Vários anos atrás, ouvi a irmã Wendy Nelson, a esposa do nosso profeta, falar na conferência de mulheres da BYU sobre “O que uma mulher santa faria?” Ela nos desafiou a procurar a santidade nas atividades que preenchem nosso tempo a cada dia — coisas como trabalho, casa, escola, cuidar de uma família e cuidar de nós mesmas. É possível encontrar santidade com uma vida atarefada e bagunçada?

Eu decidi aceitar desafio da irmã do Nelson. Pensei em como poderia buscar, de modo intencional, santidade todos os dias. O Élder Jeffrey R. Holland disse: “Não sei de nada que seja valioso e que tenha acontecido por acaso”. Nesse mesmo espírito, John Stott, um sacerdote anglicano inglês, certa vez disse: “Ninguém jamais entrou gradualmente na santidade”.

Para ajudar-me a focar, fiz um pequeno diário de santidade e toda manhã eu perguntava em oração o que eu poderia fazer naquele dia para aumentar minha santidade. Pensei sobre as coisas que eu poderia fazer para ter um aumento do Espírito na minha vida e sobre as coisas que eu estava fazendo para ofender o Espírito.

O ato de escrever os sussurros ou a revelação que recebia foi refinador. Quando me deparava com situações ou pessoas difíceis, eu pensava: “O que Deus precisa que eu aprenda com isto? Como isso pode contribuir para minha santidade? Que Deus precisa que eu seja?” Eu estava mais consciente em seguir os sussurros e encher meus pensamentos, minha mente e meu espírito com coisas que me fazem feliz e trazem paz.

Outras mulheres que admiro muito fizeram esta experiência comigo. Aqui estão alguns de seus comentários:

  • “Tive um maior interesse nas pessoas e menos interesse nas coisas.”

  • “Nas minhas orações, eu usei a frase “Que seja feita a Tua vontade” com mais frequência.

  • “Eu estava constantemente buscando orientação do Pai Celestial.”

  • “Eu tive mais paciência com as imperfeições dos outros.”

  • “Eu pensei com mais frequência no meu propósito na mortalidade e tive o sentimento de urgência em trabalhar.”

  • “Pensei no Santo de Israel e na benção de ser chamada pelo Seu santo nome.”

  • “Percebi que eu me arrependia toda vez que orava”.

E outra mulher escreveu:

“Orar todas as manhãs buscando orientação sobre como incorporar a santidade em meu dia foi uma das coisas mais impactantes que já fiz para o meu crescimento espiritual. Agir de modo intencional sobre este desejo aproximou-me mais de meu Pai Celeste. Não por causa de coisas específicas que eu estava fazendo em todo o meu dia, que eu achava que poderia ser o caso quando comecei este experimento. Antes, eu não tinha mais tempo para estudar as escrituras, frequentar o templo ou fazer o trabalho de história da família. Meus dias pareciam praticamente idênticos. Sim, eu orava e estudava as escrituras, mas a maioria do tempo ainda era gasto limpando narizes escorrendo, preparando lanches, dobrando roupa e limpando fraldas sujas. No entanto, meu desejo em oração por santidade mudou quem eu era e como eu me sentia sobre a vida. Encontrei-me perguntando: ‘Como uma mulher, irmã, mãe ou amiga santa agiria nessa situação?’ Ser santa inicialmente soou tão fora de alcance quando comecei este desafio. Eu sou muito imperfeita e cometo falhas todos os dias. No entanto, ao orar fervorosamente pedindo para ser capaz de incorporar a santidade em minha vida, senti-me preenchida com Seu o amor por mim e tive o desejo de ajudar as pessoas da minha vida a sentir o Seu amor também. Partilhar esse amor com os outros tornou-se a santidade nos meus dias. Nada mudou, mas de algum modo, tudo mudou”.

Em todos os templos encontramos os dizeres: “Santidade ao Senhor”. Eu me pergunto: “O que posso fazer diariamente para gravar ‘santidade ao Senhor’ no meu coração? Que sacrifícios são necessários de mim?” O processo acontece um pequeno passo de cada vez. Às vezes esses passos são dolorosos, e às vezes são quase parando. Mas mesmo nossos pequenos passos podem levar ao nosso destino final: santidade ao Senhor, Santidade com o Senhor.

Independentemente do nosso estágio na vida ou nossas circunstâncias, cada um tem uma mordomia todos os dias. Todos os dias, assim como todas as pessoas, têm um potencial de santidade. Podemos ser mulheres comuns fazendo coisas normais, mas extraordinárias, — mulheres que tornam a família e o lar santo porque fazemos e guardamos convênios. Ao devotar nossa vida a Cristo,  simplesmente fazendo seja o que for que Ele nos pede para fazer, Ele pode transformar nossa vida confusa, complicada e mudar nosso foco e nossas ações em direção à santidade. Sei que Ele pode fazer isso.

Adaptado de um discurso dado na conferência de mulheres da BYU em maio de 2018.

Fonte: LDS.org

Relacionado:

Princípios de Organização