Uma pergunta comum entre muitos membros da igreja é: “Como distinguir o que o Espírito Santo está me dizendo?” Seja você um estudante do ensino médio fazendo planos para o futuro, um missionário buscando novos pesquisadores, um jovem adulto orando sobre um potencial parceiro de casamento, um pai inseguro para instruir os filhos — ou à procura de direção para qualquer decisão importante, discernir a vontade do Senhor pode ser um desafio.

Muitas vezes recebi fortes impressões do Espírito Santo, poderosas o suficiente para dissipar toda dúvida de uma vez. Entre essas experiências estão várias outras que pareciam mais um jogo de adivinhação do que revelação.

Identificar o Espírito Santo

Sei muito bem que o Espírito fala com uma voz mansa e delicada, fácil de não ouvir, se não estivermos ouvindo atentamente. Não digo que não recebi orientação do Espírito ao longo da vida, mas eu sempre lutei para distinguir entre o Espírito Santo, minhas emoções e influência de outras pessoas. Às vezes fui pego pela incerteza, mesmo depois de achar que tinha recebido uma resposta.

Não é irônico que aqueles de nós que sinceramente querem fazer o certo, muitas vezes lutam para fazê-lo — justamente por estarmos muito ansiosos para fazer a escolha certa? Conheço todas as escrituras sobre revelação. Eu sei que devo estudar o assunto e que Deus falara à minha mente e coração, e que um estupor de pensamento indica uma escolha errada.
Sei que medo e confusão não vêm de Deus. Jejuei, orei fervorosamente, e fui ao templo buscando respostas.

Muitas vezes recorri a tomar minhas próprias decisões e seguir em frente com fé, que a resposta certa viria enquanto eu seguia a vida.
Apesar disso, há vezes quando eu simplesmente NÃO SEI. Ao refletir sobre este paradoxo, há algumas semanas, de repente me veio um pensamento.

Satanás Gosta de Dar a Última Palavra

satanás

Daguerreótipo de Oliver Cowdery.

Satanás sabe que não consegue convencer muitos de nós a fazer coisas terríveis. Mas ele consegue tentar convencer-nos a não fazer coisas boas. Ele não pode nos impedir de receber os sussurros que procuramos com tanto empenho, mas ele consegue acrescentar algumas dúvidas à mistura no último segundo e, assim, ficamos desmotivados para seguir em frente.

Ele sabe que nós mortais tendemos a lembrar mais de experiências negativas do que das positivas, principalmente se elas aconteceram recentemente. Talvez, se Satanás conseguir fazer-nos hesitar tempo suficiente, uma boa oportunidade poderá passar e a porta que o Espírito mantinha aberta para nós poderá se fechar.

Às vezes, tenho a certeza de que o plano de Satanás é muito mais simples do que isso. Às vezes ele só quer que sejamos infelizes e desperdicemos nosso precioso tempo e saúde mental nos preocupando com as escolhas que já fizemos. Ele quer que nos esqueçamos dos sentimentos de paz e certeza que tivemos no passado em favor de medos atuais.

Minha escritura favorita, Doutrina e Convênios 6:22-23, o Profeta Joseph Smith recebeu para Oliver Cowdery:

“Em verdade, em verdade eu te digo: Se desejas mais um testemunho, volve tua mente para a noite em que clamaste a mim em teu coração a fim de saberes a respeito da veracidade destas coisas.
Não dei paz a tua mente quanto ao assunto? Que maior testemunho podes ter que o de Deus?”

Vamos analisar por um momento a história por trás desses versículos. Quando Joseph recebeu essa revelação, Oliver estava trabalhado como seu escriba durante a tradução do Livro de Mórmon e ele tinha recebido um testemunho da veracidade da obra de Joseph antes mesmo de se conhecerem.

Joseph disse em seu relato que o “Senhor apareceu a um jovem chamado Oliver Cowdery e mostrou-lhe as placas em uma visão e também a veracidade do trabalho e o que o Senhor estava prestes a fazer por meu intermédio, seu servo indigno; portanto, ele desejou ser meu escrevente enquanto eu traduzia”.
Oliver recebeu um testemunho claro e inegável da veracidade da história de Joseph — mesmo assim depois de ele já ter começado a servir como escriba, parece que dúvidas começaram a aparecer. Por que mais ele teria vontade de receber mais um testemunho?

 

satanás

Vai-Te Para Trás de Mim, Satanás, de Carl Bloch.

A Experiência de Moisés

Comparemos esse relato à experiência de Moisés registrada na Pérola de Grande Valor e veremos um padrão. Quase imediatamente após a sua visão da sarça ardente, Satanás visita Moisés, que ordena que ele o adore.

Moisés não é facilmente enganado, mas parece que Lúcifer tem o hábito de importunar os fiéis logo após receberem testemunhos espirituais. Ele obteve êxito ao tentar fazer Lamã e Lemuel duvidar das palavras do anjo nem dois minutos depois que o mensageiro se foi. Mesmo o Salvador, no final de seus quarenta dias no deserto, foi visitado e tentado pelo diabo.

Se Satanás é tão descarado como para desafiar as visões e manifestações celestiais — mesmo momentos depois que aconteceram — não é de admirar que seja tão difícil ouvir os suaves sussurros do Espírito Santo em meio à confusão que Satanás causa.
O que leva à pergunta: O que devemos fazer a respeito?

Agir de Acordo com a Primeira Impressão

No seu discurso, “Santo Espírito de Deus”, o Élder Ronald A. Rasband compartilha este conselho:

“Devemos confiar na primeira impressão que recebermos. Às vezes racionalizamos, questionamos se é uma impressão espiritual ou se são apenas nossos pensamentos. Quando começamos a questionar o que sentimos — coisa que todos já fizemos —, rejeitamos o Espírito, pois questionamos o conselho divino. O Profeta Joseph Smith ensinou que, se derem ouvidos à primeira inspiração, as coisas darão certo 90% das vezes.”

Se desejarmos sinceramente fazer a vontade do Senhor e estivermos vivendo de modo a convidar a presença do Espírito Santo, então muitas vezes a primeira coisa que vem à nossa mente é algo bom. Não dê ouvidos para as dúvidas que seguem as primeiras impressões.

Minha Opinião

Para mim, aqui é onde a fé entra em jogo. Quando tomamos uma decisão com base nos sussurros e nas primeiras impressões sutis — e de repente somos pegos por pensamentos de dúvida e incerteza em seguida, podemos ser tentados a recuar.
Não podemos ceder. Coloquemos um pé à frente do outro, mesmo que instável, pedindo confiança e orientação a Deus. Lembremo-nos de que o primeiro sussurro geralmente é o certo. Mesmo que erremos naqueles 10% das vezes, acha que o Pai Celestial não vai nos ajudar a corrigir nosso curso? Também acho que não.

6 palavras

A Primeira Impressão é a que Fica, e ela nunca é de Satanás

Então, da próxima vez acharmos que estamos recebendo sinais mistos ou que sentimentos de dúvida aparecerem, lembremo-nos. Lembremo-nos de que Satanás gosta de dar a última palavra.
E não ceda a ela.

Escrito por Holly Black e traduzido por Luciana Fiallo Alves
Fonte: mormonhub.com

Relacionado:

A Diferença Entre Revelação e Inspiração e como Entender o Espírito