Um estudo revela que o brasileiro passa mais de nove horas por dia na internet. Dessas horas, 3 horas e meia, em média são gastas em redes sociais. No Brasil, o número de contas em redes sociais aumentou 15% desde Julho de 2014. O estudo publicado recentemente pela agência internacional We Are Social mostrou que o país está entre as nações mais conectadas do mundo.[1] Os dados são do relatório 2018 Global Digital,  da We Are Social e da Hootsuite.

O Brasil está entre os três países do mundo no qual a população passa, em média, mais de 9 horas do dia navegando na Internet. E é um dos dois únicos países onde o tempo diário gasto nas redes sociais supera 3 horas e meia. Portanto, bem acima da média mundial nesses dois quesitos.

Os dados mais recentes do GlobalWebIndex mostram que o usuário médio global da internet gasta hoje cerca de 6 horas por dia usando dispositivos e serviços alimentados pela rede. A taxa de penetração do uso da Internet na população brasileira é de 66%, enquanto a média global é de 53% puxada para baixo pelas taxas  registradas em grande parte da África Central e do Sul da Ásia. [2]

O uso da internet está intimamente relacionado ao uso da tecnologia.

Passamos muitas horas diante de um computador, celular, tablets e similares. Talvez, muitas dessas horas seja realmente por necessidade e para trabalho. Outras, são despendidas para o lazer. E apesar da tecnologia e a internet serem muito úteis em nossa vida, sendo quase impossível viver sem ela, o uso em excesso acarreta efeitos negativos para nossa saúde e para nossa vida em geral e infelizmente, não nos damos conta disso.

Passar um grande número de horas na frente de uma tela, costuma provocar inatividade física o que resulta em aumento de peso e muitos outros problemas são gerados em relação a nossa saúde a longo prazo.

Muitas pessoas, especialmente os jovens, estão totalmente engajados com as novas tecnologias, redes sociais, jogos de vídeo, chegando a interferir em suas horas de sono. Dormir mal provoca um mau rendimento físico e intelectual, alterações emocionais e inclusive o estresse, que por sua vez origina outras doenças.

Outro problema gerado pelo excesso de horas diante de um computador ou outros dispositivos eletrônicos é a fadiga que está associada com dores musculares nas costas, pescoço, ombros, braços e pulsos. Estas dores são originadas por posições ruins, por permanecer sentado por longos períodos ou por manter constantemente as mãos no teclado. Na verdade, cada vez mais pessoas sofrem a conhecida síndrome do túnel do carpo, causada pelos movimentos repetitivos e continuados da mão pelo uso do teclado e/ou mouse.

O Élder Randall L.Ridd ensinou:

“A Internet também registra seus desejos, expressos na forma de buscas e cliques. Há legiões esperando satisfazer esses desejos. Ao navegar pela Internet, vocês deixam rastros — o que vocês comunicaram, onde estiveram, quanto tempo estiveram ali e o tipo de coisas que os interessam. Desse modo, a Internet cria um perfil cibernético de vocês — em certo sentido, o seu “livro da vida cibernético”. Tal como na vida, a Internet vai devolver-lhes cada vez mais o que vocês procurarem. Se seus desejos forem puros, a Internet pode ampliá-los, fazendo com que fique cada vez mais fácil para vocês se envolverem em causas dignas. Mas o oposto também é verdade”.

Como então podemos evitar os efeitos negativos da tecnologia?

1) Estabeleça limites de tempo para o uso da tecnologia

Talvez seja interessante estabelecer limites diários de quantas horas você passará usando tecnologia. Esse limite pode ser estabelecido levando em consideração tudo o que realmente precisa ser feito e tudo o que não é necessário ser feito usando alguma tecnologia. Ao estabelecermos um limite para lazer utilizando a tecnologia, vai nos sobrar muito mais tempo para despender com outras atividades recreativas e salutares, por exemplo.

Devemos nos lembrar sempre da escritura que diz:

“Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”. (Mateus 6:21)

“A recreação salutar é parte da nossa religião, e uma mudança em nosso ritmo de vida é necessária, só o fato de pensar em nos divertirmos juntos pode elevar-nos espiritualmente”.

2) Fique atento ao conteúdo que acessa

“O Senhor olha desde os céus, e vê todos os filhos dos homens”. (Salmos 33:13)

Tudo que acessamos está registrado. Não importa como acessamos, se utilizamos páginas ocultas em nossos navegadores ou utilizamos outros meio menos visíveis aos homens – tudo está claro para o Senhor.  

