Néfi deixou uma advertência profética incrível para os mórmons em 2 Néfi. Está escondidinha entre os “capítulos difíceis de Isaías” e a alegoria das oliveiras em Jacó.

2 Néfi 30:1-2

E EIS que agora, meus amados irmãos, desejo falar-vos; pois eu, Néfi, não vos permitirei supor que sois mais justos do que o serão os gentios. Porque eis que, a não ser que guardeis os mandamentos de Deus, vós todos perecereis Porque eis que, a não ser que guardeis os mandamentos de Deus, vós todos perecereis igualmente; e por causa das palavras que foram ditas, não deveis supor que os gentios serão totalmente destruídos.

Pois eis que vos digo que todos os gentios que se arrependerem serão o povo do convênio do Senhor; e todos os judeus que não se arrependerem serão lançados fora, porque o Senhor não faz convênios a não ser com os que se arrependem e acreditam em seu Filho, que é o Santo de Israel.

Nestes versículos, Néfi está falando ao seu povo sobre a sua ascendência judaica e o seu status como povo do convênio do Senhor (que é o tema desse capítulo inteiro de 2 Néfi).  Mas os princípios que ele ensina são tão verdadeiros para nós hoje como eram para os nefitas antigos em 550 A.C. Se Néfi estivesse vivo em nossa época, acho que não teria qualquer problema em aplicar todas as escrituras  a nós como segue:

E eis que agora, meus amados [membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias], desejo falar-vos; pois eu, Néfi, não vos permitirei supor que sois mais justos do que [os não mórmons].  Porque eis que, a não ser que guardeis os mandamentos de Deus, vós todos perecereis igualmente; e por causa das palavras que foram ditas, não deveis supor que os gentios serão totalmente destruídos.

Pois eis que vos digo que todos os [não mórmons] que se arrependerem serão o povo do convênio do Senhor; e todos os [mórmons] que não se arrependerem serão lançados fora, porque o Senhor não faz convênios a não ser com os que se arrependem e acreditam em seu Filho, que é o Santo de Israel.

Ser mórmon ≠ ser mais justo do que outros

Vamos analisar de novo esses versículos em 2 Néfi: “Eu, Néfi, não vos permitirei supor que vós [mórmons] sois mais justos do que o serão [os não mórmons].

Isto é importante. Néfi aborda diretamente o orgulho do seu povo (e o nosso orgulho), deixando muito claro que só porque podemos nos chamar de “povo do convênio” não significa que somos mais justos do que aqueles que não são de nossa crença estão.

Não estamos apenas tentando fingir humildade. Não é um título de fachada condescendente (e se é, não deveria ser). É um fato simples. Se pensamos que a nossa filiação com a Igreja automaticamente nos torna mais justo do que os outros, estamos errados.

Não ser mórmon ≠ condenação

Néfi

Ou, como 2 Néfi coloca, “não deveis supor que os [não mórmons] serão totalmente destruídos.

Sim, devemos sentirmo-nos extremamente abençoados por ter o evangelho restaurado na vida. Temos acesso completo às doutrinas, à autoridade do sacerdócio e às ordenanças de salvação. Mas não vamos esquecer da parábola dos trabalhadores da vinha.

A Deus, não importa se nós recebemos tais ordenanças salvadoras na primeira hora ou na décima primeira hora, no final do dia a recompensa é a mesma. E deixar claro, a vinha nesta parábola não é a Igreja, é o reino de Deus.

Não julguemos os outros porque o senhor da vinha contratou você antes de outra pessoa. Ainda há bastante tempo no dia.

Conclusão

A Igreja é importante? Com certeza! Mas é o veículo, não o destino. As igrejas são isso. O luteranismo é um veículo, o catolicismo é um veículo, o presbiterianismo é um veículo. A única diferença é que nós acreditamos que o nosso veículo é restaurado de acordo com o modelo de 34 D.C. originalmente construído pelo próprio Cristo. Nos outros carros estão faltando algumas peças essenciais que vão tornar a viagem um pouco mais difícil.

Felizmente, o Senhor tem meios em Seu plano de ajudar aquelas pessoas que estão em veículos seguindo caminhos diferentes: ordenanças vicárias, obra missionária para os vivos e os mortos e o milênio. Todos estes elementos são destinados a trabalhar juntos para ajudar a TODOS nós a chegar às portas do céu — mórmons, não mórmons, homens, mulheres, escravos, livres, negros, brancos e todo o resto.

Só termina quando acaba. Ainda há tempo para todos nós, SUDs ou não, de se arrepender e crer em Cristo. O julgamento final  ainda não aconteceu. Mãos ao trabalho! Vamos fazer o possível para estar prontos quando isso acontecer.

Fonte: MormonHub.com

Relacionado:

Julgar as pessoas NÃO é algo que um mórmon deveria fazer