Conheça o atlela paraolímpico SUD que se qualificou para as Olimpíadas do Rio de 2016

Tyson Gunter tem albinismo. Isso ocorre devido a falta de pigmentação na pele, cabelo e nos olhos, mas o que a maioria das pessoas sabe está somente limitado a aparência. O desenvolvimento do sistema ótico é totalmente dependente de melanina (a substância que providencia pigmentação), e por isso pessoas com albinismo também tendem a sofrer com graves problemas de vista.

Apesar dos desafios, Gunter alcançou feitos que a maioria das pessoas com a visão perfeita nunca sonharam — e se qualificou para os Jogos Paraolímpicos de 2016 no Rio.

Na escola, Gunter sempre foi um atleta, recebendo todas as medalhas em seu estado por quatro anos. Depois de sua missão SUD em Washington, ele se esforçou para entrar no time da Universidade do Estado de Idaho. Ele garantiu sua vaga no time terminando entre os oito melhores no Campeonato Big Sky Conference, recebendo a bolsa.

COMPETIÇÕES INTERNACIONAIS

Gunter RIo 2016 Atleta paraolimpíada cego

Gunter participando dos Jogos Paraolímpicos em Toronto, onde recebeu medalha de prata.

Depois da faculdade, Gunter marcou presença no cenário internacional. Desde que começou a competir em eventos paraolímpicos, ele fez parte de todos campeonatos mundiais paraolímpicos. Em 2013, ele recebeu uma medalha de prata em salto em altura no Campeonato Mundial Paraolímpico em Lyon, na França. Dois anos depois, ele recebeu  medalha de prata em salto em distância no Jogos Para Pan Americanos em Toronto, Canadá.

Agora, Gunter está focado no Rio de Janeiro — Onde se qualificou recentemente para os Jogos Paraolímpicos de 2016, apesar de enfrentar outra barreira em sua jornada. O Comitê Internacional Paraolímpico removeu eventos de salto para a categoria de Gunter (T13, visão limitada), isso significa que se Gunter quiser competir no Rio, ele não poderá fazê-lo na categoria de salto, ao invés disso, ele se qualificou como corredor, um tipo de evento que ele tem muito menos prática e paixão.

Salta é o que amo fazer” disse ele. Mas apesar da mudança nas regras, Gunter tem que correr de 100 a 400 metros — o que ele descreveu como “um dos eventos mais odiados em todos os esportes”.

Porém, isso não o parou. Ele melhorou rapidamente e conseguiu correr 400 metros em uma marca de 50 segundos. Gunter já atingiu sua primeira meta para 2016—entrar no time Paraolímpico. Agora que está lá, sua meta é ficar entre os 5 melhores no Rio.

INSPIRAÇÃO

É algo bem difícil, mas Gunter está pronto para o desafio. Ele encontra força e inspiração em vários lugares, mas nenhum deles é mais importante que sua família e o evangelho. Sua esposa tem assistido suas competições nos últimos quatros anos, e ele tem sido um membro ativo da religião mórmon.

O Evangelho teve muita influência em minha vida” disse Gunter. “Eu acho que essa é a verdadeira meta, viver o evangelho, não apenas ir a igreja… É claro que não faço tudo perfeitamente, mas eu sempre tento tomar minhas decisões baseadas no estilo de vida que o Evangelho ensina.”

Uma lição do evangelho onde Gunter encontrou força foi na Parábola dos Talentos. Ao invés de enterrar seus talentos, Gunter os tornou em uma oportunidade de inspirar e fortalecer os outros.

Gunter acrescenta que tem vivido muitos privilégios: “Eu amo tudo em uma viagem (menos a parte de estar longe da minha esposa), estar em hotéis, comer a comida de outras culturas” disse ele. Sobre o patrocínio que ele recebeu da Dick’s Sporting Goods ele disse: “E eu estaria mentindo se não dissesse que amo o equipamento gratuito”.

Mesmo que esta etapa da vida de Gunter esteja chegando ao fim, ele estará pronto para tomar o próximo passo. Ele planeja usar sua graduação em marketing corporativo para criar sua própria empresa. Ele também almeja ser técnico de equipe a nível universitário. Apesar de não saber aonde o futuro irá levar sua família e ele, agora, ele está focado no Rio.

Artigo publicado em LDS Living e traduzido e adaptado para português por Viccenzo Benatti.