No mundo tecnológico o comando crtl + z pode desfazer muitas ações, mas não há como desver algo visto, ou esquecer o que escutamos ou vemos Tudo o que ouvimos, lemos, vemos e fazemos estará para sempre em nós.

“Tenha cuidado para que o uso que você faz da mídia não entorpeça sua sensibilidade ao Espírito ou interfira em suas interações pessoais com as outras pessoas. Se passar longos períodos de tempo usando a Internet ou o telefone celular, jogando videogames, assistindo à televisão ou utilizando outras mídias, isso pode afastar você de valiosas interações com outras pessoas. Tome cuidado para que o uso que faz das mídias sociais não substitua o tempo que passa com a família ou os amigos”. (Veja mais em Para o Vigor da Juventude,Diversão e Mídia)

3) Ouça o que os outros estão dizendo sobre seu comportamento

Quando as pessoas próximas a você dizem que você passa muito tempo conectado, é motivo de dar uma pausa e repensar em como tem despendido seu tempo com as tecnologias. Talvez, as pessoas estejam sentindo sua falta no “mundo real” e estejam tentando lhe alertar sobre esse abismo que possivelmente está mergulhado.

“A música, a literatura, as artes, a dança, o teatro, os esportes — tudo isso pode prover entretenimento para enriquecer a vida e consagrá-la ainda mais. Por outro lado, nem é preciso dizer que grande parte do que se considera entretenimento hoje em dia são coisas vulgares, degradantes, violentas, alienantes e que desperdiçam nosso tempo. Ironicamente, muitas vezes é preciso trabalho árduo para encontrar um lazer sadio. Quando o entretenimento passa da virtude ao vício, ele se torna um destruidor da vida consagrada”.

4) Saia com as pessoas ao invés de mandar mensagens

Sair com as pessoas tem se tornado algo cada vez mais raro atualmente. Estamos muito ocupados com nossos aplicativos de mensagens que negligenciamos o contato, o olho a olho e a presença física. Nós muitas vezes nos esquecemos que um abraço pode nos curar, animar e aliviar nossas dores bem como fazer o mesmo por alguém de nosso círculo de amigos.

5) Cumpra com suas obrigações primeiro

Muitas vezes, temos a tendência de colocar o lazer antes de nossas obrigações individuais, familiares e/ou de nosso trabalho e isso é um erro. Nossas obrigações devem ser cumpridas antes de dedicar tempo à compartilhamentos em redes sociais e trocas de mensagens, por exemplo. Deixar com que a tecnologia dite nossa rotina nos levará ao fracasso rapidamente e quando notarmos, pode ser difícil recuperar o tempo perdido.

6) Estabeleça prioridades

“Se você diz que não tem tempo para alguma coisa, é porque isso não é importante para você”, disse o escritor Jim Collins.  Tudo que dedicamos tempo é porque é prioritário para nós, mesmo que essa prioridade tenha sido estabelecida inconscientemente. “A mente subliminar está interconectada e influencia nosso pensamento racional o tempo todo”, diz Leonard Mlodinow.

Estabeleça uma lista de prioridades e esteja determinado(a) a segui-la rigorosamente, diariamente. Seguindo uma ordem de prioridades, a probabilidade de perder tempo no caminho com atividades não tão úteis irá diminuir consideravelmente.

7) Faça sua autoavaliação

Ninguém conhece mais você do que você mesmo, essa é a verdade. Podemos por muito tempo racionalizar e darmos explicações para nosso uso da tecnologia. Contudo, a verdade está dentro de nós. Cada um de nós sabe como está utilizando a tecnologia. Cada um de nós sabe se está evitando os efeitos negativos dela também.

Ao pensar nesse assunto, cabe depois de tudo isso nos voltarmos para nós mesmos e nos perguntarmos como estamos nos saindo.

Que possamos estar atentos ao uso de nosso tempo e ao uso que fazemos da tecnologia. Devemos procurar usá-los com sabedoria todos os dias de nossa vida. Aqui indicamos um teste que pode ser útil para verificar como está seu uso da tecnologia.

Relacionado:

Elder Stevenson encoraja o uso de tecnologia para espalhar o “conhecimento de um Salvador”

Referências

[1] Matéria do G1

[2] Matéria UOL

[3] Para o Vigor da Juventude

[4] Reflexões de uma vida consagrada