Pioneiros Mórmons – Um legado que continua

Pioneiros Mórmons

A jornada dos pioneiros mórmons é uma das maiores histórias americanas de migração. Aqueles que participaram desta jornada, das companhias que chegaram em Novembro de 1847, meio congelados e completamente exaustos, cruzaram o oceano e deixaram suas famílias, deram tudo que tinham, em alguns momentos até mesmo suas vidas, para seguir o mandamento do Senhor de se reunir em Sião.

Entre 1830 e 1840, membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, frequentemente chamados de Mórmons, enfrentaram intensa perseguição e dificuldade. Surgindo de desentendimento de ambos os lados, e cercados por uma comunidade que se sentiu ameaçada pelo grande fluxo de membros desta nova religião, os pioneiros mórmons foram por fim forçados a deixar a cidade de Nauvoo, que estabeleceram em Illinois, e partir em direção ao leste através do desconhecido.

Nos próximos anos, 70,000 Santos dos Últimos Dias fizeram esse caminho através de 2000 quilômetros de terrenos inabitados,  montanhas, e pelo deserto do vale do Lago Salgado. Eles viajaram juntos e carroções de fazenda e carrinhos de mão, cheios de comida, ferramentas de fazenda, utensílios de cozinha, roupas e pouquíssimos pertences pessoais. Eles foram expostos aos elementos, a possibilidade de morrer de fome, a temperaturas extremas, enfermidades e a morte. Muitos tiveram que deixar para trás lápides sem gravação de seus cônjuges, pais ou filhos.

Pioneiros Mórmons enterrando familiares

A jornada inicial levou 17 meses de viagem, esforço e sofrimento. Porém, mesmo após andar milhares de quilômetros, a luta não havia acabado. O que os esperava não era uma comunidade com campos de minas de ouro, ou um belo novo país verde, pelo qual a maioria dos pioneiros esperava, porém, montanhas próximas ao deserto e o maior recurso de água estava cheio de sal, tornando impossível para beber. Era uma terra onde havia muito sol e era uma terra que nunca havia sido cuidada por fazendeiros ou moldada. Além disso, eles tinham apenas alguns meses na estação onde poderiam plantar para obter comida para os milhares de santos que continuavam chegando. Apesar de todos os desafios que eles enfrentaram, eles permaneceram firmes na fé, e construíram neste deserto uma comunidade de pioneiros que cresceu muito. Seus esforços prepararam o alicerce para que a mensagem do evangelho fosse compartilhada através do mundo tudo.

Muitos mórmons hoje, tem ancestrais que cruzaram as planícies, ou são novos conversos na Igreja, ambos olham para o incrível exemplo destes santos fiéis e reverenciam aqueles que confiaram no Pai Celestial, mesmo quando a promessa parecia impossível de se alcançar.

A irmã Bonnie D. Parkin, 14ª Presidente Geral da Sociedade de Socorro disse o seguinte sobre o exemplo dos pioneiros:

“É requerido que todos façam jornadas de fé. Esse é o plano do Evangelho. Nosso caminho talvez não seja cruzando o oceano ou caminhando sozinho de uma estação de trem vazia. Mas, seja qual for, precisaremos de fé em cada passo. Daqui alguns anos seus netos irão dizer maravilhados as histórias de suas escolhas, que mudaram suas vidas. Você será chamado de pioneiro por eles. Você já pensou que seu passo no desconhecido mostra abre o caminho para os outros?”

A jornada dos pioneiros mórmons, suas dificuldades, triunfos e sua dedicação e fé podem formar um caminho a ser seguido, guiando-nos para mais próximo do Senhor em nossas vidas.

Nota: Muitos fatos listados neste artigo vieram da pesquisa “Mormon Pioneers”(Pioneiros Mórmons) no Wikipédia.

| Inspiração
Publicado por: Viccenzo Benatti
Mórmon, marido e pai, Viccenzo serviu na Missão Brasil Goiânia e isso mudou sua vida completamente. É especialista em marketing digital e é apaixonado por aprender e ensinar.
Os Mórmons acreditam na Virgem Maria?
pessoa orando sobre escritura - oração é parte importante do Jejum
6 Coisas que todo mundo deveria saber sobre o Jejum

Comente

Seu endereço de e-mail não será divulgado. Os campos obrigatórios estão marcados com *