Quando o avô do Pres. Nelson falou com seu finado pai em um sonho

Como o nascimento, a morte é uma parte necessária e essencial do plano de salvação (ver Moisés 6: 59–62) – que tanto Jacó como Alma chamaram de “grande plano de felicidade” (2 Néfi 9: 6; Alma 42: 8) . Enfrentar a morte pode ser uma das experiências mais temíveis da mortalidade.

Para os justos, porém, a morte pode ser doce e não precisa ser temida (ver Alma 27:28). De fato, o Senhor revelou a Joseph Smith que “aqueles que morrerem em mim não provarão a morte, porque lhes será doce” (Doutrina e Convênios 42:46).

Por outro lado, para as pessoas que não morrem em Cristo, a morte pode ser uma experiência amarga (ver Doutrina e Convênios 42:47), e o pensamento de uma morte próxima pode criar pressentimentos, ansiedade e medo. Os sonhos referentes à morte podem servir como um poderoso lembrete de que essa vida é o tempo para nos prepararmos para encontrar Deus (ver Alma 12:24; 34:32)…

Mesmo que a morte não seja iminente, nosso Pai Celestial pode enviar consolo através de sonhos que testificam o fato de que nossa existência não termina com o nosso último suspiro. Esses sonhos testificam que o aguilhão da morte é engolido pela vitória da Expiação de Cristo (ver 1 Coríntios 15:55; Mosias 16: 7–8; Alma 22:14).

Os sonhos associados à morte podem nos levar a refletir sobre os princípios centrais do plano de salvação. Eles são um testemunho de que Deus ama e socorre seus filhos.

véu

“Recebi Meu Chamado para Pregar o Evangelho”

Andrew C. Nelson, avô do presidente Russell M. Nelson, relatou:

Na noite de 6 de abril de 1891, tive um estranho sonho ou visão em que vi e conversei com meu pai que morreu em 27 de janeiro de 1891.

Quando papai veio até a cama, a primeira coisa que disse foi: 

“Bem, meu filho, você não estava lá… quando morri, então não tive a chance de ter ver, e como tive alguns minutos livres…”

“O que você tem feito desde que morreu, pai?” . . .

“Meu filho, tenho viajado junto com o Apóstolo Erastus Snow desde que morri; isto é, desde três dias depois que eu morri; então recebi meu chamado para pregar o evangelho. Você não pode imaginar, meu filho, quantos espíritos existem no mundo espiritual que ainda não receberam o evangelho; mas muitos o estão recebendo, e um grande trabalho está sendo realizado. Muitos estão observando ansiosamente seus amigos que ainda estão vivos, para realizar ordenanças por eles nos templos. Eu tenho estado muito ocupado em pregar o evangelho de Jesus Cristo.”

”Todos os espíritos acreditarão em você, pai, quando você lhes ensinar o evangelho?’

“Não, nem todos irão acreditar em mim.”

“‘Como estão você e a sua mãe? Os meninos, Emillie e as meninas estão se dando bem?” 

“Estou bem, pai, e pelo o que sei por Redmond, o pessoal está bem.”

“Pai, você pode nos ver o tempo todo e sabe o que estamos fazendo?” 

“Não, meu filho, eu não posso. Tenho outras coisas para fazer. Eu não posso ir onde e quando eu quiser. Há tanto e muito mais ordem aqui no mundo espiritual do que no outro mundo. Fui designado para o trabalho e isso deve ser realizado.”

“Pretendemos ir ao templo e sermos selados a você assim que terminar os estudos. Conversei com as meninas sobre isso e elas querem ser seladas a você.”

“Isso, meu filho, é em parte o motivo pelo qual eu vim te ver. Nós ainda seremos uma família e viveremos por toda a eternidade.”

“Como você se sente o tempo todo, pai?”

“Eu me sinto esplêndido e desfruto do meu trabalho; ainda assim, devo admitir que às vezes fico um pouco solitário quando quero ver minha família; mas é só um curto período de tempo até que nos vejamos novamente.”

“Pai, quão feliz estou por você ter morrido com fé total no evangelho e em plena comunhão na Igreja”. 

“Bem, meu filho, seu pai sempre soube desde que ele se filiou à Igreja, que o evangelho era verdadeiro, e você sabe que eu sempre ensinei o evangelho a você quando você era pequeno. Eu me tornei um pouco teimoso, mas quem é de nós que não tem sido um pouco bravo e travesso às vezes. O pouco tempo que passei bravo não chega a 15 minutos em comparação à eternidade. Eu fui punido por isso. Mas está tudo bem. Meu filho, cuide para que você não fique assim.”

“Pai, é natural morrer? Ou parece natural? Não houve um momento em que seu espírito estivesse sentindo tanta dor que não pudesse perceber o que estava acontecendo?”

“Não, meu filho, não houve tal momento. É tão natural morrer, como é nascer, ou passar por essa porta (ele apontou para a porta). Quando eu disse ao pessoal que não poderia durar muito tempo, tudo ficou escuro e não pude ver nada por alguns minutos. Então, a primeira coisa que pude ver foram os espíritos no mundo espiritual. Então, eu disse ao pessoal que devia ir. O papel que você me deu, meu filho, está datado errado, mas não faz nenhuma diferença; os registros corretos são mantidos aqui.”

“Pai, o princípio e a doutrina da ressurreição que nos ensinaram são verdadeiros?”

“Sim, meu filho, tão verdadeiro quanto possível. Você não pode evitar ser ressuscitado. É tão natural para todos ressuscitarmos quanto é nascer e morrer novamente. Você não pode evitar a ressurreição. Há muitos espíritos no mundo espiritual que desejam que Deus não os ressuscite.”

“Pai, o Evangelho que é ensinado por esta Igreja é verdadeiro?”

“Meu filho, você vê aquela foto’ (apontando para uma foto da Primeira Presidência da Igreja pendurada na parede)?”

‘Sim, eu vejo.’ 

“Bem, tão certo quanto você vê aquela foto, o evangelho é verdadeiro. O evangelho de Jesus Cristo tem dentro de si o poder de salvar todo homem e mulher que o obedecer, e de nenhum outro modo eles poderão obter a salvação no reino de Deus. Meu filho, sempre se apegue ao evangelho. Seja humilde, esteja em espírito de oração, seja submisso ao Sacerdócio, seja verdadeiro, seja fiel aos convênios que você fez com Deus. Nunca faça nada que desagrade a Deus. Ó, que bênção é o evangelho! Meu filho, seja um bom menino.”

“Adeus.”

“Eu então o vi sair do quarto. Ele estava bem vestido em um terno cinza claro, que eu nunca o vi usar quando vivo”.

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

O que a história da família me ensinou sobre a vida após a morte

| Inspiração

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *