, “Brasil não é mais uma nova fronteira para a Igreja,” disse Élder Bednar. “Brasil está posicionado para se tornar um contribuidor importante para a Igreja em todo o mundo.”

Os membros da Igreja também são uma grande influência para o bem em seu próprio país.

Jantar Inter-Religioso

Além de conduzir uma revisão de área e uma conferência de liderança do sacerdócio durante sua viagem, Élder Bednar falou em um jantar inter-religioso de liberdade religiosa em São Paulo.

O Brasil é um país religioso. Isso é evidenciado pelos nomes de cidades importantes com o nome de profetas, o Salvador e até mesmo um estado chamado Espírito Santo, disse Élder Bassett.

“Religião é vibrante no Brasil, e nosso povo é um povo de Fé em Deus,” disse Élder Aidukaitis.

Élder Bednar se reuniu com cerca de 50 líderes religiosos e influenciadores de opinião no Brasil para discutir a importância de se defender a liberdade religiosa e fortalecer as famílias. Élder Bednar disse aos presentes:

“Existe um paradoxo na liberdade religiosa – se eu quero que minha liberdade religiosa seja protegida, então eu devo proteger a liberdade religiosa daqueles que acreditam de forma basicamente diferente da minha. Esta é nossa tarefa. E será o nosso contínuo desafio. A liberdade religiosa é mais do que um direito, é um dever”.

Fonte: DeseretNews

Relacionado:

Entrevista do Élder David A. Bednar com o MormonSUD.net